FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Encurralado

(Duel, 1971)
Por Alexandre Koball Avaliação:                 8.0
Filme menor de Spielberg feito para TV em 1971 não deve nada a seus grandes suspenses.

Spielberg logo no início de carreira já demonstrava potencial com esse lançamento que acabou sendo lançado diretamente para a televisão. E que potencial! A partir de uma premissa simplíssima - um carro sendo perseguido por um caminhão - ele nos oferece doses praticamente perfeitas de suspense e tensão. Tudo à luz do dia. Com a graciosa característica de conseguir prender o espectador, este trabalho não deve muito a seus melhores filmes de suspense de alto orçamento, tais como Tubarão e O Parque dos Dinossauros, mostrando que o diretor nasceu para brilhar.

O que mais impressiona hoje em dia (34 anos depois) é o apuro técnico de Encurralado. Mesmo sendo um lançamento para a televisão de um diretor ainda razoavelmente inexperiente e sem contar com a tecnologia dos computadores, o diretor nos presenteia com ângulos de câmera e planos inteligentes e sagazes, conseguindo o feito de adicionar emoção em praticamente todas as cenas. Seria fácil fazer de um filme que se passa quase que inteiramente sobre o asfalto algo entediante (Sem Destino, lançado dois anos antes desse, que o diga), mas a habilidade do diretor em desenvolver a tensão de forma crescente espanta essa crença.

David Mann (Dennis Weaver, que foi convidado para atuar no filme graças a seu trabalho no clássico A Marca da Maldade), um sujeito ordinário, sai logo de manhã cedo em viagem de negócios de carro. Deve atravessar uma rodovia no meio do deserto para chegar a seu destino. Seu pecado? Irritar-se com um caminhão lento na estrada. A irritação é recíproca, e logo o caminhoneiro passa a perseguí-lo de forma cada vez mais perigosa, e o que começa como um joguinho bobo logo vira uma busca frenética e mortal do caminhoneiro para acabar com a vida de Mann. O clima desolador do deserto, aliado às pessoas estranhas que encontra pelo caminho (caipiras que parecem sair da versão original de O Massacre da Serra Elétrica) e, principalmente, o fato de o motorista do caminhão permanecer anônimo durante todo o filme, formam os elementos perfeitos para um grande suspense.

O nome original do filme - Duel - funciona como uma perfeita analogia ao gênero faroeste. Foi lançado quando Sergio Leone era o rei desse tipo de filme, não por coincidência. Mann e o caminhoneiro disputam um duelo sobre rodas. O vilão barbudo e musculoso (crê-se!) contra o mocinho hábil, mas que tem que enfrentar as injustiças dos opressores para conseguir sobreviver. Não há como fugir do duelo. A única maneira de vencer é utilizando-se da inteligência. Esse é exatamente outro ponto especial do filme. Sabemos que uma hora a perseguição deve terminar. Mas como poderia um carro pequeno contra um enorme caminhão-tanque? Essa pergunta tem a capacidade mágica de segurar - ainda mais - a atenção do espectador.

É um filme sem história, sem desenvolvimento de personagens. Na verdade, possui até mesmo algumas inconsistências em seu roteiro. No final, é um filme gratuito, mas que ainda com todos esses fatores contra si, funciona perfeitamente como cinema - pois cinema não é somente a capacidade de contar uma história bem contada, e sim a capacidade de entreter sem ferir a inteligência do espectador (ou, se for para fazer isso, que o faça com elegância), de fazer cativar quem está assistindo à projeção, e por isso esse filme hoje pode ser considerado muito importante, ainda que seja tão oco. Ele mostrou ao mundo o grande diretor que Spielberg acabaria por se transformar (assim que Tubarão fosse lançado, quatro anos mais tarde) e mostrou que cinema e entretenimento podem coexistir, quando não subestimar quem o assiste. Quando o filme tem a capacidade de nos fazer sentir e nos fazer importar pelos seus personagens, ele funciona, pois deixamos de ser espectadores passivos e passamos a vivenciar os acontecimentos, como se estivéssemos lá, na tela. Vendo esse filme, fica complicado não suar frio com David Mann. E fica difícil não sentir prazer quando se assiste a cinema assim.

Encurralado serve como exemplo bastante adequado de filme autoral, sem interferência de estúdios. Geralmente são dois os tipos de diretores que conseguem fazer esse cinema: os diretores independentes e os diretores que são mega-sucesso e estão em boa fase na carreira, quando tudo dá certo. Spielberg passou do primeiro tipo para o segundo nesses longos anos de carreira. Obviamente cometeu deslizes - alguns até grandes, vide Hook - mas desde os anos iniciais de carreira mostrou ter o diferencial que já colocou seu nome na história do cinema, de onde ninguém poderá rebaixá-lo. David Mann só queria atravessar a rodovia para um encontro de negócios, mas graças a Spielberg e ao roteirista Richard Matheson (hoje um senhor de 79 anos que ainda está vivo na carreira, algo raro), fomos presenteados com muito mais do que isso - um suspense bárbaro! Vida longa a ambos no mundo do cinema.

Por Alexandre Koball, em 09/12/2005
Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 8.0
• Daniel Dalpizzolo 7.5
• Rodrigo Cunha 8.0
• Régis Trigo 6.0
• Silvio Pilau 7.0
• Vlademir Lazo 8.5
• Heitor Romero 8.5
• Francisco Bandeira 8.0
•  Média 7.7
Notas - Usuários
7.7/10 (219 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (2)
Por Cristian Oliveira Bruno, em 25/11/2013 | 21:58:09 h
Grande trabalho de Spielberg. Filme tenso do inicio ao fim.
Por Renato Coelho, em 17/08/2013 | 17:22:12 h
Esse filme é um clássico. Lembro-me que passava sempre de sessão Coruja da Globo e ficava acordado até tarde pra vê-lo. Naquela época, dos meus 15, 16 anos nem sonhávamos com internet e a única oportunidade para assistir não poderia deixar passar. Hoje, graças a Deus, podemos assistir esses clássicos com facilidade e a um preço bem barato. Esse filme remonta à minha infância.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #007 Stranger Things
• #006 45 anos de O Poderoso Chefão
• #005 Branca de Neve e os Sete Anões
• #004 Halloween
• #003 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #002 De Volta Para o Futuro
• #001 Os Goonies
• #000 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Encurralado
(Duel, 1971)
• Direção:
- Steven Spielberg
• Elenco Principal:
- Dennis Weaver
- Lou Frizzell
- Jacqueline Scott
• Sinopse: David Mann está dirigindo seu carro pelas rodovias da Califórnia quando começa a ser importunado por um gigantesco caminhão, que parece querer brincar com ele perigosamente na estrada. O que parece ser apenas um motorista engraçadinho de início, acab...
 FILMES RELACIONADOS
• A Marca da Maldade
• O Massacre da Serra Elétrica
• Sem Destino
• Tubarão
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE