FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Fernando

(Fernando, 2017)
Por Francisco Carbone Avaliação:                 8.0
Ao nosso lado, um pedaço de arte.
Não é nada difícil acessar Fernando, e esse conforto é benéfico e parece procurado pela sua tríade de diretores, de alguma forma. Igor Angelkorte, Julia Ariani e Paula Vilela empreendem um mergulho íntimo, sutil e bem cadenciado na vida de um homem cuja arte norteou as escolhas, pessoais e profissionais, e define sua passagem por aqui nesses parâmetros. E olhando para dentro da própria obra e feitos de Fernando, construíram um documentário tão internalizado e pessoal que só poderia também ele arranhar as amarras que delimitam as próprias barreiras documentais. Não é difícil imaginar para onde Igor, Julia e Paula olharam, se inspiraram e buscaram respostas, e é muito recompensador ver que todo seu claro afeto por Fernando não os turvou de realizar algo tão conciso e econômico, e essa deve ser uma das principais qualidades do filme 'Fernando'. 

A peça mostrada no filme em cartaz, ensaios e enfim apresentação é a mesma Elefante, no qual eu tinha conhecido Fernando Bohrer anos atrás, belíssima montagem na qual Angelkorte participa como ator e diretor. Ela meio que funciona como cola pro quebra-cabeça que o filme propõe envolvendo a vida e a arte de Fernando, que na verdade é quase tudo uma coisa só. Fernando tem um trabalho tão coeso de pesquisa de montagem e de roteiro, eu quase chego a sentir a quantidade exorbitante de coisa que o trio deve ter deixado de fora. Porque Fernando além de servir como uma inspiração para eles também é um manancial de carinho e sabedoria, isso é muito claro na tela, no palco e pessoalmente. Um homem com um discurso tão profundo e ao mesmo tempo tão simples para a arte como um todo só poderia ele mesmo se transformar em poesia, em projeto fruto de seu desejo de perseverar através da arte e do estudo contínuo da arte. 

O pulo do gato de Fernando talvez tenha sido um problema nascido no meio da feitura. Das necessidades impostas pela realidade, Igor, Julia e Paula se viram obrigados a ficcionalizar algumas passagens do filme. Entendam como ficcionalizar: recriar de maneira não-documental passagens reais. O risco de cair no ridículo ou no forçado pode e deve ter se abatido sobre todos, mas o aspecto híbrido que o todo alcança fala mais alto. E ao mesmo tempo que essa recriação não consegue ser percebida pelo público geral, essa necessidade também deu a Fernando a chance de estar mais uma vez em cena, e tornar ainda mais difusa sua vida e os limites que separam dois elementos intrinsecamente presentes em sua vida, a realidade e a ficção. Mais uma vez, a riqueza da montagem e a funcionalidade dos atos do filme provocam a sensação de que nada disso tem limite, e embaralha os discursos, tornando-os ainda mais fascinantes. 

Fruto da primeira experiência dos três diretores, Fernando é um filme doce, que nasce com as mesmas características da jornada do seu biografado: nas bordas do acolhimento, do afeto, do amor pela arte e pelo palco, da arte da reinvenção, do carinho singelo pelo semelhante, da voz cansada pelo ativismo político mas ainda potente, não foi a toa que o longa saiu com dois prêmios do último Olhar de Cinema (melhor filme - júri popular, entre eles). Fernando é a síntese do homem ao lado a primeira vista, mas cuja trajetória daria não apenas filme como também livro. Ao se embrenhar no dia a dia de Fernando, conhecemos não apenas um maravilhoso e desvelado ser humano, com idiossincrasias e memórias como tantos já retratados em fotograma; a ferrenha dedicação ao próximo, além de sua emocionante ligação com a representação (como ator ou mestre), abrem a nossa frente uma singular e infelizmente pouco conhecida parcela de nossa bolha, pessoas que não se fecharam na adversidade e no impedimento. São realizadores acima de tudo, e que prazer é acompanhar flashes desse artesão. 

Visto no 6º Olhar de Cinema de Curitiba

Por Francisco Carbone, em 19/06/2017
Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Francisco Carbone 8.0
•  Média 8.0
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Fernando
(Fernando, 2017)
• Direção:
- Igor Angelkorte
- Julia Ariani
- Paula Vilela
• Elenco Principal:
- Fernando Bohrer
- Rubens Barbot
• Sinopse: Mesclando documentário e ficção, Fernando retrata a vida do ator Fernando Bohrer, mergulhando para isso na arte da encenação.
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE