FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS HOME CINEMA TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
CRÍTICA

A Fantástica Fábrica de Chocolate

(Charlie and the Chocolate Factory, 2005)
Por Alexandre Koball Avaliação:           5.0
Um filme que prometia mas chegou decepcionando. Depp dá um Wonka burocrático e Charlie é um personagem totalmente subdesenvolvido.

O objetivo de Tim Burton com o lançamento desta nova versão de A Fantástica Fábrica de Chocolate foi o de se manter mais fiel ao material original do que o filme de 1971 - obra-prima de Mel Stuart, um dos melhores e mais bizarros filmes infanto-juvenis já lançados. Sendo assim, pode-se assistir, ao longo da produção, várias passagens diferentes em relação àquele filme. O objetivo desta análise, contudo, não é o de comparar os dois filmes - pelo menos não a fundo - então atenhamo-nos ao essencial: a visão Burtiniana sobre o menino que realizou seu sonho e conheceu por dentro a mais fantástica fábrica de doces do mundo.

O trabalho tem a cara de Tim Burton. O seu estilo visual é evidente em praticamente todas as cenas - desde a choupana paupérrima, caída para o lado, onde vive Charlie e sua família, até os apetrechos - óculos, por exemplo - que os personagens utilizam. O visual recria muitas facetas de uma de suas obras-primas, Edward: Mãos de Tesoura. Não é um filme alegre, é um trabalho obscuro, com um Willy Wonka de comportamento esquisito - não um alegre confeiteiro como as crianças poderiam esperar.

As crianças premiadas para fazer uma visita à sua fábrica - depois de anos fechada para evitar que espiões levassem suas maravilhosas criações para as fábricas de seus concorrentes - também são todas estereótipos: existe a metida, a que só pensa em chiclete, o gorducho que só pensa em comer, a viciada em televisão e videogames e, claro, a quietinha e humilde. Esta última é Charlie (Freddie Highmore, que já trabalhou com Johnny Depp em Em Busca da Terra do Nunca). É com Charlie que os problemas do filme começam a ficar evidentes. Vamos entrar neles, então...

Charlie é a figura central do filme - não Wonka. O título original do filme é seu, não de Wonka. Porém, durante todo o filme, não conhecemos os sonhos, os desejos, os sentimentos, não é possível aprofundar-se muito em relação ao personagem. A interpretação do garoto, portanto, aparenta ter sido ruim. Mas na realidade ela não teve, em momento algum, chance de ser boa. O roteiro simplesmente menospreza sua - teoricamente - figura central quase que o tempo todo.

O ato inicial do filme é todo incrivelmente subdesenvolvido. Burton parece querer correr contra o tempo para nos apresentar logo Willy Wonka, e mostrar - daí sim - as bizarrices que todos seus espectadores esperam dele. A cena de introdução ao seu personagem (não o flashback inicial) é a melhor de todo o filme. Um musical obscuro sobre sua pessoa. Ele dirá mais do que o resto do filme todo sobre o seu personagem. A partir daí, o que vê-se é um amontoado de cenas que tentam encantar (e aí fica complicado não comparar com o filme inicial, dedicarei um parágrafo apenas - garanto que é só um - mais para a frente, portanto), mas não passam de divertidos e coloridos quadros que de forma nenhuma farão as pessoas importarem-se com seus personagens, principalmente Charlie, que não consegue passar simpatia pela sua situação em momento algum - o que é o grande ponto negativo do filme.

Danny Elfman parece, em sua trilha sonora, repetir-se novamente (já o tinha feito, de certa forma, em Peixe Grande, recentemente) com o clima de Edward: Mãos de Tesoura. É uma ótima trilha sonora, apenas não é inspiradíssima como já foi em muitas ocasiões ou nem muito original. Outros personagens importantes do filme, os Oompa Loompas, não têm muita personalidade, e suas músicas - modernizadas e muito estilizadas - são, com exceção da última, também sem grande inspiração e nada memoráveis.

Johnny Depp faz um trabalho de grandes caras, mas não consegue criar, também, um personagem memorável (novamente fica difícil aqui NÃO citar o filme de 1971). Uma mistura de arrogância com desleixo marca seu personagem, mas sem um momento sequer de superação, e a sub-trama envolvendo seu pai (Christopher Lee, sempre marcante na tela) é, no máximo, chata. Não é um mau trabalho, de forma alguma, é bom deixar claro.

Em relação ao filme original, fica a saudade dos velhos e simples efeitos especiais (os deste novo trabalho são em um número muito grande e por vezes ficaram muito evidentes, tirando o brilho de algumas cenas), das músicas muito melhores dos Oompa Loompas, do primeiro ato, que cria uma relação de amizade entre o público e Charlie e, claro, de Gene Wilder, que fez um Wonka incrivelmente superior - mas ele era um gênio do gênero, e não esperava que Depp o superasse, de forma alguma.

A nova Fábrica chega aos cinemas trazendo muita diversão - seus quadros continuam divertidos e as situações "engraçadinhas". Alguns momentos mais obscuros fazem valer o seu tempo, porém, num todo, é um filme de personagens fracos, trama sem aprofundamento nenhum e momentos - muitos deles - simplesmente chatos. Não chega nem a ser um bom filme. Tim Burton já conseguiu convencer muito mais.

Por Alexandre Koball, em 23/07/2005 Avaliação:           5.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 5.0
• Daniel Dalpizzolo 6.5
• Rodrigo Cunha 5.0
• Régis Trigo 4.5
• Demetrius Caesar 5.5
• Silvio Pilau 9.0
• Vlademir Lazo 8.0
• Heitor Romero 7.5
•  Média 6.4
Notas - Usuários
7.0 (880 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões
Comente no Cineplayers (1)
Por Cristian Diego Oliveira Bruno, em 26/11/2013 | 15:32:04 h
Sou fã de Burton e de Depp, mas aqui ficaram devendo. Ficou muito Pop.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Fantástica Fábrica de Chocolate, A
(Charlie and the Chocolate Factory, 2005)
• Direção:
- Tim Burton
• Elenco Principal:
- Johnny Depp
- Freddie Highmore
- David Kelly
• Sinopse: Um grupo de crianças vence o concurso das barras de chocolate Wonka e tem acesso à misteriosa, mágica e fantástica fábrica de chocolate, onde segredos bizarros da fabricação do produto estavam até então trancafiados a sete chaves. Uma nova visão sobr...
 FILMES RELACIONADOS
• Em Busca da Terra do Nunca
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2014) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
MAPA DO SITE
ANUNCIE CONOSCO