FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

Ilha dos Cachorros

(Isle of Dogs, 2018)
Por Leonardo C Avaliação:                   9.0
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

“Ten centuries ago, before the age of obedience, free dogs roamed at liberty marking their territory”

Assim começa a jornada dirigida por Wes Anderson, que em poucos meses arrancou lágrimas de alguns, fez críticos se encantarem (outros torcerem o nariz), despertou a ira daqueles que tacham o filme de desrespeitoso, mas que por fim, mostrou-se uma das obras mais interessantes deste primeiro semestre.

Depois do premiado Grande Hotel Budapeste, Anderson anunciou a realização de uma nova animação stop-motion. As primeiras imagens divulgadas mostravam uma estética muito diferente dos últimos filmes e radicalmente oposta a Fantástico Senhor Raposo, ultima animação dirigida pelo diretor. Com a divulgação do trailer e as primeiras sessões no Festival de Berlim, novamente ficou claro que Anderson procurara novos caminhos, sem abdicar da primazia estética e do reconhecido humor bizarro.

Em Fantástico Senhor Raposo, a animação stop-motion é utilizada no intuito de conferir uma estética distinta das animações digitais dos grandes estúdios. O resultado é um visual agradável, porém deliberadamente artificial. Talvez tal estética tenha sido procurada para dar ênfase em uma das questões centrais do filme, a constante tensão entre aquilo que é genuíno e aquilo que é artificial (Animais que se vestem e agem como humanos, mas sem deixar de ser animais). Em Moonrise Kingdom e O grande hotel Budapeste as cenas que usam essa mesma técnica nos transportam para o mundo imaginado por Anderson, e completam os filmes com uma estética artesanal refinada, afastando radicalmente a estética de seus filmes das animações toscas presentes em Viagem a darjeeling e principalmente A vida marinha com Steve Zissou. Em Ilha dos cachorros a mesma técnica é usada, mas diferente da última animação, agora o resultado é deliberadamente sublime, desde a primeira cena é impressionante o modo como os cachorros movem a boca, mas sem deixar de parecer artesanal.

Uma grata surpresa é o ritmo do filme, que por mais cadenciado que seja, é consideravelmente mais dinâmico que os últimos. Neste, constam os recursos habituais: introdução, narração, separação por capítulos, flashbacks, conclusão; mas que são reunidos de maneira fluida, de modo que do início ao fim do filme há poucas quebras de ritmo.

Uma das maiores polêmicas que envolvem o filme é em relação ao modo como a cultura japonesa teria sido apropriada e usada. É inegável que o filme faz uso de diversas obras japonesas e que alguns dos personagens japoneses são figuras corruptas e relativamente desumanizadas. Porém, também é inegável que a estética artística japonesa não é somente utilizada, ela é exaltada, quase que um modelo de perfeição que o filme procura alcançar. A imensa maioria dos escritos e das falas em Japonês não tem tradução, com exceção das falas mediadas por um tradutor. Isso demonstra uma preocupação em distinguir aquilo que é estrangeiro e deve ser respeitado em sua particularidade e aquilo que é naturalizado e que por vezes é incapaz de compreender o estrangeiro em sua essência. Essa separação demonstra uma preocupação de todas as pessoas envolvidas na confecção da história e a total consciência do quão delicado é lidar com uma cultura distinta.

Os pontos até aqui levantados demonstram a dificuldade conceitual em realizar o filme proposto, o que tornar ainda mais admirável realizar tal projeto na prática. A complexidade teórica do filme em nenhum momento afeta a sua realização, na verdade o resultado é extremamente fluido e sofisticado, mas sem deixar de ser excêntrico e esquisito.

Por fim, a jornada do Jovem Atari acompanhado dos gentis cães abandonados, entrecruzado pelos outros curiosos personagens é uma grata surpresa tanto para os fãs mais íntimos de Wes, quanto para qualquer admirador de filmes elaborados quadro a quadro, minunciosamente pensados. Para aqueles que preferem uma experiência mais simples, o filme ainda assim pode transmitir um sentimento humano de amizade, respeito e tolerância, sem deixar de provocar a audiência.

Por Leonardo C, em 19/07/2018 Avaliação:                   9.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 6.0
• Silvio Pilau 7.0
• Bernardo D.I. Brum 8.0
•  Média 7.0
Notas - Usuários
7.5/10 (72 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Ilha dos Cachorros
(Isle of Dogs, 2018)
 MAIS COMENTÁRIOS
• Aquaman (2018), por Sergio Gregorio Araujo Silva
• Sargento Getúlio (1983), por Lucas de Paula Porceno
• Restrepo (2010), por Lucas de Paula Porceno
• Infiltrado na Klan (2018), por Mateus da Silva Frota
• O Rio Sagrado (1951), por Regina Celia de Ribeiro
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE