FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Giallo - Reféns do Medo

(Giallo, 2009)
Por Daniel Dalpizzolo Avaliação:               7.0
Quando chamar de suspense sem suspense é um grande elogio.

Dario Argento chega aos 69 anos com o velho espírito sacana que sempre possuiu, porém também com uma consciência invejável a respeito do Cinema - de seu próprio, da mídia em si e especialmente da forma como manipulá-la, como retransformá-la para fugir do padrão fílmico clássico e quadradinho ao qual realmente nunca pertenceu. Este seu novo trabalho, Giallo - Reféns do Medo, é um filme que se constrói antes, durante e depois da projeção, uma espécie de monstro que em um primeiro momento te seduz, depois te instiga e sacia, e posteriormente te tortura através de um exercício de puro sadismo.

 

Giallo inicia há mais ou menos dois anos, quando Argento anunciou o filme e prometeu fazer dele um retorno ao clássico cinema fantástico italiano dos anos 70. A expectativa criada em fãs e admiradores não poderia ser outra que não a melhor possível, e os primeiros screens a surgirem na internet, junto do pôster estilizado e colorido com desenho de facas pingando sangue divulgado meses antes do lançamento do filme, pareciam apontar no mínimo para uma tentativa de filme-retrô argentiano, com seus jogos de luz elaborados, movimentos de câmera que fogem ao limite da compreensão humana e jatos de sangue à revelia.

 

É então que chegamos aos primeiros minutos de Giallo, onde a disforme narrativa caminha como um bêbado de pernas bambas, mostrando ações que derrubam todo e qualquer pré-conceito que havíamos construído sobre o filme: Argento filma os métodos de um assassino que simplesmente não mata, pelo menos não aos olhos da câmera. O maníaco é um homem surtado que seqüestra modelos para torturá-las em cativeiro, fotografá-las durante o sofrimento e em seguida utilizar as fotografias como fonte de inspiração para se masturbar enquanto chupa um bico de criança.

 

Quem conhece minimamente a filmografia de Argento reconhece logo de cara a referência a um de seus temas favoritos: os traumas de infância, que retornam não apenas como um elemento a ser estudado durante o filme, mas como base de discurso. É sob a iminência deste trauma que se estrutura todo o filme, e suas conseqüências não são representadas apenas pelas motivações das personagens, mas sim por toda e qualquer ação presente na tela - e, de forma ainda mais intensa, pela estrutura narrativa de Giallo em sua totalidade, pensada de maneira esquizofrênica, errática, porém misteriosa apenas para o seu personagem.

 

Sim, porque Giallo é um filme cuja trama se resolve para nós, espectadores, com meia-hora de duração, e dali em diante nos convida a ver e sentir as conseqüências deste trauma ao invés de desvendá-las, como normalmente o faria um filme de suspense. Argento abre mão do mistério entregando a resolução de toda a história em duas seqüências centrais,  a apresentação da feição do assassino e o flashback brilhantemente fotografado com o qual explicita as razões de ser deste personagem, e guarda para o espectador cadeira cativa em uma posição de puro voyeurismo sádico para acompanhar o sofrimento deste homem transtornado, cujo referido trauma deu origem a uma vida dupla.

 

É então que, durante uma hora inteira, veremos este homem caçar a ele mesmo, fugir dele mesmo e demonstrar o estado de sua mente atormentada através de atos de tortura e violência sob o corpo de modeletes histéricas que simplesmente não conseguem entender o que acontece, pois numa história habitual deveriam estar mortas, e não com os membros atados trancadas em um porão perdendo aos poucos os dedos e outras partes do corpo. Argento nos diverte ("kiss kiss no more" é uma das frases do ano), nos sacia com cenas perversas e sangrentas e ao final de tudo realmente consegue apresentar um filme diferenciado subvertendo todas as regras possíveis de um jeito que qualquer um apostaria ser um passo largo rumo ao fracasso: fazer um suspense sem suspense algum.

 

Por isso é que é perfeitamente compreensível encontrar tanta gente confusa ao final de Giallo, e é também o maior dos motivos que eu poderia citar aqui como prova de seu sucesso. É um filme que certamente será detestado por muitos, considerado sem graça, feio, bobo, chato e etc., e Argento tem consciência disto porque seu objetivo não é fazer um filme intelectualizado (não no sentido de inteligente), um suspense  recheado de cenas de susto histriônicas ou de surpresinhas metidas a enganadoras. E, neste caso, por propôr uma experiência que se opõe ao que o gênero em que se instala prega atualmente, Giallo certamente será mais um filme incompreendido de Dario Argento.

Por Daniel Dalpizzolo, em 14/10/2009
Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Daniel Dalpizzolo 7.0
• Régis Trigo 6.0
• Vlademir Lazo 6.0
• Victor Ramos 8.0
•  Média 6.8
Notas - Usuários
6.0/10 (59 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
• #40 100 anos de Ingmar Bergman
• #39 Os Incríveis 2
• #38 Era Uma Vez no Oeste
• #37 Jurassic Park e Jurassic World
• #36 O Bebê de Rosemary
• #35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
• #34 Han Solo: Uma História Star Wars
• #33 Deadpool 2
• #32 Um Corpo que Cai
• #31 Stephen King no Cinema
• #30 Vingadores: Guerra Infinita
• #29 A Franquia 007
• #28 Um Lugar Silencioso
• #27 2001: Uma Odisseia no Espaço
• #26 Jogador Nº1
• #25 Planeta dos Macacos
• #24 Quentin Tarantino
• #23 75 anos de David Cronenberg
• #22 Projeto Flórida
• #21 Trama Fantasma
• #20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
• #19 Oito e Meio de Fellini
• #18 A Forma da Água
• #17 The Post e os filmes de Jornalismo
• #16 Indicados ao Oscar 2018!
• #15 20 Anos de Titanic
• #14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
• #13 Melhores de 2017
• #12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
• #11 Especial Natalino
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Giallo - Reféns do Medo
(Giallo, 2009)
• Direção:
- Dario Argento
• Elenco Principal:
- Adrien Brody
- Emmanuelle Seigner
- Elsa Pataky
• Sinopse: A modelo americana Celine é seqüestrada em Milão durante a Semana da Moda pelo serial killer conhecido como Giallo, conhecido por fazer suas vitimas passarem por um verdadeiro calvário. Linda, irmã de Celine, deixa o assunto nas mãos do inspetor Enzo...
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE