FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
COMENTÁRIO

O Último Mestre do Ar

(Last Airbender, The, 2010)
Por Ailton Manso Avaliação:             6.5
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

Este comentário revela detalhes da história do filme.

O grande defeito desse filme talvez seja o seu diretor, pois não pode ter outra explicação. Como um filme simplesmente bom tenha sido tão massacrado pela crítica. A aparente ideia que tenho após ler diversas opiniões a respeito desse filme é que mais julgaram o diretor frente ao longa, do que a película em si, ou seja, devido a ele ter feito o sensacional “O sexto sentido”, não há nenhuma possibilidade dele fazer um filme, talvez, mais fraco ou simplesmente diferente. É aquela velha história, sempre irão comparar seus posteriores com seu primeiro e até o momento grande clássico, vai entender a crítica, mas vamos ao filme.

Dentre esses gêneros lançados ultimamente, e olha que já foram vários, desde A bussola de ouro, os dois filmes da franquia As crônicas de Nárnia, passando por Eragon e Peter Jackson e o ladrão de raios e alguns outros que não conseguiram fazer muito barulho, esse O último mestre do ar é o que conseguiu ter mais qualidades.

Baseado na série de desenhos animes Avatar: a lenda de Ang, O ultimo mestre do ar, retrata a história do garoto Ang, um dobrado de ar. Num mundo em que a Terra foi divida em quatro grandes nações e cada povo tinha a capacidade de dobrar os elementos principais da terra como água, fogo, ar e terra, existia uma figura lendária que nascia a cada geração com o poder de deter esses quatro elementos e fazer a ligação entre o mundo espiritual e o físico. Porém, devido a um motivo misterioso, o Avatar desapareceu, após isso, a Nação do fogo começou a tomar os outros reinos. Nesse mundo em guerra, ressurge Ang, o mais novo Avatar, que agora tem como missão aprender os outros três elementos e trazer o equilíbrio à terra novamente. Mas para isso tem que superar a perda do seu povo que foi massacrado pela Nação do fogo.

A sinopse, para quem não conhece ou viu o desenho, torna-se problemática, pois é muita informação para acompanhar e memorizar. Com um orçamento de 130 milhões, o longa tem derrapado feio nas bilheterias, fazendo com que o propósito de seu diretor não se concretize, que no caso é transformar essa história numa trilogia.

O longa possui alguns defeitos como o desenvolvimento da história de forma muito rápida, alguns personagens não mostram a que veio, sendo que apenas Ang e o vilão Príncipe Zuko conseguem expressar seus sentimentos, o roteiro é sofrível, em sua maioria, alguns diálogos parecem que foram feitos por crianças e a escolha do elenco não foi das melhores, mesmo após assistir ao filme, ainda tenho a impressão que o ator Jackson Rathbone que interpreta Sokka deveria ter ficado com o personagem do Príncipe Zuko devido as características físicas, mas tirando esses detalhes, o filme não é todo ruim, há alguns elementos interessantes que devem ser considerados.

Em relação as questões técnicas, os planos fechados foram bem usados, os efeitos especiais para a manipulação da água e terra foram bem consistentes, bem verdadeiros e a opção do diretor em eliminar as situações cômicas da história para apenas focar no drama e luto do Ang foi uma boa sacada, pois afinal, não tem como fazer piada num momento de guerra e após saber que toda sua família foi dizimada. Ao contrario do Dragon Ball que não respeitou em nada as características do desenho, aqui o diretor segue o ideal e coloca como Ang um garoto de 12 anos de idade. A questão espiritual foi amplamente colocada em pratica, os pensamentos orientais sobre um mundo regido por espíritos e sendo controlados pelo equilíbrio da vida foi usada extremamente em todo o longa, ponto para o diretor.

Na história, após Ang ser liberto nas geleiras, ele descobre que tudo mudou e não consegue compreender nada do que está acontecendo, sua família e sua tribo estão em extinção, tribos do Reino da terra e da água estão sob o controle da Nação do fogo, a prática da dobragem de elementos é proibida em toda terra, essa noção dele estar perdido num mundo que simplesmente desconhece foi muito bem colocada no filme e a sua dificuldade em manipular a água devido a seu próprio drama foi uma ideia genial para mostrar o quão ele está sofrendo.

O último mestre do ar não é apenas uma história de ação, mas introspectiva, sobre perdas, luto e superação, sobre como deixar os sentimentos de dor e raiva fluírem para que a vida possa assim continuar e nós fazermos o que é certo diante dos problemas. Essa é a temática desse primeiro longa, colocar a casa em ordem para depois tentar modificar o que está ao derredor, no caso de Ang, compreender e aceitar sua dor para depois tentar mudar essa situação.

Se esse filme terá uma trilogia, é difícil dizer, mas ao final deixou uma bela cena de continuação com a apresentação da irmã de Zuko, uma garota extremamente violenta, obsessiva e perigosa que não poupa vidas e enfrentará o irmão a todo o custo. Se a ideia for mantida, o próximo filme será intitulado de Livro 2: o Reino da Terra, com a queda desse reino para a Nação do fogo e por fim Livro 3: a Nação do Fogo, retratando toda a mitologia desse personagem, então sendo assim, espero que de certo.

Por Ailton Manso, em 29/08/2010 Avaliação:             6.5
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 6.0
• Rodrigo Cunha 5.0
• Silvio Pilau 4.0
• Vlademir Lazo 7.5
• Heitor Romero 1.0
•  Média 4.7
Notas - Usuários
4.7 (307 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
 
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Último Mestre do Ar, O
(Last Airbender, The, 2010)
 MAIS COMENTÁRIOS
• Comentários deste filme
« anterior » todos (14) « próximo »
• Outros comentários
• O Lobo Atrás da Porta (2013), por Patrick Corrêa
• Frank (2014), por Patrick Corrêa
• O Procurado (2008), por Pedro H. S. Lubschinski
• Garotos Incríveis (2000), por Lucas Souza
• 8 Mile - Rua das Ilusões (2002), por Lucas Souza
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2014) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
MAPA DO SITE
ANUNCIE CONOSCO