FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

Seventh Code

(Sebunsu kôdo, 2013)
Por André Vidazinha Avaliação:                   9.0
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

Um dos diretores japoneses mais aclamados da atualidade, Kiyoshi Kurosawa resolveu simplificar uma ideia e a transpor em 60 minutos. Com uma bagagem respeitável nas costas, o diretor pareceu querer se reservar aqui e realizar um ''pequeno filme'', sem grandes pretensões; em contrapartida, o resultado saiu muito acima do esperado, inclusive pelo próprio Kurosawa. A simplicidade em contar a trama é a chave para o bom andamento deste média; alinhada à um constante clima de suspense, que nos deixa esperançosos à todo momento.

A película narra a ida de uma viajante chinesa à Rússia; esta encontra-se à procura de um japonês que conheceu em um jantar. Aliás, não é bem uma ''procura'' e sim uma caça ao indivíduo. Partindo deste ponto, imagina-se que a garota estrangeira está apaixonada pelo homem; uma paixão desesperadora que contrareia qualquer dúvida à respeito disto. Ao andar da carruagem, fazemos diversas descobertas em torno desta suposta ''obsessão platônica''. E este acaba sendo o maior trunfo da narrativa, pois à cada minuto que se passa de projeção é um enganamento a mais que vem à tona; somos pegos de surpresa com revelações imprevisíveis; e que nos fazem sentir cada vez mais vontade de desbravar os segredos que ainda restam na trama. É uma capacidade incrível que Kurosawa possui aqui: de nos entreter em um tempo reduzido com uma história maravilhosamente reviravoltesca.

Conhecendo devidamente os problemas políticos que a nação russa enfrenta, Kurosawa dá a ideia de que o seu filme se passa em uma terra de leis extraviadas. Um terreno onde pode-se facilmente realizar encontros criminosos sem que o Governo imponha seu poder contra as milícias espalhadas por seu vasto território. Além disso, retrata também a dificuldade que as famílias russas têm de se desprenderem dos antigos costumes socialistas; evidencia o preço alto que custa para abrir uma empresa e fazer com que o negócio renda. Ainda mais em uma região tão distópica do centro comercial global como é Vladivostok. A ambientação climática fria da cidade parece estar igualmente presente na personalidade de seus cidadãos, tachados aqui como rudes; embora em certos momentos o diretor nos passe a ideia de que o povo russo possui na verdade uma atitude interesseira, como visto na cena final.

Mais do que as passagens reveladoras, este média-metragem ainda apresenta argumentos sobre o ambicionismo capitalista. Em algumas cenas, Kurosawa escreve diálogos que nos levam à refletir sobre as ambições que possuímos na vida; e até aonde elas podem nos ajudar a nos libertarmos financeiramente e nos tornarmos totalmente independentes do dinheiro de pessoas próximas. Contrastando sempre a falta de competitividade dos russos ante à rapidez e agilidade dos japoneses. Afinal, quem nunca teve a audácia de querer ser milionário? Esta felicidade proporcionada pela possessão de dinheiro consequentemente nos dá poder. E a última frase é simplificada de forma bela no filme através de uma canção cantada pela própria protagonista.

Uma rápida porém muito satisfatória história contada por um veterano do cenário oriental, ''Seventh Code'' é um trabalho que merecia um abraço maior tanto da crítica quanto do público em geral, pois não é qualquer filme que consegue ser tão direto e encantador em tão pouco tempo. Arrisco dizer que está entre as 10 melhores obras audiovisuais produzidas em 2013; e, depois desta magnífica experiência, já estou à espera de novos trabalhos de Kurosawa, um grande realizador que consegue manter sua regularidade apesar de já estar há um bom tempo na indústria cinematográfica.

Por André Vidazinha, em 14/10/2014 Avaliação:                   9.0
Notas - Equipe
• Daniel Dalpizzolo 8.5
•  Média 8.5
Notas - Usuários
6.7/10 (21 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (2)
Por Diogo Serafim, em 06/11/2014 | 23:55:54 h
filmaço!
Por Anderson de Souza , em 06/11/2014 | 22:37:32 h
Discordo de bastante coisa. E não consegui ver tudo isso que vc elogiou. No entanto, seu parágrafo no meio ficou ótimo, deve ser a parte que mais concordo.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE