FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

BR 716

(BR 716, 2016)
Por Cleber Eldridge Avaliação:               7.0
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

Os anos 60 ainda são fonte de grandes filmes, com grandes histórias, não por conta de tudo que o Brasil passou naquelas época e em meados dos anos 70 mas, sim por conta de toda uma geração daquela época, direito daqueles dias está Domingos de Oliveira que passou quase vinte anos sem dirigir um filme e só no final dos anos 90 ele voltou e meio que se tornou nosso próprio Woody Allen (esse que é a própria inspiração do diretor).

São tantas palavras, são tantos momentos que aqui o diretor conseguiu não só construir um bom roteiro, como também uma boa atmosfera, não fica claro em nenhum momento que o diretor estava fazendo um autoretrato, Caio Blat, é Felipe, protagonista, que vive conflitos internos por conta da roteirização de A Culpa (1971) - a boemia carioca vive em meio à complicada situação política do Brasil durante a década de 1960. Felipe, engenheiro e aspirante a escritor, vive uma vida regada aos prazeres do álcool e festas no apartamento dado por seu pai, localizado na famosa rua Barata Ribeiro, em Copacabana.

Com uma câmera que deixam as cenas claustrofóbicas, o diretor anda por todos os cantos do apartamento, colocando em vista todas as conversas, todos os olhares e pensamentos dos inúmeros personagens, não se limitando o filme ainda conta as relações interpessoais, tudo o que existe envolto nisso, o golpe que estaria muito próximo de acontecer e às contas no boteco da esquina, o filme é uma sequência de nostálgia, é acima de tudo um momento de celebrar a juventude.

Com a junção de homens, mulheres, àlcool e arte, amor e ódio, festas descontroladas e politica, essa mesma combinação que já vimos em tantos outros filmes franceses e em algumas obras-primas americanas, o grande mérito aqui é que Domingos conseguiu construir tudo ao seu modo, com muita personalidade, uma direção estonteante.

Por Cleber Eldridge, em 03/05/2017 Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Heitor Romero 8.0
• Pedro Tavares 8.0
•  Média 8.0
Notas - Usuários
7.5/10 (6 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE