FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
COMENTÁRIO

Trolls

(Trolls, 2016)
Por rodrigo alfredo pereira costa Avaliação:         4.5
Este comentário é recomendado pela equipe Cineplayers.

Um filme encantador, porém inocente demais. Assim posso definir Trolls, um filme que consegue agradar (principalmente as crianças) com suas cores, uma ótima seleção de músicas e personagens fofos, mas cuja história não possui uma profundidade a mais do que o velho “todos podemos ser felizes agora, mesmo que há um momento atrás tenhamos nos odiado”.

Mas Trolls é basicamente isso? Uma cortina de cores, música e dança contagiante? Sim, essa é a essência dele. É claro que as músicas (que não são poucas) conseguem contagiar graças ao apelo que elas possuem ao público, porém só servem para adornar uma história simples (simplicidade na verdade é a regra por aqui) que demora um pouco a engrenar e não empolga da forma que deveria (as crianças talvez sim, os adultos nem tanto).

É claro que existem sequências tocantes como a nova roupagem dada para a música “True Colors” que combina perfeitamente com o momento, e é possivelmente a melhor sequência do filme. A dupla principal Poppy e Tronco tem uma sintonia formidável é claro, mas os outros personagens que deveriam ser “a trupe” do filme, não ganham um destaque merecido em tela, servindo como piadas coadjuvantes em raras ocasiões, que por vezes funcionam e outras apenas abrem um sorriso de canto de boca. E a vilã… sem comentários tanto para sua motivação (que é clichê ao extremo) e para seu final (totalmente previsível).

No saldo final, Trolls cumpre seu papel com o público infantil sendo fofo, colorido e agitado, ganhando pontos com uma boa escolha de canções, mas pecando em um roteiro raso e sem grandes ambições.

Ps.: Vale ressaltar que a canção indicada ao oscar “Can't Stop the Felling” encaixa no contexto em que é usada, deixando um ar de good fellings ao filme e seu espectador.

Por rodrigo alfredo pereira costa, em 10/04/2017 Avaliação:         4.5
Notas - Equipe
• Régis Trigo 5.0
• Bernardo D.I. Brum 4.5
•  Média 4.8
Notas - Usuários
5.8/10 (31 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Cineplayers não se responsabiliza pelo conteúdo deste comentário. Ajude-nos a manter a integridade do conteúdo. Se você tiver provas de cópia ou plágio do texto, entre em contato conosco, denunciando (passe o link do material original).
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE