FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
CRÍTICA

A Vida dos Peixes

(La vida de los peces, 2010)
Por Marcelo Leme Avaliação:               7.0
Entre tempos e amores.

A vida dos Peixes (La vida de los peces, 2010) refere-se ao distanciamento, ao deslocamento, ao afastamento das origens. Refere-se à lembrança, aos elos, à saudade. O filme é um drama romântico chileno que trata as conjunturas cotidianas da vida, bem como reflete o que temos de abrir mão para ser feliz; ou nos convencer através de uma fantasia de que algumas escolhas, de fato, são para nosso bem. No entanto, algumas coisas são inesquecíveis e irrevogáveis. Durante uma festa, o desencadeamento de lembranças refaz passos e desorienta, é o que acomete Andrés (Santiago Cabrera), chileno morador de Berlim. Ele é funcionário de uma revista de turismo, o que lhe obriga a ficar muito tempo fora, lhe impossibilitando vínculos mais estreitos. Como peixes presos num reservatório constatando limitações de uma vida imutável pelas circunstâncias, o filme simboliza o dia a dia de seu protagonista turista transitando sobre próprias emoções.

Sua vida passageira lhe traz prejuízos. Resiste a um vazio existencial que outrora não sentia, e percebe tal incômodo quando revê velhos amigos, alguns casados, outros almejando sedentos seu posto, causando uma inversão de valores na narrativa, sempre muito bem conduzida pelo diretor Matías Bize. O tempo, ao final, não parece ser um bom amigo do protagonista. Este guardou lembranças não concretizadas, o que lhe acarreta introspecção – percebemos Santiago Cabrera  representar isso muito bem –, e passa a procurar idealizar em silêncio como seria se tivesse seguido outro rumo, percebendo-se sozinho diante um ciclo de novidades românticas que levou uma década para testemunhar. Soma-se a esse desalento a lembrança de um amor abandonado, Beatriz (Blanca Lewin), que ainda lhe sufoca.

E são ótimos os momentos nos quais Andrés divaga questões de crianças durante um jogo de vídeo-game; outro interessante momento ocorre quando ele encontra a jovem Carolina (María Gracia Omegna), menina que vira pela última vez quando esta ainda era criança. É uma cena que abre perspectivas do tempo e suas ações. A percepção de escolhas enobrece o longa. Como poderia este protagonista, ao seu modo, orgulhar-se de uma profissão que lhe acarreta solidão embora proporcione luxo e mulheres? Essa impressão melancólica, realçada pela fotografia cheia de cores, trilha pulsante e luzes cintilantes manifesta realidades quase insuportáveis, denunciando a covardia diante a possibilidade custosa de mudar. A trajetória da história se inclina em repetições, algo que a paixão súbita ocasiona naturalmente sobre qualquer um.

Passado quase que inteiramente num único local, o filme é narrado vagarosamente e tem força nos bons diálogos evocativos, com Andrés abraçando tempos enquanto caminha por corredores e aposentos encontrando pessoas que outrora fizeram parte de seu passado. O núcleo da narrativa se vincula à memória. Sensorial e equilibrado emocionalmente – não há excessos na exploração sentimental dos personagens  –, o filme de Matías Bize nos sensibiliza pelo apresso reconfortante de seus bons diálogos e seguras atuações, essas são ao menos o bastante pra compor um universo de significados indizíveis através de olhares e expressões. Possibilidades ficam em aberto, o público completa como crê, em sintonia com a atmosfera coesa e delicadamente desenvolvida por Bize.

Por Marcelo Leme, em 11/08/2012 Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Marcelo Leme 7.0
•  Média 7.0
Notas - Usuários
7.5 (14 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (4)
Por Júnior Souza, em 11/08/2012 | 22:04:43 h
Marcelo sempre mandando bem com as palavras.
Por Patrick Corrêa , em 11/08/2012 | 19:49:39 h
Esse filme é incrível, me arrebatou e eu gostei muito mais que o Marcelo.
Finalmente alguém da equipe escreveu sobre ele.
Por Marcelo Leme, em 11/08/2012 | 19:21:21 h
Que bom que gostou, Marcus!
Por Marcus Almeida, em 11/08/2012 | 18:03:22 h
Bom texto, o que eu gosto no Leme é que ele balanceia entre críticas pra blockbusters e filmes mais desconhecidos.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Vida dos Peixes, A
(La vida de los peces, 2010)
• Direção:
- Matías Bize
• Elenco Principal:
- Santiago Cabrera
- Blanca Lewin
- Antonia Zegers
• Sinopse: Andrés vive na Alemanha há dez anos. Ele trabalha em uma revista de turismo e, por isso, está constantemente viajando, acabando por manter uma vida solitária, sem criar muitos laços. Antes de se instalar em Berlim definitivamente, ele decide fazer um...
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2014) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
MAPA DO SITE
ANUNCIE CONOSCO