FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

A Casa do Medo: Incidente em Ghostland

(Ghostland, 2018)
Por Bernardo D.I. Brum Avaliação:         4.0
Um passeio no trem fantasma tão explícito quanto morno

O francês Pascal Laugier chamou a atenção para si no cenário internacional de cinema em 2008, com seu segundo longa-metragem Martyrs. Em meio à moda do torture porn iniciada por Eli Roth em O Albergue em 2005, o diretor foi um dos que chamaram a atenção para a França com filmes que recusaram a avacalhação e o humor negro de Roth e produziu um filme sério, sombrio e extremamente gráfico desde o início. O filme carimbou seu passaporte para o mercado internacional, dirigindo O Homem das Sombras em 2012, onde dirigiu Jessica Biel em um filme elogiado pela ambientação e criticado pelo roteiro. Nas bilheterias, também não se saiu bem: contra os 18 milhões de dólares do orçamento, o filme só fez pouco mais de 5 milhões de dólares.

Seis anos depois, Laugier entrega seu novo A Casa do Medo: Incidente em Ghostland, longa tradução brasileira do original Ghostland. E em relação a Martyrs, dá para ver que seu cinema ficou estacionado no controverso filme, não fazendo nada além de repetir os cacoetes de dez anos atrás.

No filme, vemos a história de Beth, que se muda com sua irmã Vera e sua mãe Pauline para uma antiga casa herdada da tia-avó. Já na primeira noite, o lugar é invadido por uma dupla de maníacos que quase matam Pauline, que acaba conseguindo dar cabo dos dois, mas a um preço: anos depois, quando Beth se tornou uma escritora de sucesso, se vê obrigado a visitar a família e chegar às raízes do trauma que perturba a irmã mesmo depois de tantos anos.

Laugier ainda é consciente do horror físico que chamou os holofotes para si. Ainda que se renda a alguns sustos, boa parte do filme é dedicada à repulsa ao toque e às consequências do abuso físico. Não ajuda muito, porém, que grande parte desse horror seja perpetrado por dois vilões completamente estereotipados, estereótipos ambulantes de filmes do gênero, o que pouco a pouco joga por terra qualquer suspensão de descrença.

O filme guarda em si um plot twist que, se de certa maneira é bem conceituado em sua tentativa de demonstrar as sequelas causadas por traumas, mas que também poderia ser melhor trabalhado. As melhores reviravoltas de roteiro guardam em si a possibilidade de ressignificar uma história e trazer elementos comuns sob uma nova luz, mas em Ghostland ele entra cedo demais, criando praticamente um segundo filme a partir do momento onde é estabelecido. Não ajuda nada também resgatar os elementos anteriores como uma subtrama à parte sobre superação, perdida em sequências oníricas carregadas de didatismo e explanação.

O fato é que Ghostland é Laugier à sombra de Martyrs, onde o diretor compete com uma obra do passado sem muito a oferecer além do tradicional choque estético que o próprio já entregou com um resultado mais bem resolvido. Aqui ele aposta em falsas catarses e escapadas falsas o tempo todo, reciclando truques já estabelecidos de sua própria carreira, e pior, dentro da própria narrativa, que se torna previsível e redundante.

Assim, sem muito a apresentar, A Casa do Medo: Incidente em Ghostland é Laugier fazendo a mesma coisa - e pior. Com seu carnaval de cenografia e figurinos com gigantes monstruosos, bruxas andróginas e bonecas esquisitas, é um passeio um pouco mais explícito no trem-fantasma, com algumas referências gratuitas aos universos e personas de Stephen King e H.P. Lovecraft no meio do caminho. Se ele sempre foi capaz de apresentar apenas isso ou foi a hiper-exposição e subsequente queda que lhe fez requentar o mesmo prato, difícil dizer, mas é um retrato bem simbólico de como a “Nova Extremidade Francesa” logo foi assimilada pela indústria e logo perdeu força e ineditismo. Certamente vale a pena ir procurar outros cinemas e novas reformulações de gênero, já que em meio à exaltação e controvérsia do post-horror, Laugier e sua geração já não apresentam mais frescor nenhum.

P.S.: A atriz Taylor Hickson foi desfigurada por irresponsabilidade da produção, quando disseram ser seguro protagonizar uma cena onde batia em vidro, sem uso de dublês ou materiais cenográficos. A produtora foi processada mas o filme foi lançado mesmo assim. Com consciência disso, o site condena a má conduta da produção e adverte que assistir ou não fica por decisão do espectador.
Por Bernardo D.I. Brum, em 09/04/2019
Avaliação:         4.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 5.0
• Bernardo D.I. Brum 4.0
•  Média 4.5
Notas - Usuários
5.3/10 (19 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#69 Indicados ao Oscar 2019
#68 Creed II
#67 Vidro
#66 Homem-Aranha no Aranhaverso
#65 WiFi Ralph e O Retorno de Mary Poppins
#64 Melhores Filmes de 2018
#63 Duro de Matar
#62 Roma
#61 O Senhor dos Anéis
#60 Scarface
#59 Infiltrado na Klan
#58 Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald
#57 O Legado de Stan Lee
#56 O Roteiro de Cinema
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Casa do Medo: Incidente em Ghostland, A
(Ghostland, 2018)
• Direção:
- Pascal Laugier
• Elenco Principal:
- Crystal Reed
- Anastasia Phillips
- Emilia Jones
• Sinopse: Pauline herdou uma casa de sua tia e vai morar lá com suas filhas Beth e Vera. Logo na primeira noite são atacadas por invasores e Pauline passa por situações terríveis para salvar suas filhas. Dezesseis anos depois, Beth e Vera, agora adultas, volta...
 FILMES RELACIONADOS
• Martyrs
• O Homem das Sombras
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE
Apoiadores
Promobit: O site para encontrar aquela promoção imperdível