FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

A Imagem que Falta

(L'Image Manquante, 2013)
Por Daniel Dalpizzolo Avaliação:               7.0
O horror além do filme.

As recentes manifestações sociais nas ruas do Brasil e seus desdobramentos levantam, entre tantos tópicos de maior importância, uma pertinente discussão sobre a intervenção da câmera no mundo – especialmente em sua atual condição de acesso democratizado, com a abundância de produtos que contém este dispositivo em custo acessível para boa parte da classe consumidora. Antes de seus fundamentos artísticos, que a integram à lista de invenções com as quais o homem reconstitui sua própria realidade (com início nas pedras lascadas, passando por pincéis, instrumentos diversos ou o próprio corpo), encontramos pela câmera cinematográfica uma crueza que é possível somente nela; um olhar frontal e implacável para o que move o mundo, ou o que se movimenta através ele.

Estejam na televisão ou na internet, sejam de um aparelho celular de R$ 20 reais ou de uma câmera de R$ 50 mil, o que não se pode questionar é, substancialmente, a força que a existência destas imagens demonstra a cada ocorrido – nos que se passaram e nos que ainda se sustentam em algumas cidades do país, onde civis, movimentos organizados e classes políticas buscam, cada qual, lutar por suas verdades. Se, como as manifestações de arte anteriores ou posteriores às invenções modernas, a câmera de cinema sempre estará suscetível a todo tipo de manipulação, é neste instante uma preocupação de segunda ordem. À parte de qualquer fundamento moral, do cinismo e da política, cabe aqui, inicialmente, mencioná-la em sua condição mais intrínseca; afinal, ao que dela não escapa, ao que se permite preservar através dela para o futuro, permanecerá a incontornável existência do registro.

Chegando a este ponto futuro, o retorno ao passado pode nos mostrar que, enquanto não existir a câmera, faltarão imagens e visões e, portanto, também poderão faltar verdades. É desta ausência que parte o documentário A Imagem Que Falta (L’Image Manquante, 2013), do cambojano Rithy Pahn, que com base no livro L’Emination, de Christophe Bataille, desdobra-se para viabilizar maneiras de apresentar ao público um dos mais traumáticos episódios da história do Camboja: o genocídio popular durante a gestão Khmer, na década de 1970, quando mais de 2 milhões de pessoas (incluindo a família do diretor, ainda em sua infância) foram mortas em decorrência das precárias condições de vida do país durante o malfadado regime comunista de 75-79.

Temos em A Imagem Que Falta uma questão primordial que conduz o filme: como retornar à história e projetá-la em tela sem um acervo de imagens para sustentá-la. A opção de Pahn é contornar este vazio através de uma operação que integra ao cinema outra perspectiva narrativa de forte poder de reflexão, promovendo uma imersão neste passado por meio da reinvenção. Se o ato de reencenar raramente é integrado à técnica documental, este e outro impressionante filme do Festival do Rio 2013, O Ato de Matar (The Act of Killing, 2013), nos mostram que também existem vias para se retornar a um passado recente ignorado pelas câmeras – ou ocultado delas – através da reconstituição da arte, em duas operações que procuram, com maior ou menor precisão, ressuscitar horrores da história do século XX.

Para dar corpo a esta operação, Pahn apresenta uma minuciosa composição de ações com bonecos de argila, que reproduzem situações do período de quatro anos em que o país esteve submetido ao regime Khmer. O voice over que costura a narrativa não esconde o caráter pessoal do filme, projetado em torno de lembranças e da angústia com a qual Pahn, cuja juventude o manteve diretamente envolvido com o cinema do país (produção restrita a estúdios cinematográficos e à narrativa de ficção), retorna a esta história. O diretor apresenta-se sem receios como sobrevivente e ao mesmo tempo vítima da tragédia e busca impor sua visão particular para discutir as condições socioeconômicas e políticas do período e suas inflexões na vida e na morte dos cambojanos. 

Em meio às reconstituições, as poucas imagens de arquivo descobertas pelo cineasta durante seus anos de pesquisa permitem que se acessem alguns registros impressionantes da vida daquele período (as mais intensas guardadas cuidadosamente para o ato final) – e, nos abismos e sobressaltos, que se imagine o que de pior aconteceu distante do olhar da câmera. É nestes vazios que o filme encontra um impacto duro e se impõe sobre sua própria capacidade de retomar a história através da arte – que, apesar de interessante em alguns momentos, supera em poucas sequências a sombra do que não é mostrado. Ao final, enquanto vemos um boneco ser coberto de terra durante a encenação de um enterro, a falta dessas imagens provoca uma estranha e contraditória sensação de lamento pelo que não se pôde registrar – e até mesmo alterar – na história com a ausência da câmera e de conforto por, sem ela, sermos poupados de confrontar o pior horror.

Por Daniel Dalpizzolo, em 01/10/2013
Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Daniel Dalpizzolo 7.0
• Régis Trigo 7.5
•  Média 7.3
Notas - Usuários
7.8/10 (40 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Imagem que Falta, A
(L'Image Manquante, 2013)
• Direção:
- Rithy Panh
• Elenco Principal:
- Randal Douc
• Sinopse: Documentário sobre os anos de terror na época que o Camboja foi governado pelo Khmer Vermelho. Representante do Camboja no Oscar 2013.
 FILMES RELACIONADOS
• O Ato de Matar
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE