FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Diamantino

(Diamantino, 2018)
Por Francisco Carbone Avaliação:                   9.0
Psicodelia em campo.
Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt têm ambos 34 anos, ambos nasceram nos EUA, e agora ambos têm um longa premiado em Cannes pra chamar de seu. Um longa português (Gabriel inclusive é naturalizado), completamente conectado com um grupo da novíssima onda portuguesa que ano passado deu as caras no Brasil em John From e vem oxigenando Portugal para o mundo; essa vitória na Semana da Crítica, além de ousada, também é 'sui generis' de um festival que só aparenta querer aplaudir o novo. Diamantino não tem nada de aparente, é sim a confirmação de um pensamento de cinema mais amplo que a hora e meia de projeção ou que o espaço físico no qual a sessão te insere. Arriscado e impreciso, o filme dos jovens nascidos na América, seu segundo longa juntos, é o tipo do filme que não é feito com regularidade e pede mais do espectador que apenas o habitual. Em troca, um mundo estranho se abre. 

Essa onda de jovens realizadores portugueses inclui também João Nicolau, João Salaviza, Patricia Sequeira e outros, herdeiros do belo momento que pavimentou Pedro Costa, Miguel Gomes, João Pedro Rodrigues. A classe atual tem interesse no filme que fornece somente as perguntas, deixando as respostas a cargo do público. Pois Diamantino te convida a um mergulho para um universo sem par no atual mercado, e o público comprará ou não um pacote inteiro surrealista e repleto de camadas que conversam com o mundo inteiro, em referências, em metáforas, no olhar lançado na direção dos párias de todo tipo. O filme utiliza a imaginação como se fosse uma tela em branco, atirando tintas na nossa direção.

Diamantino é o maior jogador de futebol do mundo que acabou de perder o pênalti na final da Copa do Mundo da Rússia e cai em desgraça, tanto particularmente quanto em público. No auge da chacota, o astro do esporte acorda para a situação dos refugiados políticos e resolve adotar uma criança, em ato de desespero para que sua vida volte a fazer sentido. Acaba recebendo um jovem moçambicano em adoção que vai mudar a sua vida. O que Diamantino não sabe é que esse menino na verdade é uma mulher adulta que o está espiando em troca de descobertas sobre sonegação fiscal. A isso junta-se clonagem humana, resignação sexual, freiras falsas e cachorrinhos felpudos, e temos um exemplar que não trata nenhum tema com aleatoriedade, e se tornando uma obra potencialmente explosiva inclusive com o próprio país. 

Trata-se antes de tudo de uma corrosiva crítica ao próprio país, uma comédia política que destrói as intenções dos órgãos oficiais ao se preocupar com a proteção a um inocente útil, que é usado por todos a sua volta e permanece em completo estado de estupefação e incredulidade mesmo diante das maiores atrocidades. Seria o país um retrato do personagem-título, um homem poderoso que não sabe lidar com o que construiu, até ser devorado por todos a seu redor (atenção Europa!)? De qualquer forma, a ousadia da mise-en-scene bate de frente com a simplicidade dos desdobramentos, propositadamente ingênuos, que remetem às chanchadas juvenis espaciais dos anos 60. O caldeirão psicodelico onde o filme bebe é um festival de referências imagéticas que vão desde os planos que o giallo construiu até produções sci-fi televisivas B americanas.

Encanta em Diamantino a forma como o filme ama e defende seu protagonista, ao ponto de travestir em si da personalidade dele, e criar com isso uma apoteose bizarra à pureza. Sem medo de parecer 'kitsch' desde a primeira sequência, o filme entre outras muitas coisas é uma grande alegoria romântico-libertária, que ultrapassa as teorias de filme de espionagem vagabundos (com direito a vilãs de todo tipo, de gêmeas a deficientes motores) para abraçar um projeto de sexualidade futurista ampla e irrestrita. Além de tudo, o filme ainda conta uma heroína mulher espiã negra, e é dotado de um poder subversivo ao colocar essa mulher no lugar de resolver os problemas, dado ao passo que o homem é frágil e inexperiente. Junta-se a isso a interpretação inacreditável de Carloto Cotta, e temos um dos exemplares mais autênticos da temporada. Mais uma prova de que Portugal seja talvez o próximo país a dominar as atenções nas mudanças pretendidas para o Cinema em breve.

Filme visto no 28º Cine Ceará
Por Francisco Carbone, em 11/08/2018
Avaliação:                   9.0
Notas - Equipe
• Francisco Carbone 9.0
•  Média 9.0
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Diamantino
(Diamantino, 2018)
• Direção:
- Gabriel Abrantes
- Daniel Schmidt
• Elenco Principal:
- Carloto Cotta
- Cleo Tavares
- Anabela Moreira
• Sinopse: Diamantino, o maior jogador de futebol do mundo, perde seu talento e encerra sua carreira em desgraça. Em busca de um novo propósito na vida, o ícone internacional embarca numa odisseia delirante, e enfrenta o neofascismo, a crise dos refugiados, mut...
 FILMES RELACIONADOS
• John From
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE