FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Free Fire

(Free Fire, 2016)
Por Marcelo Leme Avaliação:               7.0
Escorpiões num pote.
imagem de Free Fire
Ambientado durante a década de 70, em Boston, Free Fire nos leva até dois grupos e seus mediadores negociando armas dentro de um armazém. De um lado, membros do IRA; de outro, fornecedores. No meio, os mediadores. O clima de desconfiança prevalece o tempo inteiro reunindo tensão e sarcasmo, e não demora para que intrigas desencadeiem ofensas e as ofensas motivem todos a levarem as mãos às armas. Quando o primeiro saca, resta apenas o tempo de se esconder entre caixas, carros, sacos e corpos. É aí que o filme se inclina numa ação impactante e assustadoramente racional, ainda durante a primeira meia-hora, para não mais parar. Ao menos não enquanto existirem balas e pulsação.  

Free Fire é um filme de ação convicto do que deseja ser. Legitima seu título, e entrega virtuosas sequências de ação com tiros por todos os lados, que ricocheteiam entre piadas e personagens que esquecem de qual lado estão. Sem adornos vaidosos ou frases filosóficas copiadas de um compilado aleatório encontrado no google, o filme preocupa-se em proporcionar uma experiência diferente, rompendo com linguagens padrões e dinamizando o ritmo de modo quase experimental. Um mínimo de história e muito a mostrar.

Assim, disparatado e alucinado, não trata-se de um refresco ao gênero e tampouco foge às fórmulas que se arrastam desde os anos 60. Assume-se enquanto um exercício de confronto e estilo, num enérgico bang bang cool abarrotado de diálogos claros, compostos para somar ao ritmo versátil da trama simples. 

Quando se pensa em uma história, pensa-se nos personagens, em como estes reagirão aos contextos e às circunstâncias do roteiro. Uma lógica básica de construção num cenário opressor onde todos estarão distribuídos lutando por uma mesma coisa. Colocar um grupo num pequeno espaço e faze-los se desafiarem armados é uma proposta bastante incomum. Mas conceber 60 minutos de tiroteio é algum tipo de suicídio narrativo, algo que Ben Wheatley, o diretor, inventivo num gênero diferente dentro de sua filmografia, faz com zelo e sem preguiça, investindo em diálogos que são um verdadeiro fuzilamento. Vamos de Tarantino a Guy Ritchie em instantes, entre balas rasantes, situações mirabolantes e um humor desatinado.    

Comparações a outros filmes de pegada similar são instantâneas. Este tem aptidão ao indie, apesar do renomado elenco. Armie Hammer, Cillian Murphy, Brie Larson, Sam Riley e Sharlto Copley encaixam-se em papeis canastrões, que pouco lhes exigem com texto ou interpretação. Divertem e se divertem, competentes ao segurarem o filme inteiro, ainda mais com o ritmo variável. Copley vem se tornando uma caricatura, relacionado a papéis específicos que lhe garante iconicidade. Aqui esbanja humor, tal como os outros personagens, todos em sintonia, enquadrados por uma câmera articulada ao compasso das ações coléricas.  

Há distrações para o público e ausência de construção contextual. A distração é o entendimento inteligível de que algo não deverá dar certo e, não dando certo, haverá custos. A agilidade imposta não permite divagações para explorar contexto ou personagem. É quase como um game, um cenário e disputas nervosas sem fugir ao timbre da recreação. O tempo é corrente e tudo se passa durante uma furiosa noite. Free Fire é uma alegoria irônica as armas e parece deixar isso bastante claro quando permite que o espectador mergulhe em seu tour de force, contemplando seu absurdo. Diverte muito, mas na mesma proporção que corre o risco de entediar. 
Por Marcelo Leme, em 14/08/2017
Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Silvio Pilau 6.5
• Marcelo Leme 7.0
• Felipe Leal 9.0
•  Média 7.5
Notas - Usuários
6.2/10 (17 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #002 De Volta Para o Futuro
• #001 Os Goonies
• #000 O Piloto
 LEIA TAMBÉM

 FICHA DO FILME

 Free Fire
(Free Fire, 2016)
• Direção:
- Ben Wheatley
• Elenco Principal:
- Brie Larson
- Cillian Murphy
- Sharlto Copley
• Sinopse: Boston, 1978. Uma reunião em um armazém abandonado entre duas gangues se transforma em um jogo mortal de sobrevivência.
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE