FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

Detroit em Rebelião

(Detroit, 2017)
Por Daniel Oliveira Avaliação:                 8.0
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

Vocês já ouviram falar na "maldição do Oscar", certo? Aquela teoria de que, quando um ator ou diretor recebe a estatueta, automaticamente começa a embarcar em projetos de qualidade questionável. Felizmente, para Kathryn Bigelow (A Hora Mais Escura), a única mulher a vencer o Oscar de melhor direção na história, essa "maldição" se mostra infundada, pois estamos falando de uma cineasta que amadurece a cada filme, entregando sempre um projeto bem realizado e impactante para o público. Detroit em Rebelião (Detroit) não é a melhor obra de sua filmografia, mas é o tipo de longa que só pode ser realizado pelos grandes. E Bigelow faz parte desse clube.

A trama é baseada em fatos estarrecedores ocorridos na Detroit dos anos 60, período em que os conflitos raciais transformaram a cidade quase que literalmente em uma zona de guerra. Dentro desse escopo, acompanhamos a história de três personagens: Dismukes (John Boyega), negro, que têm 2 trabalhos para conseguir levar sustento ao lar, um deles como segurança noturno de uma loja de departamentos; Larry, negro, cantor, que sonha em entrar para o time da Motown Records ( gravadora que nasceu em Detroit) e, por fim; Krauss, branco, um policial racista que não hesita em atirar em qualquer negro envolvido nos conflitos que ele deveria apaziguar.

Bigelow adota o tom documental de maneira incisiva, especialmente no primeiro ato de sua narrativa, quando não somos apresentados a nenhum personagem e sim aos fatos ocorridos na cidade. Um processo importante para que sejamos inseridos na realidade que ela está ali representando. Nesse ponto, a utilização da câmera na mão em toda a obra mostra-se essencial, pois ela realça esse aspecto, tornando tudo muito real e visceral.

O roteiro de Mark Boal (Guerra ao Terror) - colaborador recorrente da diretora -, combinado com a montagem eficiente, é bem sucedido em inserir fluidamente os personagens em meio aos conflitos, interligando suas histórias. Todo o segundo ato de Detroit em Rebelião se passa dentro de um hotel, quando a polícia local invade o estabelecimento em busca de uma suposta arma de fogo que havia disparado contra eles de uma das janelas. É lá que Krauss exerce seu preconceito vestindo sua farda, oprimindo os negros do local (entre eles Larry) com violência e tudo de pior que o ser humano pode demonstrar perante um igual.

Os fatos estarrecedores que ali ocorrem, testemunhados por Dismukes, mostram um retrato trágico da nossa sociedade. Digo nossa sociedade, pois apesar da história se passar em terreno norte-americano, não é algo diferente do que vemos acontecer no Brasil, ou em outras partes do mundo. Bigelow é eficaz em demonstrar em tela como um trauma pode definir a vida das pessoas. A perda da esperança e a disseminação do ódio também faz nascer o preconceito, transformando tudo em uma bola de neve triste de se ver. Nesse ponto, o arco narrativo do cantor Larry mostra-se o mais interessante.

Costumo dizer que nenhuma grande história funcionaria sem um bom elenco, e aqui temos um conjunto de atores que se destaca pela naturalidade em cena. Aquela sensação de realidade que filmes como Cidade de Deus nos passa, ainda que aqui, não tenho conhecimento se foram usados figurantes não profissionais. O fato é que a obra ainda se dá ao luxo de trazer rostos conhecidos em papéis pequenos, como Anthony Mackie (Capitão América: Guerra Civil), que vive um ex-militar, hóspede do hotel; e John Krasinski (The Office), interpretando o advogado que defende os atos dos policiais em julgamento.

Detroit em Rebelião é daqueles filmes difíceis de se assistir, que você provavelmente não vai querer revisitar um dia, tamanha a barbaridade dos fatos que vivenciamos em tela. E isso não é demérito algum. Basta assisti-lo uma vez para absorver o impacto de sua mensagem. Apenas o fato de, durante a cabine de imprensa que participei, terem profissionais dando risada de algumas cenas estarrecedoras da obra, mostra que a mensagem não é apenas atual, mas importantíssima para a sociedade que sonhamos que um dia possa existir. Nós talvez não estaremos aqui para vivê-la, mas quem sabe nossos netos.


Crítica originalmente publicada em meu blog pessoal:
http://www.cinefiloemserie.com.br/2017/10/critica-detroit-em-rebeliao.html

Por Daniel Oliveira, em 06/01/2018 Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 6.0
• Daniel Dalpizzolo 6.5
• Régis Trigo 5.5
• Silvio Pilau 7.5
• Heitor Romero 8.0
• Pedro Tavares 6.0
• Rafael W. Oliveira 7.0
•  Média 6.6
Notas - Usuários
7.6/10 (62 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Detroit em Rebelião
(Detroit, 2017)
 MAIS COMENTÁRIOS
• Comentários deste filme
« anterior » todos (3) « próximo »
• Outros comentários
• Infiltrado na Klan (2018), por Mateus da Silva Frota
• O Rio Sagrado (1951), por Regina Celia de Ribeiro
• Cam (2018), por Bersilionin Gonçalves Costa Junior
• Getúlio (2014), por Bersilionin Gonçalves Costa Junior
• O Conto (2018), por Vagner Ferreira
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE