FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS HOME CINEMA TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
CRÍTICA
As Confissões de Schmidt
(About Schmidt, 2002)
Por Alexandre Koball Avaliação:                 8.0
Um drama pequeno, mas extremamente tocante sobre a solidão e o tédio.

Fazia tempo que não era lançado um road-movie tão bom quanto este As Confissões de Schmidt. Bom e com conteúdo. Claro, antes de tudo, Schmidt deve ser considerado um drama. Um drama com toques cômicos, com um humor sutil, real, e até mesmo constrangedor. É também a melhor aparição de Jack Nicholson desde Melhor é Impossível, de 1997. A cena final é arrebatadora, e mostra um dos melhores e mais tocantes momentos do ator em toda a sua carreira. O filme é dirigido com muita maestria por Alexander Payne, o responsável pelo sucesso crítico Eleição.

Agora com mais calma... As Confissões de Schmidt é um filme sobre personagens com vidas comuns em situações comuns, que nos mostra, de maneira bem depressiva, a busca de Schmidt pelo famoso “sentido da vida”. Schmidt está se aposentando. Vive em um bairro de classe média em uma (mais uma) dessas cidadezinhas pequenas e anônimas do interior dos Estados Unidos. Sua vida é monótona ao extremo. Ele considera seus amigos desinteressantes, mesmo amando eles. A cena inicial é magistral: Schmidt, como um robô, encara o relógio até este apontar o exato segundo para ele ir embora, no último dia de trabalho antes da aposentadoria. Essa cena é a síntese do filme, explicando que o que virá pela frente é uma história de tédio, rotina, e depressão. Não é um filme fácil. Muita gente pode sair do cinema deprimida, como o personagem de Nicholson.

Após a festa de aposentadoria, Schmidt encara uma rotina ainda pior do que quando trabalhava. É obrigado a conviver com sua mulher, pela qual ele não possui mais nenhum afeto: o amor foi morrendo ao longo dos anos e ela virou uma quase desconhecida para ele. Ele também possui uma filha adulta, que mora longe dali e está se preparando para casar, com um homem que, segundo Schmidt, “não faz jus à ela”. Sua esposa acaba morrendo, e ele vê uma chance de voltar a fazer alguma coisa útil, pelo menos na concepção dele: convencer sua filha a não casar.

Mas essa história é apenas um pano-de-fundo para a realização do auto-conhecimento, e da busca pelo tal sentido da vida de Schmidt. Ele está ajudando um garotinho órfão na África, enviando-lhe cheques para comida e cartas para se corresponder com o garotinho. Nessas cartas (que servem também para analisarmos e descobrirmos como funciona a cabeça e os sentimentos de Schmidt) ele solta toda sua raiva e dúvida em relação à vida que está levando e às pessoas que o cercam. Profissional em estatísticas, ele sabe que tem 73% de chance de morrer nos próximos nove anos. Não há mais tempo a perder.

Após a morte da esposa, As Confissões de Schmidt vira um belíssimo road-movie. A bordo de um Adventurer último modelo (um enorme trailer que serve como casa também – os americanos adoram isso, parece), Schmidt percorre paisagens rurais para encontrar-se com sua filha. Mas antes disso, visita lugares que foram importantes em sua vida e conhece outros personagens com os quais tem relacionamento passageiro. O filme é recheado de um humor sutil e ácido. Possui situações simplesmente hilárias, mesmo que totalmente comuns, sempre ajudadas pela excelente interpretação de Jack Nicholson e um também excelente elenco coadjuvante (onde Kathy Bates é o destaque), que torna todos os personagens do filme figuras interessantíssimas, sempre procurando fugir de estereótipos (embora nem sempre conseguindo).

É importante frisar que embora este seja um filme com apelo muitas vezes cômico, não dá pra enganar: As Confissões de Schmidt é extremamente baixo-astral, talvez um dos filmes mais depressivos dos últimos anos. O roteiro não propõe soluções fáceis, muito menos felizes para os objetivos de Schmidt, e é aí que entra a genialidade de Jack Nicholson. Mesmo sendo um personagem que vive uma fase tão difícil, seu carisma é suficiente para que o público adore cada momento do seu personagem, mesmo quando ele se torna instável e não sabe mais o que quer.

Falando tecnicamente, Schmidt não possui quase nenhuma qualidade singular. Tem sim, uma belíssima fotografia (excepcional, na realidade), mas vê-se que o diretor Payne teve de lidar com um orçamento modesto de 30 milhões de dólares (modesto para os dias atuais). O que não é ruim. Desse modo, o foco e o roteiro teve que ser concentrado totalmente em cima dos personagens e na história, muito bem executada. As Confissões de Schmidt é uma obra praticamente completa: faz rir, chorar, sentir e pensar. Isso é raro hoje em dia.

O filme acaba passando uma mensagem muito bonita que, embora pareça clichê, não deixa de ser importante. Schmidt descobre no final que importantes realizações podem ser feitas a partir de pequenos atos. Enquanto vivia chateado com todos e com o mundo, ele nem se percebeu que mudou para melhor a vida de uma pessoa, que agora ama ele. O garotinho africano agora tem alguma coisa para comer. Sem dúvida, uma demagogia tocante...

Por Alexandre Koball, em 29/03/2003 Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 8.0
• Rodrigo Cunha 8.0
• Régis Trigo 7.0
• Silvio Pilau 7.5
• Heitor Romero 7.0
•  Média 7.5
Notas - Usuários
7.5 (211 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
Comente no Cineplayers (1)
Por Antonio Araujo Correia, em 02/02/2013 | 23:05:56 h
Compartilho com a opinião do nobre amigo, diga-se, de passagem, que domina muito bem o assunto. Acrescento apenas um detalhe que para mim, marcou, profundamente, a característica do personagem: SOLIDÃO. Bom, trata-se da cena em que um senhor o convida para, à noite, ir ao trailer dele para conversar e tomar umas cervejas... num diálogo entre a esposa desse senhor e o Sr Schmidt (Jack Nicholson) ele acaba confessando que apesar de ter vividos tantos anos com a esposa, percebia que aquela estranha senhora o conhecia muito bem!!!
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Confissões de Schmidt, As
(About Schmidt, 2002)
• Direção:
- Alexander Payne
• Elenco Principal:
- Jack Nicholson
- Kathy Bates
- Dermot Mulroney
• Sinopse: Um filme sobre personagens com vidas comuns em situações comuns, que nos mostra, de maneira bem depressiva, a busca de Schmidt pelo famoso “sentido da vida”. Ele está se aposentando. Vive em um bairro de classe média, em mais uma dessas cidadezinhas ...
 FILMES RELACIONADOS
• Melhor é Impossível
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2014) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
MAPA DO SITE
ANUNCIE CONOSCO