FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Homem-Aranha: De Volta ao Lar

(Spider-Man: Homecoming, 2017)
Por Cesar Castanha Avaliação:               7.5
Um novo lar.
imagem de Homem-Aranha: De Volta ao Lar
Todas as três leituras cinematográficas para o Homem-Aranha partem de Peter Parker como um estudante de colegial. É este, afinal, o ponto de origem do personagem, apesar de sua passagem pela adolescência ser consideravelmente breve e distante nos quadrinhos. Há um apelo óbvio, principalmente a um público mais novo, na ideia do super-herói que está na escola. Apresenta-se o personagem como um adolescente rejeitado, o seu interesse amoroso como a rainha do baile, o ganho de poderes aparece como uma metáfora para a puberdade, e a vitória sobre o valentão surge como o primeiro ponto de reviravolta para o herói. E o personagem é assim desenvolvido, apoiando-se em um estereótipo de cada vez.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar, como os outros filmes, utiliza-se desses estereótipos, mas dessa vez não como um mero arco de etapas para a jornada do herói. O filme realmente se apropria desse imaginário do colegial americano, brinca com seus tipos e clichês (o clube de debate, a detenção, o baile de homecoming). O fator super-herói surge aqui como o remate de um filme coming of age: o garoto que luta contra o crime na hora do recreio.

Ao se aproximar desse mundinho típico do cinema adolescente, o filme coloca Peter Parker (Tom Holland) à margem do universo cinematográfico da Marvel, agindo sobre as ruínas deixadas pelas aventuras do elenco principal de super-heróis. O filme todo, mesmo pontuado pela participação de Tony Stark/Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), percebe os Vingadores como um sonho distante.

Na primeira cena, um desenho infantil representando a equipe na luta contra Loki em Nova York toma a tela. O vilão do filme (Michael Keaton) segura essa imagem em suas mãos e comenta sobre essas figuras. Ele é um operário que trabalha com os detritos dessa grande batalha, e a vitória de um enfrentamento entre deuses diz muito pouco para ele além de entulhos a serem transportados. Quando rouba alguns dos materias alienígenas que ficaram entre as ruínas para fabricar armas, ele só consegue se tornar um projeto de super-vilão, sem nunca alcançar a mesma dimensão de ameaça daqueles que antes detinham a mesma tecnologia. Na segunda sequência introdutória, vemos uma série de filmagens de um tipo de diário em vídeo mantido por um Parker muito extasiado durante os eventos de Capitão América: Guerra Civil.

O desenho da primeira cena, o trabalho do vilão e a atitude deslumbrada de Parker diante do mundo em que foi abruptamente inserido afastam De volta ao lar da ação principal, acenando até mesmo para o contexto de produção do filme: um acordo de colaboração muito singular entre a Sony e a Marvel Studios. E estabelecer essa distância fez muito bem ao objetivo de introduzir o personagem e seu entorno. De volta ao lar é um filme bem resolvido em si mesmo, e não está preocupado — como os dois Espetacular Homem-Aranha, por exemplo — em juntar o máximo possível de referências para o universo do cabeça de teia e garantir ganchos para uma longa série cinematográfica.

O que se percebe esgotado, no filme, nunca é o personagem, mas o esquema típico do filme de super-herói, que aqui se repete: o herói se depara com o perigo do antagonista em uma primeira cena de ação, tem um avanço significativo na segunda, um recuo frustrante na terceira e uma vitória final na quarta. Pode ser um pouco decepcionante antecipar quase todo o caminho da trama. É curioso perceber, no entanto, que as viradas e soluções realmente interessantes e até mesmo originais do filme não se dão para o Homem-Aranha, mas para Peter Parker.

De Volta ao Lar parece procurar um pouco o tom juvenil e contemporâneo do Aranha de Miles Morales nos quadrinhos. O ambiente escolar, além de mais presente, é menos caricato do que os outros filmes — dessa vez é possível ao menos conceber os atores como adolescentes em idade de colegial —, e a recriação dos personagens é bem simpática. Ned Leeds (Jacob Batalon) foi totalmente repaginado à semelhança de Ganke, o amigo e ponto de confiança de Miles nos quadrinhos. Tony Revolori faz uma ótima leitura pro Flash como um bully que ninguém leva a sério. Tia May (Marisa Tomei) é conduzida a uma relação de um pouco mais de igualdade com Peter. E há um boa surpresa reservada para Michelle (Zendaya).

Agrada-me que, ao mesmo tempo que esses atores evocam personagens queridos, é dada bastante liberdade para subvertê-los e trazer assim algo de novo para esse cenário do Homem-Aranha — é um tipo de relação mais saudável com o material originário que as adaptações para a televisão e serviços de streaming têm adotado com mais frequência que o cinema. O último gancho de De volta ao lar é delicioso e mostra que ainda há bastante espaço para o personagem nesta nova franquia, mesmo distante dos Vingadores, em bons e melhores filmes.
Por Cesar Castanha, em 04/07/2017
Avaliação:               7.5
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 4.0
• Daniel Dalpizzolo 6.0
• Régis Trigo 6.0
• Heitor Romero 6.0
• Marcelo Leme 6.0
• Cesar Castanha 7.5
• Rafael W. Oliveira 6.0
•  Média 5.9
Notas - Usuários
7.0/10 (182 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (3)
Por Diego Henrique Rezende, em 21/07/2017 | 17:45:44 h
As crianças irão gostar bastante. E só. É verdade que as piadinhas padrão Marvel funcionam de forma até satisfatória. Divertem. Mas é um divertimento que dura instantes. Julgo que esse vício frenético de lançar (e relançar, que é o caso aqui) filmes cujas estórias se entrelaçam aos borbotões configura um certo desespero. Níqueis, em outras palavras. Mais níqueis, menos Qualidade. Ou apenas eu julgo o primeiro filme (Sam Raimi) bastante superior a esse?
E o mesmo tem de ser dito sobre Homem de Ferro, Thor etc.
Em tempo: até o M. Night Shyamalan entrou nessa de rebut ou continuação, que seja. Melhor que não fosse.
Por Felipe Nicéas Carneiro Leão, em 17/07/2017 | 09:46:03 h
Pretendo ver essa semana, me parece ser um bom filme.
Por Araquem da Rocha , em 04/07/2017 | 21:43:33 h
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #007 Stranger Things
• #006 45 anos de O Poderoso Chefão
• #005 Branca de Neve e os Sete Anões
• #004 Halloween
• #003 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #002 De Volta Para o Futuro
• #001 Os Goonies
• #000 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Homem-Aranha: De Volta ao Lar
(Spider-Man: Homecoming, 2017)
• Direção:
- Jon Watts
• Elenco Principal:
- Tom Holland (II)
- Michael Keaton
- Robert Downey Jr.
• Sinopse: Peter Parker tenta conciliar a vida de estudante do colegial com a de super-herói ao mesmo tempo, desde que Tony Stark pediu sua ajuda. Vigiado a distância por Happy Hogan, ele não deve agir demais e interferir tanto nos problemas da cidade. Mas qu...
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE