FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Bom Comportamento

(Good Time, 2017)
Por Pedro Tavares Avaliação:             6.0
Prisão cotidiana.
imagem de Bom Comportamento
Bom Comportamento abre com um plano de helicóptero da cidade de Nova Iorque. Uma longa sequência de tensão para os créditos após uma brincadeira entre dispositivos e gênero. Parece a primeira de muitas quebras no cinema de Ben e Josh Safdie que o filme oferecerá fora o maior alcance que o filme terá pela figura de Robert Pattinson como protagonista. Porém, não demora muito para que a linguagem típica dos diretores esteja impregnada em cada plano.

O filme se resume a um fio narrativo – uma história de fuga – com meandros que dialogam com o caos da cidade e que Ben e Josh Safdie julgam coniventes mais uma vez com seus macetes cinematográficos: o close e a textura. Parece uma busca mais discreta de um sentido ao qual referências modernas do gênero como Tony Scott ou Abel Ferrara já chegaram usando outros caminhos. Bom Comportamento se resume à tensão fantasma. Logo, é também um filme fantasma. Uma espécie de farsa, um filme de ação que inexiste, um jogo implícito da imagem e seu conteúdo jogado incessantemente ao espectador. Uma cidade que oferece apenas presas e caminhos tortuosos. 

Logo, outra jogada: uma cena de perseguição. O helicóptero está de volta e seu retorno é questionável. É um filme de closes, por que esta discrepância sem uma justificativa? Assim como o lusco-fusco serve como parâmetro narrativo – dia e noite têm poderes distintos no filme -, estas quebras lutam contra uma espécie de moralismo dialético, sem permitir paisagens e elementos externos, não como variação de um método, mas como uma provável forma de amplificar o horror oral, a força da palavra em situações em que corpo e espaço são delimitados pela força do acaso. 

E desta forma Ben e Josh Safdie exaurem forma, mise en scène e narrativa; há pouco a se mostrar e falar. O que é dito e feito logo no início e o que virá a seguir é mera redundância, ainda que seja notório o esforço de uma mudança de discurso em cada sequência – mas o mundo alusivo e sufocante é o mesmo. A  partir que do momento em que a trama se justifica, logo nos primeiros minutos, o que se vê é mera repetição.

São reflexos atraentes, com algumas exceções aos espaços – a sequência do parque de diversões, por exemplo – e que dialogam com a monotonia da rotina sufocante de uma metrópole. Sobram dúvidas sobre as reais intenções de Ben e Josh neste diálogo entre personagens e cidade, mas a certeza é que a repetição é o grande norte do filme, um embate entre tradição e gênero que é minimamente curioso, ainda que nem sempre seja funcional. 
Visto no Festival do Rio 2017

Por Pedro Tavares, em 16/10/2017
Avaliação:             6.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 7.0
• Daniel Dalpizzolo 7.5
• Régis Trigo 6.0
• Heitor Romero 8.0
• Marcelo Leme 7.5
• Bernardo D.I. Brum 7.0
• Pedro Tavares 6.0
• Guilherme Bakunin 9.0
• Rafael W. Oliveira 9.0
• Felipe Leal 9.5
•  Média 7.7
Notas - Usuários
7.6/10 (110 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #45 60 anos de Tim Burton
• #44 Meu Amigo Totoro
• #43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
• #42 Filmes da Sessão da Tarde
• #41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
• #40 100 anos de Ingmar Bergman
• #39 Os Incríveis 2
• #38 Era Uma Vez no Oeste
• #37 Jurassic Park e Jurassic World
• #36 O Bebê de Rosemary
• #35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
• #34 Han Solo: Uma História Star Wars
• #33 Deadpool 2
• #32 Um Corpo que Cai
• #31 Stephen King no Cinema
• #30 Vingadores: Guerra Infinita
• #29 A Franquia 007
• #28 Um Lugar Silencioso
• #27 2001: Uma Odisseia no Espaço
• #26 Jogador Nº1
• #25 Planeta dos Macacos
• #24 Quentin Tarantino
• #23 75 anos de David Cronenberg
• #22 Projeto Flórida
• #21 Trama Fantasma
• #20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
• #19 Oito e Meio de Fellini
• #18 A Forma da Água
• #17 The Post e os filmes de Jornalismo
• #16 Indicados ao Oscar 2018!
• #15 20 Anos de Titanic
• #14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
• #13 Melhores de 2017
• #12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
• #11 Especial Natalino
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Bom Comportamento
(Good Time, 2017)
• Direção:
- Josh Safdie
- Ben Safdie
• Elenco Principal:
- Robert Pattinson
- Ben Safdie
- Taliah Webster
• Sinopse: Enquanto tenta livrar seu irmão da cadeia, um assaltante de banco vê-se incapaz de fugir das pessoas que estão lhe perseguindo.
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE