FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

1984

(Nineteen Eighty-Four, 1984)
Por Paulo R. O. Junior Avaliação:               7.0

Este comentário revela detalhes da história do filme.

Na obra, de George Orwell, o mundo está dividido em três grandes Estados: Eurásia, Lestásia e Oceania. Regidos por regimes ditatoriais e que encontram-se em guerra permanentemente. A estória passa-se na Oceania, onde os moradores são permanentemente vigiados por teletelas, controlados pelo Grande Irmão(Big brother), que permite vigiar, controlar e oprimir a população. Governo que desenvolve ainda, uma nova língua, que chamam de “novilíngua”, para que possam inclusive controlar as expressões que os desagradam. Com uma política de vigilância e opressão, pregam ainda a ausência do prazer sexual, principalmente nas mulheres e intenso processos de lavagem cerebral nas criancinhas, que servem ainda de maiores delatores de possíveis opiniões contrárias às permitidas.

Winston Smith é o personagem central, um funcionário do Ministério da Verdade, órgão que controla as notícias, modificando tudo o que foi dito no passado para cumprir os objetivos do partido, no presente. Smith desenvolve sua indiferença pela sociedade tornando-a apreço a uma possível rebelião contra esse sistema. Descobre ainda o amor por Julia e uma identificação com outro membro do partido, O’Brian.
Vê em Goldstain, a imagem pública da oposição, e caminhando por suas palavras e pela própria memória, vê a realidade a que estão submetidos e imagina na prole, a esperança para liberdade.
Porém, percebe que tudo é arma desse partido, para continuar no controle. A guerra cujo objetivo não é lutar por uma causa, mas manter um grupo no poder. As funcionalidades dos ministério. O controle sobre as pessoas, sobre os acontecimento. A oposição. Armas para um permanente controle. É capturado e levado ao ministério do Amor, onde posteriormente, conhece o misterioso quarto 101, e descobre que não basta dizer ser favorável aos controladores da Nação, mas de uma forma ou de outra, realmente acreditar nisso.

Trata-se um livro político e apocalíptico, onde através de uma excelente ficção Orwell mergulha-nos num caminho real, onde a humanização dá lugar ao poder. Poder esse, que utiliza de diversos e já citados mecanismos para permanecer no comando, mecanismos esses, que mesmo de diversas formas, já se fazem presentes em diversas sociedades e caminhos políticos na atualidade. O enredo, além de tudo é um aviso de quando os fins passam a controlar os meios.

A obra, é demasiada profunda e intensa. No entanto esse não é o papel do filme.
Talvez por ser um livro tão complexo, o filme não o acompanha, e o aborda de maneira que em dados momentos, chega a ser superficial. Não passa, ou passa ligeiramente, por diversos pontos que são muito desenvolvidos no livro. Deixando a sensação de que falta algo.

A maioria dos personagens tem uma abordagem rala, e alguns personagens secundários são esquecidos. O roteiro adaptado, como dito, não mergulha no imenso mar descrito por Orwell. Transmite algumas passagens necessárias para causar, o efeito obtido ao ler 1984, embora como dito, peque ao transitar superficialmente por muitas outras.

Embora Radford mantenha uma boa direção, e em dados momentos consiga passar o sentimento exposto pelo pseudônimo de Eric Blair, como na transmissão inicial do discurso do big brother ou no quarto 101, e acerte na direção de arte, o filme fica aquém de uma obra grandiosa.

John Hurt interpreta Smith, e o faz muito bem, como demonstra principalmente nas cenas em que o personagem é capturado e submetido a torturas para que “aceite” o Grande Irmão.

Frente a outras películas, às produções hollywodianas tradicionais, o filme é uma boa produção, ousada. No entanto, quando comparado ao texto que lhe deu origem, expõe falhas e buracos que só podem ser aprofundados no livro, e perde seu brilho.

Por Paulo R. O. Junior, em 09/08/2010 Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 7.0
• Régis Trigo 6.0
• Silvio Pilau 5.0
• Heitor Romero 4.0
•  Média 5.5
Notas - Usuários
6.9/10 (142 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #002 De Volta Para o Futuro
• #001 Os Goonies
• #000 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 1984
(Nineteen Eighty-Four, 1984)
 MAIS COMENTÁRIOS
• Comentários deste filme
« anterior » todos (5) « próximo »
• Outros comentários
• Delta (2008), por Cleber Eldridge
• Corra! (2017), por Cleber Eldridge
• Caminhos da Floresta (2014), por Paulo Faria Esteves
• Corra! (2017), por Danilo Calazans
• Rei Arthur - A Lenda da Espada (2017), por Danilo Calazans
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE