FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

A Missão

(Mission, The, 1986)
Por Matheus M. Thomas Avaliação:               7.5

Este comentário revela detalhes da história do filme.

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; o maior destes, porém, é o amor.”1 Coríntios 13:13

Filme pouco lembrado atualmente, A Missão pode ser considerado um tratado de defesa aos indígenas. Demonstra as atrocidades cometidas pelos europeus quando da sua chegava e estabelecimento no Novo Mundo. Em determinado momento do filme, os portugueses - que desejam as terras do índios e a dissolução da Ordem dos Jesuítas, organização que se fortalecia cada vez mais e ameaçava o poder das coroas - o argumento utilizado é em relação a alma dos indígenas. Eles seriam “animais com voz humana”; seres, portanto, sem alma, e feitos para serem escravizados e vendidos como mercadoria. Tudo, sabe-se hoje, por interesses econômicos.

Os protagonistas, Jeremy Irons com Padre Gabriel, e Robert De Niro como Rodrigo Mendoza, relatam muito bem o contraste entre os caminhos a ser seguidos. Em um, o amor acima de tudo, enquanto o segundo acredita na ação. Uma das melhores partes do filme, porém, é a caminhada de redenção de Mendoza, propiciada pelo padre. As sequencias em que, mostrando-se o caminho até se chegar a redução indígena, ele carrega o seu pesado “fardo”, até o final dessa penitência, quando a corda é cortada por um índio (que ele ajudava a capturar e escravizar há tempos atrás) é sensacional.

As cenas finais, com a invasão da missão de São Miguel, a mais próspera e monumental da época, concomitantemente as crianças indígenas com cantos líricos religiosos, e depois, a reação dos europeus quando da chegada a missão do padre Gabriel, sabendo que teriam destruir tudo aquilo, também são épicas. A trilha sonora, orquestrada pelo mestre Ennio Morricone também ajuda e aumenta o teor dramático dessas cenas derradeiras do longa.

Há, porém, certas falhas na projeção, principalmente na sua parte inicial, que se torna arrastada demais, e algumas falhas de continuação também. O filme pode ser considerado bom, mas faz-se compreender o porque de seu esquecimento, com o passar do tempo. Tem bons atores, mas o desenvolvimento é um pouco travado, e comprometem a película.

Vale, então, a reflexão com relação a dizimação dos índios por parte dos europeus, e as conexões que podemos fazer com os conflitos atuais, que ainda hoje persistem em nosso país.

Por Matheus M. Thomas, em 15/08/2013 Avaliação:               7.5
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 7.0
• Régis Trigo 6.0
• Silvio Pilau 6.0
• Francisco Bandeira 7.0
•  Média 6.5
Notas - Usuários
7.2/10 (166 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE