FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

Nasce uma Estrela

(A Star is Born, 2018)
Por Victor Mendonça Avaliação:                 8.0
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

"Nasce uma Estrela" é um filme sutil, mas com uma intensidade de emoções que o tornam impactante, marcante e forte em todas as linguagens apresentadas. Esta é a quarta versão da história clássica e traz a diva pop Lady Gaga num papel que já foi de grandes atrizes, como Janet Gaynor, Judy Garland e Barbra Streisand. O longa-metragem de 2018 tem como um de seus diferenciais as performances impecáveis de Gaga e Bradley Cooper, que também assina a direção. O recorte na vida da personagem de Gaga é interessante ao mostrar que o sucesso não garante o equilíbrio (como podemos observar por seu par romântico), mas, que no caso da personagem dela, o equilíbrio é o que garante o sucesso. Este contraponto interessante está na espinha dorsal da obra.

Jackson Maine (Bradley Cooper) é um cantor no auge da fama. Um dia, após deixar uma apresentação, ele para em um bar para beber algo. É quando conhece Ally (Lady Gaga), uma insegura cantora que ganha a vida trabalhando em um restaurante. Jackson se encanta pela mulher e seu talento, decidindo acolhê-la debaixo de suas asas. Ao mesmo tempo em que Ally ascende ao estrelato, Jackson vive uma crise pessoal e profissional devido aos problemas com o álcool.

Lady Gaga encarna Ally como uma mulher que traz uma benevolência intensa perante às dificuldades e a dependência química do parceiro. Essa simplicidade começa mesmo quando a personagem ainda é muito humilde, mesmo ela já sendo uma estrela em sua capacidade de expressão. Ally demonstra um equilíbrio surpreendente em todas as situações, desde o primeiro momento em que ela se apresenta a uma plateia grande à convite de Jackson. Mesmo com vestes humildes, ela demonstra autoconfiança sem ser arrogante. Esse equilíbrio emocional impresso pela atuação de Gaga é marcante durante todo o processo. Há um único momento de fragilidade da personagem, representado por sua insegurança com relação ao nariz, como se este fosse barreira para o seu sucesso, e quando Jackson se fragiliza no ciúme, é nesse ponto que ele vai tocar para abalá-la.

O que nos traz a também brilhante composição de Bradley Cooper. Embora sejam similares no talento e na simplicidade, o casal difere na força dela e na fragilidade dele para encarar a vida. A afinidade e empatia de um com o outro são inegáveis, mas Jackson é fraco, visto o ciúme demonstrado quando Ally começa a fazer sucesso. Neste ponto, novamente merece destaque a atitude da moça, que se mostra firme sem dar muito importância ao comportamento do namorado. Aliás, a química do casal é outro ponto forte do filme, revelando-se intensa sem ser melosa. Cooper ainda é hábil ao sugerir que, embora seu personagem considere-se um caso perdido devido à sua trajetória familiar e também por ter sido acostumado a ser cuidado pelos outros, a troca entre Jackson e Ally, com um cuidando do outro, é algo que faz bem para o seu personagem.

Interessante notar como a cor de cabelo de Gaga muda para um ruivo durante a projeção e depois volta ao normal, o que pode ser considerado como preservação da essência de uma personagem que manteve a simplicidade e a possível autenticidade mesmo apos toda a ascenção. Os figurinos também são relevantes ao sugerirem a mudança de status de Ally sem perder a coerência com seu jeito de ser, e inclusive a diferenciando da Lady Gaga cantora e performer a quem estamos acostumados.

As cenas de show focalizam sempre os protagonistas e o público, dando destaque às figuras humanas ao invés de todo o glamour ilusório da profissão, ao mesmo tempo em que o uso do vermelho sugere, simultaneamente, paixão e perigo. A luz vermelha, inclusive, exerce papel fundamental num dos mais belos momentos do filme, que corta de uma cena chocante focalizando várias vezes o som de um cinto para uma cena de palco, numa belíssima ligação dramática. Neste instante, a solidariedade do público dialoga com a verdade transmitida pela letra cantada.

Gostou da análise? Concorda? Discorda? Deixe seu comentário!

Siga-me nas redes sociais:

http://www.mundoasperger.com.br/

https://www.facebook.com/victormendoncaoficial/

https://www.instagram.com/victormendoncaoficial/

Por Victor Mendonça, em 20/10/2018 Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Régis Trigo 6.5
• Silvio Pilau 7.5
• Heitor Romero 8.0
• Marcelo Leme 7.0
• Cesar Castanha 9.0
• Léo Félix 8.0
•  Média 7.7
Notas - Usuários
7.8/10 (72 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Nasce uma Estrela
(A Star is Born, 2018)
 MAIS COMENTÁRIOS
• Brancaleone nas Cruzadas (1970), por Matheus Darswik
• O Incrível Exército de Brancaleone (1966), por Matheus Darswik
• De Repente, Califórnia (2007), por Cleber Eldridge
• Réquiem para um Sonho (2000), por Bersilionin Gonçalves Costa Junior
• Jovens Adultos (2011), por Felipe Galeno
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE