FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
CRÍTICA

Gravidade

(Gravity, 2013)
Por Rodrigo Torres de Souza Avaliação:                 8.0
O incrível filme de trama simplória.

Filhos da Esperança (Children of Men, 2006) não é exatamente um grande sucesso entre o público médio, mas tem uma avaliação maioritariamente positiva entre a crítica especializada e os cinéfilos mais exigentes. Para felicidade de seus realizadores, o filme agrada tanto pelas discussões que seu universo distópico suscita, como pela qualidade técnica da obra, admirada por envolventes e criativos planos sequências. Diante desse parâmetro, o novo de Alfonso Cuarón, Gravidade (Gravity, 2013), se mostra tematicamente menos ambicioso e versátil do que se poderia esperar, mas corresponde plenamente enquanto realização cinematográfica, pela engenhosidade de suas cenas e (mero) exercício de gênero.

O modo como se estrutura a história ilustra sua simplicidade: o veterano Matt Kowalsky (George Clooney, puro carisma) lidera, em sua última viagem espacial, uma equipe da NASA que conta com a cientista Ryan Stone (Sandra Bullock), em sua primeira ida ao espaço, como responsável pelo reparo e manutenção das estações espaciais - e a disparidade de experiência entre os dois protagonistas é tão convencional quanto os rumos que a aventura, sempre previsível, irá tomar. Porém, Gravidade acerta justamente por sua despretensão, pelo esclarecimento do que se propõe e a quem se destina.

Desse modo, ainda que a personagem de Sandra Bullock, na gravidade 0 da estação espacial, eventualmente se posicione como um feto (enquanto traços formam seu cordão umbilical e a luz solar ao fundo dê maior ênfase ao ato do nascimento, compondo belíssima cena), em nenhum momento Cuarón se mostra mais preocupado em transmitir alguma mensagem filosófica ou apresentar um subtexto mais sofisticado (e a cena descrita não pode significar mais que o renascimento de um indivíduo depressivo, a se reerguer em um momento de urgência, despertado por seu instinto de sobrevivência) a apenas manter o espectador agarrado à poltrona durante toda a projeção. Desse ponto de vista, Gravidade é nada mais que um filme-catástrofe; mas, um filme-catástrofe dos bons, muito bons.

O roteiro é repleto de gatilhos de tensão, com os protagonistas sendo submetidos a todo tipo de contratempos no inóspito e hostil espaço sideral. No entanto, é a habilidade do cineasta com a câmera que envolve o espectador por completo. Dos segundos iniciais à primeira chuva de detritos espaciais, são aproximadamente 20 minutos de um dos mais espetaculares planos sequências já produzidos pelo cinema. E assim é ao longo de todo o filme, basicamente composto de planos muito longos, belíssimos (a vista da Terra é deslumbrante!) e incrivelmente bem coreografados. Ciente de que já não desperta fascínio em ninguém captar objetos flutuando (apesar de muito curioso ver a formação de chamas perfeitas, como que desenhadas, a partir de fios em curto circuito), Cuarón explora todas as possibilidades que o espaço (ou os espaços, o fílmico e o físico) lhe proporciona(m), e a câmera ora contorna toda uma nave e percorre todo o seu interior, ora se mantêm estática enquanto uma estação espacial gira freneticamente, sempre surpreendendo pela perfeição com que realiza cenas de níveis de dificuldade extremos.

Por tudo isso, pode-se dizer que Gravidade é mesmo um grande feito cinematográfico. Por outro lado, é um filme de trama simplória e um compromisso mercadológico muito superior ao do politizado e sombrio Filhos da Esperança. Nesse contexto, à crítica e aos mais apaixonados pela Sétima Arte, resta apenas reconhecer e enaltecer o primor de uma obra tecnicamente impecável - o que torna deliciosamente irônico perceber que o plano sequência final é dotado de um pequeno incidente, quando uma gota cai sobre a lente da câmera, funcionando como uma quebra de quarta parede; um estalar de dedos a reorientar o público, antes entorpecido pela tensão e pelo realismo impressionante de um thriller espacial repleto de CGI - e eu, particularmente, não tenho dúvidas de que a cena foi mantida como uma pequena brincadeira de Alfonso Cuarón, a bradar "Sim, é um filme, e fui eu que fiz!", compreensivelmente orgulhoso de sua realização.

Por Rodrigo Torres de Souza, em 05/10/2013 Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 9.0
• Daniel Dalpizzolo 6.0
• Rodrigo Cunha 8.0
• Régis Trigo 8.0
• Demetrius Caesar 5.0
• Silvio Pilau 10.0
• Heitor Romero 7.5
• Marcelo Leme 8.0
•  Média 7.7
Notas - Usuários
8.0 (632 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (40)
Por Jonas Marcos Tomazelli, em 13/03/2014 | 13:43:48 h
O filme é de uma qualidade técnica excelente, prende a atenção do inicio ao fim, só não entendo a crítica de certas pessoas que se detém a detalhes insignificantes ao somar de toda a obra. A história é simples, mas envolvente, e não é uma história surreal, lembramos de tudo oque ocorreu com a Apollo 13. Com certeza entra para meu top 10.
Por Alana Oliveira, em 09/01/2014 | 20:26:44 h
Previsível, porém encantador. Magnífico, eu diria.
Por Luis Felipe, em 21/12/2013 | 21:09:38 h
Um suspense no espaço bem construído; mas um pouco superestimado...Sunshine - Alerta Solar me fez preocupar mais com a parada que isso daqui, não deixa de ser bom.
Por Matheus Veiga, em 21/12/2013 | 14:23:44 h
Filme Maravilhoso.
Por Alexandre Koball, em 21/10/2013 | 16:30:50 h
Acho que são uns 30 atualmente... mas a nota não é suficientemente alta, ou a quantidade de votos ainda para a nota atual.
Por Pedro H. S. Lubschinski, em 21/10/2013 | 15:47:05 h
Aproveitando Koball, há um número X de votos que o filme precisa atingir para entra no top? Pois, esse está com a média suficientemente alta e com bons votos para estar lá...
Por Alexandre Koball, em 21/10/2013 | 13:33:57 h
Ainda não entrou no Top Usuários, mas vai entrar... no IMDb já está em uma posição altíssima.
Por Felipe Nicéas Carneiro Leão, em 21/10/2013 | 13:14:22 h
Silvia Lima, da próxima vez que for tecer comentários sobre determinado filme, favor utilizar a palavra SPOILER antes para que os demais usuários saibam que você está contando alguma determinada cena, felizmente quando li seu comentário, já havia visto o filme.
Por Renan Fernandes, em 20/10/2013 | 02:35:15 h
Crítica incrível, o filme também show de bola...trama simples porém me prendeu, que experiencia legal foi ver o filme.
Pretendo assistir novamente no cinema, um daqueles filmes que não se vê toda hora do cinema.
Por Silvia Lima, em 19/10/2013 | 19:32:08 h
Para mim, foi uma experiência visual incrível e não pude deixar de achar, que na cena em que Ryan Stone fica em posição fetal enquanto uma caneta passeia entre vários outros objetos, cena lindíssima por sinal, que fosse propositalmente uma bela homenagem a Kubrick. Aliás vejo muita inspiração em 2001.. a partir daquela cena externa onde Hall impede que os astronautas retornem para o interior da nave.
Por Felipe Nicéas Carneiro Leão, em 17/10/2013 | 09:03:27 h
Um filme fantástico! Saí maravilhado do cinema, o filme é extremamente bem feito e consegue transmitir as sensações vivenciadas pelos personagens. Sandra Bullock se destaca, a atriz está muito bem no filme. Um dos melhores de 2013, sem dúvida alguma.
Por Silvio Pilau, em 15/10/2013 | 11:46:00 h
Achei espetacular.

Escrevi algumas palavras no meu perfil do Facebook: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=584726604928037&set=a.172969746103727.47016.100001721095967&type=1
Por Kaio Feliphe, em 14/10/2013 | 23:42:43 h
" (...) em vez de perder tempo com Avatar, deveria dar uma assistida em Filhos da Esperança."

Acho que os fatores estão invertidos nessa frase.

(SPOILERS) Quanto ao filme, me decepcionei um pouco. A primeira metade é maravilhosa mesmo, mas depois que o Kowalski morre o filme perde muita força. Cuarón não consegue dar profundidade ao personagem da Julia, e isso quase não sustenta a narrativa. Além daquela cena do delírio, que foi bem besta.
Por Diogo Cordeiro da Silva, em 14/10/2013 | 22:54:37 h
Cara, aquela cena dela em posição fetal é linda. Quando ela quase para no ar, os "cordões umbilicais"... Eu achei bela demais. E o fim, traz a certeza para a referência.

Paulo, não viu, já é uma desculpa pra rever o filme! hahaha. Eu ja to arrumando umas, pq eu vou ver de novo.
Por Paulo Matheus, em 14/10/2013 | 20:48:43 h
Chateado aqui porque não me toque da cena do feto auhaushausha
Por Diogo Cordeiro da Silva, em 14/10/2013 | 19:31:08 h
Obrigado Cuaron, adorei esse filme. Cheguei do cinema agora e fiquei muito feliz com o que assisti. Faz tempo que não "viajava" literalmente numa sala de cinema.

E enquanto uns não gostaram do final, eu achei lindo demais. Mesmo previsível e simples, me emocionou.
Por George Fercalli, em 14/10/2013 | 14:59:12 h
Achei "Filhos da Esperança" decepcionante, espero que esse seja melhor!
Por Danilo Oliveira, em 14/10/2013 | 11:51:11 h
Parabens pelo texto,cara!
Achei o filme muito bem feito e visualmente excelente mas fiquei um pouco desanimado com o final e o roteiro em geral....! achei ele 7,5/10..
Sua critica agora me deu vontade de fazer uma revisao, urgentemente ahahahahah
Por Alexandre Koball, em 14/10/2013 | 11:47:37 h
OP mesmo. Até porque não precisa ter um texto profundo e lições marcantes para conseguir esse status. Essa é a beleza do cinema, tem obras marcantes em diversos gêneros, para diversos públicos, etc.
Por Jairo Simões, em 14/10/2013 | 10:13:14 h
Ótimo texto. Filme lindo! Tecnicamente impecável mesmo! Eu parecia um cachorro olhando para uma vitrine de açougue vendo o filme.
Por Daniel Oliveira, em 13/10/2013 | 03:40:46 h
Pra mim é OP, achei um filme espetacular! Parabéns pela crítica Rodrigo!

Aproveito para compartilhar a crítica que escrevi para meu blog pessoal, caso alguém queira conferir ;)
http://cinefilosantista.blogspot.com.br/2013/10/critica-gravidade.html
Por Gustavo Santos de Araújo, em 12/10/2013 | 22:32:39 h
Verossímel. ...O filme é excepcional. Lindo e sufocante...Bullock prova nesse filme a força de sua atuação dramática e não no erro cinematográfico The Blind Side, uma interpretação de desespero sem ser piegas
Por Ricardo Nascimento Bello e Silva, em 12/10/2013 | 16:37:38 h
Eu esperava muito, acho que até demais...
Por Vinícius Aranha, em 12/10/2013 | 14:51:51 h
Só um comentário sobre o título: Acho muito besta esse negócio de esperar menos de um filme com trama simples hoje em dia. O cinema já mostrou infinitas vezes que dá pra extrair muita coisa de uma premissa básica - até porque não é uma arte só narrativa, né.
Por Darlan Pereira Gama, em 11/10/2013 | 21:30:32 h
É um bom filme mas depois que george clooney sai de cena o filme perde em qualidade, mas no geral bom filme 7,5 apesar de esperar mais.
Por Jonas F. M., em 11/10/2013 | 20:23:30 h
FANTÁSTICO!
Por Alexandre Carlos Aguiar, em 07/10/2013 | 10:26:38 h
Pois é, acho que não vi. hehehe. Tô zoando.
E este filme parece ser muito bom, mesmo.
Por Rodrigo Cunha, em 07/10/2013 | 10:23:39 h
Eu achava que vc já tinha visto várias outras críticas do site, Alexandre...
Por Alexandre Carlos Aguiar, em 07/10/2013 | 09:45:24 h
Olha aí, um filme de ficção científica que não é em preto e branco, não tem diretor iraniano e atores escandinavos ganhando boa nota e crítica positiva deve ser sério candidato ao Oscar.
Por DANYEL BASTOS SOUZA, em 06/10/2013 | 15:34:21 h
Se o 3D for melhor dos que eu tenho visto po aí, já vai ser excelente, pois até hoje não vi nenhum filme 3D que justificasse essa tecnologia. Mas acredito que esse filme ainda vai gerar muito assunto. É esperar pra ver
Por Raphael da Silveira Leite Miguel, em 06/10/2013 | 15:24:33 h
Parece OP e também achei a nota baixa, apesar da crítica ser só elogios ao filme.
Por Lucas de Melo Silva, em 06/10/2013 | 11:23:57 h
Perder tempo com Avatar ... aiai
Por Ícaro Santana, em 06/10/2013 | 06:05:42 h
Como assim, Renan, "conferir de perto"? Você vai para o espaço?
Por Anderson de Souza , em 05/10/2013 | 18:38:28 h
A lupinha ja da a entender que eh pura birra.
Por Alexandre Koball, em 05/10/2013 | 16:01:47 h
Parece OP, a nota do Dalpy apenas confirma isso
Por Rodrigo Jambeiro Pinto, em 05/10/2013 | 13:12:19 h
É Cuarón e Emmanuel Lubezki, amigos. Vale a pena conferir (e por falar em conferir, quem ainda não viu, em vez de perder tempo com Avatar, deveria dar uma assistida em Filhos da Esperança. E quem já viu, dar uma revisada. É uma das melhores ficções-cientificas já feitas e, certamente, um dos filmes mais subestimados da última década)! E estou só imaginando como deve ser a experiencia de assistir no cinema em 3d. Alguns que viram dizem que estavam praticamente babando em frente a tela...
Por Patrick Corrêa , em 05/10/2013 | 05:47:50 h
Gente, o filme é incrível.
Vale muito a conferida mesmo.
Por Francisco Bandeira, em 05/10/2013 | 04:05:46 h
Muito interessante as críticas que li até o momennto sobre o filme. Ansioso para conferir!
Por Ricardo Nascimento Bello e Silva, em 05/10/2013 | 01:59:33 h
Espero algo bom . Gostei da crítica também
Por Renan Fernandes, em 05/10/2013 | 01:09:09 h
Poxa! estou surpreso com a crítica... vou conferir de perto
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Gravidade
(Gravity, 2013)
• Direção:
- Alfonso Cuarón
• Elenco Principal:
- Sandra Bullock
- George Clooney
- Basher Savage
• Sinopse: A história ocorre numa estação espacial remota. O líder da estação e uma colega viajam pela estaçao espacial quando os outros membros da equipe são dizimados pelos escombros de um satélite que explodiu.
 FILMES RELACIONADOS
• Filhos da Esperança
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2014) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
MAPA DO SITE
ANUNCIE CONOSCO