FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

O Segredo dos Seus Olhos

(Secreto de sus ojos, El, 2009)
Por André Oliveira de Araujo Ferreira Avaliação:                   9.5
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

Este comentário revela detalhes da história do filme.

Certa vez, um professor de Direito disse em uma aula na qual eu estava a seguinte frase: “O símbolo da Justiça é uma mulher cega com uma espada na mão. Vocês querem algo mais perigoso do que isso?”. Deixando de lado o caráter um tanto machista dessa colocação, podemos aqui assimilar algumas coisas sobre o papel da dita “Justiça” na nossa sociedade, especialmente quando se diz respeito às penas. E para que elas servem. Apesar de a resposta mais óbvia e sincera ser o seu caráter retributivo, desde sempre foram criados outros significados para as penas, sendo o mais célebre deles e de prevenção para futuros crimes, utilizando o delinquente em questão como um exemplo negativo, através de um doloroso castigo. Essa concepção é bem antiga, sendo que na Grécia Antiga já existia a lenda de Prometeu que, ao desafiar o deus Zeus, foi acorrentado para sempre pelo Senhor do Olimpo em uma pedra, onde um pássaro veio sempre para comer suas entranhas. Mas recentemente, foi criada a ideia da pena como um agente ressocializador, trazendo de volta o criminoso para a sociedade, para que ele possa lhe ser útil. Dessa forma todos sairiam ganhando com a pena. Pois, afinal, alguém ganha com o simples sofrimento de outrem que certa vez lhe fez mal? É disso que trata “O Segredo dos seus Olhos”, filme argentino de 2009 protagonizado por Ricardo Darín e Soledad Villamil.

Como ponto de partida da trama, temos a dupla de protagonistas Benjamin Espósito (Darín) e Irene Menéndez (Villamil), ambos trabalham em um Tribunal Criminal na capital argentina, tendo um difícil caso para solucionar: o estupro seguido de assassinato de uma bela jovem. Aqui vale uma observação boba, porém bonita. Apesar do título do filme fazer referência direta a um determinado método utilizado na investigação, vemos, no flashback, o primeiro encontro dos dois vê-se a diferença nos olhares de cada um. Ela tem olhar claros e grandes, que extravasam uma vivacidade, como se quisesse ter conhecimento de tudo ao seu redor. Enquanto ele tem olhos apertados, com as pálpebras pesadas, como se estivesse o tempo todo cansado. Esses detalhes resumem bem a personalidade de cada um e os conflitos que esse “casal” (o motivo das aspas está no fato de que nenhum deles chegou a demonstrar diretamente, ao menos no primeiro momento, o interesse pelo outro) viria a enfrentar.

A parte técnica do filme é competente o tempo todo, mas em duas sequências em especial ela se destaca. A primeira é a invasão à casa de uma velhinha, onde Espósito e seu amigo e colega Pablo buscam por pistas. O diretor Juan José Campenella abusa de uma fotografia belíssima, acompanhando suavemente o trabalho dos dois dentro da residência. A beleza aqui está tanto na iluminação em cada cômodo da casa, no modo como a luz reflete no chão, nas paredes, e nos próprios personagens, como no posicionamento da câmera, pegando, por exemplo, mais de um cômodo ao mesmo tempo, evidenciado essa diferença na iluminação. A outra cena é a famosa sequência do Estádio Tomas Adolfo Ducó, casa do tradicional time argentino Club Atlético Huracán. Aqui a câmera não é suave, mas frenética. Frenética como o sentimento dos torcedores no estádio. Frenética como a vontade de Espósito na sua perseguição ao suspeito. Frenético como a paixão que todo personagem desse filme guarda dentro de si, paixão essa que pode se manifestar de muitas formas: cantando e torcendo por seu time de futebol; bebendo de maneira compulsiva, mesmo tendo um bom emprego e uma boa via; passando anos sofrendo em silêncio por causa de um amor platônico pela sua chefe de trabalho; espancando, estuprando e matando sua antiga namorada, só para ter a sensação de possuí-la novamente; e, finalmente, alimentado dentro de si em sentimento incontrolável de vingança contra aquele que tirou o sentido da sua vida. Olhando assim, a paixão é algo bem negativo...

Perante a trama primária, que á a investigação do terrível crime, a trama secundária (a tensão amorosa entre Irena e Benjamin) pode parecer fraquinha e até uma pouco inútil para alguns. Mas ambas as tramas possuem um mesmo fim. Em um determinado momento, Benjamin diz a Irene “Como é possível viver uma vida vazia? Como é possível viver uma vida cheia de nada?”. Essa pergunta serve tanto para ele como para Morales, o esposo da jovem estuprada e morta. Ele quer Justiça, a qualquer custo. Mas que Justiça seria essa? Sua esposa pode voltar? Não. Então não pode mais existir Justiça para ele? Então, o que lhe resta? E aqui, os leitores veem que voltamos ao tema do primeiro parágrafo do texto. O vazio criado na vida desse pobre diabo foi tão grande, mas tão grande, que só há uma maneira de preenchê-la novamente. Substituindo o carinho diário que ele recebia da mulher com o sofrimento diário daquele que a tirou de seus braços. Essa é o real significado do caráter retributivo das penas: a satisfação de um sadismo coletivo. Preencher a dor do vazio dentro de nós com a dor daqueles que julgamos culpados. Isso é algo primitivo, por isso, está oculto dentro de nós e pode ser liberado a qualquer momento, de maneira instintiva, como no momento em que Benjamin agride o criminoso quando este bate em Irene. Mesmo imobilizado e caído no chão, ele não parava de agredi-lo. Precisava se satisfazer com o sofrimento dele.

Mas nem só se sofrimento alheio esse vazio pode ser preenchido. A vida de Benjamin era como sua máquina de escrever que não tinha a tecla “a”: faltava sempre alguma coisa. Ele parecia ter medo de encaixar isso que faltava na sua vida, assim como estava escrito “Temo” em uma nota. Esse é o segredo que ele guarda naqueles olhos cansados: a paixão por aqueles outros olhos grandes e belos. Basta só ter coragem em colocar a letra “a”, aquela mesma que faltava na sua máquina de escrever, no meio da maldita palavra “Temo”, para que não exista mais vazio em sua alma, nem em sua vida.

Por André Oliveira de Araujo Ferreira, em 17/06/2017 Avaliação:                   9.5
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 9.0
• Rodrigo Cunha 9.0
• Josiane Ka 9.0
• Régis Trigo 6.5
• Silvio Pilau 7.0
• Vlademir Lazo 5.0
• Heitor Romero 8.0
• Marcelo Leme 9.5
• Léo Félix 10.0
• Francisco Bandeira 9.0
•  Média 8.2
Notas - Usuários
8.5/10 (725 votos)
Top Usuários #96
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #002 De Volta Para o Futuro
• #001 Os Goonies
• #000 O Piloto
 LEIA TAMBÉM

 FICHA DO FILME

 Segredo dos Seus Olhos, O
(Secreto de sus ojos, El, 2009)
 MAIS COMENTÁRIOS
• Comentários deste filme
« anterior » todos (18) « próximo »
• Outros comentários
• Morango e Chocolate (1994), por walter arcela
• Os Miseráveis (1998), por Joao Marco Silva Batista
• Batman & Robin (1997), por Bruno Loureiro
• Terra em Transe (1967), por Luís F. Beloto Cabral
• A Reconquista (2000), por Bruno Loureiro
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE