FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

Depois da Chuva

(Ame agaru, 1999)
Por Lilian Biork Avaliação:                 8.0
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

Este comentário ainda não foi avaliado pela equipe editorial do Cineplayers e está sujeito a alterações e remoção.

A última obra escrita pelo gênio do cinema japonês Akira Kurosawa. O roteiro foi escrito pelo diretor pouco antes de sua morte, e seu fiel assistente de direção, Takashi Koizumi dirigiu a obra, como uma forma de homenagem ao mestre.

Kurosawa foi o diretor que introduziu o gênero Samurai no cinema, e além desta, teve outras grandes obras marcantes como "Kagemuscha, a sombra de um samurai" (1980), "Os Sete samurais" (1954), "A fortaleza escondida" (1958), e uma delas que eu particularmente acho a obra prima de Kurosawa, o maravilhoso "Sonhos" (1990), com influências artísticas de vários pintores do mundo, e a supremacia de várias lendas japonesas antigas, e mitos do folclore oriental.

"Depois da chuva" vem narrar a trajetória de um Samurai, Misawa, um peregrino que não consegue encontrar emprego por onde passa, mesmo possuindo as habilidades de um Samurai e a excelente arte de lutar não se prendia a senhores, então, resolve usar seus dons para boas causas. Devido a uma grande enchente causada pela chuva incessante do local por onde passavam recentemente, Misawa e sua esposa não podiam atravessar o rio, e resolvem se alojar em um tipo de pensão local, habitado por muitas pessoas pobres, que não tinham nem mesmo alimento para comer. Misawa, convivendo com eles, não agüentava olhar para a situação sem ajudar, é então que decide lutar para ganhar dinheiro. Porém, de acordo com a tradição e o código de honra a ser seguido pelos samurais, lutar por dinheiro era além de desonroso, uma falta de respeito aos ancestrais, sem falar que isso incomodava muito a esposa de Misawa que dava extremo valor a essa tradição.
E Kurosawa é bem assim, ele inova e diferencia tudo que faz, aquilo que é convencional ele transforma em diferente e ousado. Em sua obra, não é que ele quis desrespeitar ou quebrar uma tradição antiga, simplesmente mostrou uma visão diferente do que se tem de um samurai, cuja honra não mais é vinculada por um código, mas sim uma honra conquistada e respeitada por todos aqueles a quem ele ajudava.
Numa noite, em que chovia constantemente, Misawa chega à pensão com alimento para todos que ali estavam comerem, e foi uma noite de muita festa, alegria, música, descontração e fraternidade. No dia seguinte a chuva parou, e os moradores disseram que foi Misawa que fez parar a chuva (isto é extremamente metafórico). Mas a chuva também simboliza a tomada de consciência, pois Misawa precisava se fixar em um serviço, uma ocupação, não podia continuar do jeito que estava, ele e sua mulher deveriam continuar o caminho, e agora que cessava a chuva, isso seria possível.

Na verdade, Misawa não era bem um Samurai, estava mais para “Ronin” do que Samurai, pois um Samurai luta por uma causa, ou por um senhor, não luta por dinheiro ou por questões sociais alheias. Misawa não se apega a rituais, não possui um senhor, e é totalmente livre e independente (cenas de pássaros voando que a todo momento são jogadas no filme dão enfoque a esse detalhe e simbolizam a liberdade com que vivia Misawa). E Misawa se diferencia dos outros, pois sua verdadeira honra estava em alegrar aos pobres e menos favorecidos dos lugares por onde passava. E com isso, acaba chamando a atenção de um senhor feudal do local, que queria Misawa trabalhando pra ele, porém, Misawa nunca pertencera a senhor nenhum e não era agora que iria pertencer.

Kurosawa sempre foi preocupado com detalhes, tanto no roteiro quanto nas filmagens. Koizumi, não conseguiu (é lógico) dar a essência e tons necessários, Kurosawa era inigualável, por mais que Koizumi tenha tentado, muita coisa ficou a desejar; tenho certeza e falo convicta de que se o filme tivesse sido dirigido pelo próprio Kurosawa, muitos detalhes teriam sido mais explorados, principalmente aqueles que invocam toda uma simbologia, como a chuva, a travessia do rio, a ponte, o símbolo da espada do samurai que é o próprio espírito do guerreiro, todos esses e tantos outros detalhes metafóricos extremamente delicados e que Kurosawa certamente os teria enfatizado, e explorado de forma profunda, mesmo porque evocam a própria cultura japonesa.

A trilha sonora do filme também é bastante delicada, e de um refinado bom gosto; o cenário é lindo, a natureza é bem explorada, os bosques, rios, a câmera é cuidadosa ao filmar cada detalhe, cada folha de árvore balançando ao vento, cada pequena flor no bosque, cada pássaro voando, as montanhas, os vales, os penhascos, enfim, um verdadeiro espetáculo da flora japonesa.

"Depois da chuva" foi o último trabalho escrito do gênio, eu confesso que assisti ao filme tentando imaginar como que determinada cena teria sido construída, ou enfoque de câmera Kurosawa teria dado, e tarefa difícil esta, pois Kurosawa era completamente imprevisível, porém, olhar o filme dessa forma, tentar imaginar e encontrar Kurosawa ali, alguma característica que o lembre, tudo isso traz um encanto novo à obra, pois se imagina que Kurosawa faria diferente aqui e ali, e assim, torna a obra dele mítica, extratosférica, deslocada de um espaço real. E Kurosawa foi e continua sendo único, virou mito, suas obras são eternas e incomparáveis.

Por Lilian Biork, em 20/06/2008 Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 8.0
• Rodrigo Cunha 8.0
•  Média 8.0
Notas - Usuários
8.0/10 (32 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE