FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Gabriel e a Montanha

(Gabriel e a Montanha, 2017)
Por Pedro Tavares Avaliação:         4.0
Menos é mais.
imagem de Gabriel e a Montanha
O segundo longa-metragem de ficção de Fellipe Barbosa traz uma emenda curiosa: se a família de Jean, protagonista de Casa Grande, filme anterior do diretor, voltasse à ascensão financeira, ele poderia muito bem ser o Gabriel de Gabriel e a Montanha. Nos créditos iniciais, Barbosa é explícito ao afirmar a homenagem e visão saudosa do amigo falecido em 2009. Porém, se antes a jornada do herói partia de conflitos regulares à adolescência, neste filme os meandros são definidos como material interceptado por necessidades descabidas. 

O filme é divido em quatro capítulos, mas segue a estrutura padrão de três partes. Nelas, vemos três abordagens completamente distintas: na primeira, um filme de observação às ações cotidianas do protagonista em viagem à África sobre um pressuposto exotismo – de ambas as partes, de quem filma e de quem é filmado, do protagonista aos coadjuvantes – que entroniza Gabriel como um bom samaritano. Pura liturgia; ele é uma figura carismática e disposta, longe do behaviorismo que virá a seguir. 

Surpreende a brusca mudança que é sugerida como parte intrínseca à psique de Gabriel. A verborragia se estende e esbarra de fato em Jean de Casa Grande, um garoto perdido e de valores a serem concretizados. Se vê um homem de dicotomias muito rasas e pouco interessantes na forma expositora. Já a terceira tenta unir esses dois extremos, mas com propostas muito desgastadas.

O filme é justificado como um road movie de simetrias sociais – abrigos, amizades, trocas – como metáfora de uma resistência que em seu pano de fundo esconde perturbações e armadilhas que levaram Gabriel deste plano. Neste ponto é que Gabriel e a Montanha se esvai. É a necessidade não justificada de transformar a persona do protagonista em verbo, de exibir todas as suas hipocrisias e idiossincrasias como suporte maior ao filme – a aventura na África, as memórias de quem conheceu o garoto, o seu romance com Cristina e todos os outros “por quês” que surgem naturalmente com a força do dispositivo e não das palavras, mas sempre repetidas, pois Barbosa se antecipa sempre e as coloca como uma discussão, uma briga, um gesto. 

E se a epopeia de Gabriel pela África é uma jornada de autoconhecimento – ou um grande respiro para o que estava por vir -, a Gabriel e a Montanha nada sobrou. Sua força para contemplar é mínima justamente quando o filme necessita disso. No momento em que protagonista e seu atordoado âmago se encontram, suas questões foram diluídas em outras representações, ou seja, o grande momento “cinematográfico” desta narrativa esteve em algum lugar antes de chegar ali. Chega cansada, com a boca seca e olhos ardendo. O visual não é mais o mesmo e o verbo menos ainda. Às vezes menos é mais. 

Visto no Festival do Rio 2017.
Por Pedro Tavares, em 06/10/2017
Avaliação:         4.0
Notas - Equipe
• Pedro Tavares 4.0
•  Média 4.0
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #003 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #002 De Volta Para o Futuro
• #001 Os Goonies
• #000 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Gabriel e a Montanha
(Gabriel e a Montanha, 2017)
• Direção:
- Fellipe Barbosa
• Elenco Principal:
- João Pedro Zappa
- Caroline Abras
- Alex Alembe
• Sinopse: Gabriel é um jovem aventureiro cheio de planos para sua vida de estudos. Porém, antes de se preparar para a jornada na Universidade da Califórnia, o rapaz decide partir para a África. Durante a viagem, Gabriel decide subir o Monte Mulanje, um dos mai...
 FILMES RELACIONADOS
• Casa Grande
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE