FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

O Artista do Desastre

(Disaster Artist, The, 2017)
Por Bernardo D.I. Brum Avaliação:                 8.0
Uma comédia-enigma.
imagem de O Artista do Desastre
A primeira cena do filme de James Franco já mostra que, apesar da intensa pesquisa realizada pelo ator e diretor, ele jamais conseguiu desvendar o enigma Tommy Wiseau: durante uma aula de teatro em que Greg Sestero recebe pesadas críticas por uma atuação insegura e vacilante, uma figura oferece para uma performance de Um Bonde Chamado Desejo. A câmera o segue de costas, filma detalhes e se segura em mostrar o rosto… E o que se segue é um momento de puro embaraço, enquanto Wiseau se contorce gritando “Stella”. Olhares cruzados, risos amarelos… E o homem de longos cabelos e sotaque estranho vai embora, uma vez que tudo aquilo passa: ninguém sabe quem é, de onde veio, para onde está indo.

Tommy Wiseau tornou-se O Artista do Desastre do título ao escrever, produzir, dirigir e atuar em 2003 no filme The Room, que tornaria-se conhecido como o pior filme de todos os tempos. Dramalhão sem noção repleto de atuações exageradas, diálogos sem noção e uma história completamente incoerente, é a história do bem-sucedido Johnny e a dupla traição que sofre da esposa Lisa e o melhor amigo Mark. 

Sem contato nenhum na indústria e com um passado desconhecido, Wiseau tirou dinheiro sabe-se lá de onde para comprar equipamentos, contratar equipe e atores e produzir um filme orçado em alguns milhões de dólares. E o resto, como dizem, é história: tornou-se um filme evento dos midnight movies, com fãs da obra assistindo sessões trajados como seus personagens favoritos e gritando empolgados com os momentos mais icônicos.

E uma história que James Franco não entende, e por isso a coloca aos olhos de Dave Franco, que interpreta Greg Sestero, o ator que conheceu Tommy Wiseau, compartilhou sua paixão por James Dean e se mudou com o mesmo para Hollywood para ver se vingava no cinema. Sestero nunca soube várias informações mais básicas de Wiseau: seu país de origem, seu trabalho que financiava o filme, quantos anos tinha. Mas, por muito tempo, foi um dos maiores defensores do amigo e seu gênio tempestuoso - e mesmo após muitas brigas, ainda o é. Como o filme mostra, The Room foi a tentativa dos dois alcançarem notoriedade após várias recusas. 

O Artista do Desastre é um buddy movie tão esquisito e fascinante quanto a figura na qual se inspira. Enquanto Greg Sestero tenta levar uma vida normal, namorar, atuar em outros trabalhos, Tommy Wiseau cresce em sua megalomania no comando de The Room: maltrata e demite atores e equipe a torto e a direito, discute aos berros na frente de todos e performa Johnny à sua maneira peculiar, rindo de relatos sérios, filmando longas sequências de cenas que pouco significam para a trama, e contorcendo-se e gemendo de maneira grotesca para representar o sofrimento do alter-ego. 

Ninguém está entendendo nada e, entre os momentos desgastantes, a equipe conversa entre si sobre de onde Johnny tiraria dinheiro ou de onde teria tirado os personagens de The Room. E no final das contas, ninguém sabe de nada além do superficial: aquele estranho homem quer fazer cinema não importa como. 

Essa paixão é compartilhada por James Franco, que a certo ponto parece identificar-se com Wiseau. Conhecido por interpretar Harry Osborn em Homem-Aranha e o Doutor William Rodman em Planeta dos Macacos: A Origem, além de sua parceria com os membros do “clã Seth Rogen” em filmes como Segurando as Pontas, James Franco também investe pesado em produções independentes, já tendo dirigido e protagonizado uma das adaptações do clássico literário de William Faulkner O Som e a Fúria. Com diferentes resultados em seus muitos projetos pessoais, todos eles geralmente também transbordam o entusiasmo que vemos em O Artista do Desastre

Entusiasmo específico esse, é verdade; o espectador que procurar as respostas do enigma Wiseau irá se frustrar; boa parte de O Artista do Desastre se divide nos muito fragmentos da loucura do homem a quem frequentemente é sugerido em mais de uma cena interpretar um vilão, mas convence a si mesmo que está cercado de monstros e traidores. Como mostra a cena em que Tommy e Greg encenam no bar, os risos de estranheza não são capazes de parar Wiseau, nem sua falta de conhecimento cinematográfico e dramatúrgico elementar ou mesmo perder todos à sua volta - se ele quer fazer um filme, ele vai fazer um filme. Ponto final.

O Artista do Desastre não é um Ed Wood. Não possui nem de longe a mesma ambição estética neogótica de Tim Burton, a plasticidade dos travellings e a atuação tragicômica à beira do expressionismo. Se categorizar for o caso, é sim mais aproximado do que o próprio Franco, Seth Rogen, Judd Appatow, Danny McBride e outros nos entregaram desde o início da década de 2000: comédias principalmente verbais, onde até absurdos físicos tornam-se naturais frente à intensa troca de palavras. 

Todos lembramos desses momentos particulares, e aqui temos mais um deles: Wiseau nu em frente à equipe, irritado com as críticas; a câmera acostumada ao artista oculto da primeira cena balança, dá zoom, circula o ambiente, acompanha reações, pula de jump-cut em jump-cut. Sestero tenta intervir mas acaba tendo que gritar também. O refinamento do “clã Rogen” e suas comédias que primam pelo embaraço cria um filme orgulhosamente incapaz de entender seu protagonista além da motivação incontornável: todas as cenas voltam ao ponto inicial.

O charme de O Artista do Desastre é esse homem que queria notoriedade a qualquer custo. Se não conseguiu arrancar lágrimas e ao invés disso arrancou risos, para ele tanto fez. Dentro de sua mente megalomaníaca, chamou atenção o suficiente com um filme tão ruim que teve até que virar filme, com um dos mais singulares e excêntricos da nova geração mostrando que pode até ser um diretor bastante convencional, que pode até ser acusado de esquemático em sua narrativa visual, mas é um narrador no mínimo diferente para administrar de maneira dramática uma bizarrice tão hilária. E que encarna cada pequeno tique da figura original com uma devoção que só daqueles que amam cinema demais, seja bom ou ruim, conseguem transparecer.
Por Bernardo D.I. Brum, em 18/01/2018
Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 7.0
• Daniel Dalpizzolo 3.0
• Silvio Pilau 8.0
• Marcelo Leme 7.0
• Bernardo D.I. Brum 8.0
•  Média 6.6
Notas - Usuários
7.2/10 (91 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #32 Um Corpo que Cai
• #31 Stephen King no Cinema
• #30 Vingadores: Guerra Infinita
• #29 A Franquia 007
• #28 Um Lugar Silencioso
• #27 2001: Uma Odisseia no Espaço
• #26 Jogador Nº1
• #25 Planeta dos Macacos
• #24 Quentin Tarantino
• #23 75 anos de David Cronenberg
• #22 Projeto Flórida
• #21 Trama Fantasma
• #20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
• #19 Oito e Meio de Fellini
• #18 A Forma da Água
• #17 The Post e os filmes de Jornalismo
• #16 Indicados ao Oscar 2018!
• #15 20 Anos de Titanic
• #14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
• #13 Melhores de 2017
• #12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
• #11 Especial Natalino
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Artista do Desastre, O
(Disaster Artist, The, 2017)
• Direção:
- James Franco
• Elenco Principal:
- James Franco
- Dave Franco
- Seth Rogen
• Sinopse: Greg Sestero sonha em ser ator, assim como o estranho e enigmático Tommy Wiseau, que ele conheceu numa aula de teatro, de quem ninguém tem nenhuma informação. Os dois viajam até Los Angeles pensando grande, mas Hollywood os rejeita. É quando decide...
 FILMES RELACIONADOS
• Ed Wood
• Homem-Aranha
• O Som e a Fúria
• Planeta dos Macacos: A Origem
• Segurando as Pontas
• The Room
• Um Bonde Chamado Desejo
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE