FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Girl

(Girl, 2018)
Por Francisco Carbone Avaliação:                   9.0
Garota sem interrupção.
Com a estrutura a emular um olhar documental dentro da ficção, o estreante Lukas Dhont não tem medo de desafio e procura construir um equilíbrio delicado entre as duas linguagens. Com um tema pertinente como o da transexualidade, o belga recheia sua moldura ambiciosa com a história de Lara, que é descoberta pelo longa em processo já avançado de compreensão pessoal. O universo que a rodeia é de aceitação no geral, o que gera uma sensação de falso conforto para a protagonista, que está na fase final do acompanhamento para a operação de redesignação sexual. Seu dia a dia é rico em elementos: ela estuda, ajuda o pai a cuidar do irmão pequeno, pratica balé, ao mesmo tempo em que atravessa a adolescência inibindo sua puberdade por conta do surgimento dos hormônios masculinos. Isso ironicamente, ao mesmo tempo que a exclui de sua iniciação sexual, garante a ela sua autonomia na figura feminina que a permitirá justamente liberdade de gênero.

As opções estéticas de origens documentais dão um teor íntimo a mais ao projeto, como se estivéssemos a todo momento presenciando momentos de resguardo da personagem e de quem a circula, uma escolha que ultrapassa o conceito de beleza artística e enche de inteligência o projeto. Vemos Lara como testemunhas oculares de suas dores físicas e emocionais, invadindo cada fresta para destacar suas reações silenciosas ao vilipendio gerado pela estranheza que, mesmo aceita, ainda incomoda. Dhont transforma o olhar privilegiado do espectador em mais uma forma de violência cometida contra ela e que começa mesmo no acolhimento da casa. Por isso, essas decisões vão credibilizando o filme como um tratado sem maniqueísmo e/ou paternalismo sobre as novas configurações de liberdade pessoal, ao mesmo tempo em que expõe ao público os dilemas internos de Lara, também aciona reflexões pessoais acerca de individualidades.

Dhont se infiltra naquela história de ficção concebida por ele mesmo como um invasor, roubando a intimidade de sua personagem para um bem maior: expor o humano por trás do que se imagina mecânico. Lara é uma menina como outra qualquer, que sofre de dor nos pés por conta da sapatilha, que está às voltas com o primeiro amor, que descobre insuspeitos dotes culinários, que age como a mãe que não teve para o irmão caçula. Esses instantâneos são captados pelo filme, que ainda se desdobra do que a transforma em indivíduo - além disso tudo, Lara enfrenta um desgastante processo de afirmação médica da sua sexualidade, confronta o bullying velado em grupos de amigas, precisa lidar com um pai amoroso que a apoia, mas que sutilmente ainda a posiciona como menino; todas as sutilezas que unem pai e filha são os momentos mais bonitos de um longa que transborda dessa delicadeza em seu DNA.

A textura que positivamente confunde 'Girl' e o coloca num patamar híbrido de gêneros (e como é uma metáfora interessante um filme com essa narrativa borrar os limites entre ficção e realidade), nos arrasta pelas aulas de balé de sua protagonista, filmadas quase como instrumentos de tortura quase dopando a personagem, que se esforça ao máximo para ser perfeita em algo no qual ela não depende de ninguém além do seu próprio esforço. Como vive em compasso de espera pela própria identidade, Lara explora na dança algo que só ela pode elevar e dedicar. A câmera em determinada cena rodopia junto com ela incansavelmente pelo cenário repleto de outros bailarinos, onde seu esforço chega às raias da exaustão e gradativamente a leva a encruzilhada final, em atitudes que levarão a uma cena de profundo desespero físico e emocional.

A trajetória de Lara ainda conta com a impressionante naturalidade de Victor Polster, o ator que vive com extrema dubiedade essa personagem. Sua atuação ultrapassa o naturalismo padrão visto no cinema e enche a tela quase com uma não-atuação, um semblante que nunca está em ponto máximo de regozijo, sempre a espreita da próxima dor, mas como se fosse conformada com ela. Sua interação com Arieh Worthalter é igualmente merecedora de aplausos, outro ator igualmente em excelente composição, e os embates e carinhos entre pai e filha tem toda a credibilidade por conta de suas entregas, e pela qualidade dessa arrepiante estreia de Lukas Dhont, um filme que consegue conjugar diversas matizes aparentemente diferentes e criar com organicidade um trabalho de profunda beleza e apuro estético, a uma realidade ainda pouco aprofundada, aqui vista no limiar da veracidade.
Por Francisco Carbone, em 01/04/2019
Avaliação:                   9.0
Notas - Equipe
• Francisco Carbone 9.0
•  Média 9.0
Notas - Usuários
8.1/10 (9 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#69 Indicados ao Oscar 2019
#68 Creed II
#67 Vidro
#66 Homem-Aranha no Aranhaverso
#65 WiFi Ralph e O Retorno de Mary Poppins
#64 Melhores Filmes de 2018
#63 Duro de Matar
#62 Roma
#61 O Senhor dos Anéis
#60 Scarface
#59 Infiltrado na Klan
#58 Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald
#57 O Legado de Stan Lee
#56 O Roteiro de Cinema
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Girl
(Girl, 2018)
• Direção:
- Lukas Dhont
• Elenco Principal:
- Victor Polster
- Valentijn Dhaenens
- Nele Hardiman
• Sinopse: Lara é uma garota de 15 anos que nasceu no corpo de um menino e que sonha em ser bailarina.
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE
Apoiadores
Promobit: O site para encontrar aquela promoção imperdível