FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Laços de Ternura

(Terms of Endearment, 1983)
Por Heitor Romero Avaliação:               7.0
Os laços inquebrantáveis.
imagem de Laços de Ternura
Aurora (Shirley MacLaine) e Emma (Debra Winger) vivem uma gangorra emocional constante, ora rindo juntas, ora chorando; ora passando a noite conversando e trocando experiências, ora brigando pelo telefone; ora enjoadas uma de olhar para a outra, ora desesperadas de saudade. A polidez e falta de senso de humor de Aurora se contrapõe à personalidade espirituosa e desinibida de Emma, de modo que uma parece incompleta e solitária sem a outra. Uma relação tão difícil e ao mesmo tempo tão natural parece improvável de se manter por tanto tempo sem sofrer algum desgaste, mas o fato é que a verdadeira ligação entre elas é incapaz de ser quebrada: Aurora e Emma são, antes de tudo, mãe e filha. Laços de Ternura (Terms of Endearment, 1983), diante deste fato, se desenrolará inteiro no sentimento mais forte que pode existir: o incondicional amor materno. 

Campeão de bilheterias, o drama do diretor e roteirista James L. Brooks acabou conquistando tanto público quanto crítica pela irreverência e delicadeza com que trata temas cotidianos, como as relações familiares, o casamento, a maternidade, o envelhecimento e o enfrentamento de uma doença. Sua simplicidade acabou lhe rendendo os Oscars de melhor filme, direção, atriz (para Shirley MacLaine), ator coadjuvante (Jack Nicholson) e roteiro adaptado. Se considerarmos que a década de 1980 é conhecida como uma das mais equivocadas em se tratando de filmes premiados com o Oscar, Laços de Ternura acaba parecendo um positivo destaque, mesmo não sendo necessariamente um grande filme. 

A estrutura de idas e vindas no tempo é um recurso interessante para frisar os altos e baixos na relação de Aurora e Emma e como os fatores externos na vida particular de cada uma acaba interferindo, porém jamais quebrando o relacionamento delas. Se por vezes os pulos entre passado e presente acabam sabotando o ritmo e impedindo o filme de se aprofundar melhor em alguns temas e núcleos, por outro ajuda a manter o tom leve e fácil de acompanhar pretendido pelo diretor e lhe dá a oportunidade de explorar Emma e Aurora como personagens individuais. Enquanto a mãe passa pelos medos naturais de envelhecer sozinha e de repente se encanta pelo vizinho despojado (vivido por Jack Nicholson), Emma encara sem a supervisão materna os desafios de formar uma família e lidar com desgaste no seu casamento com o inconstante Flap (Jeff Daniels). Tudo acaba sendo muito mais fácil para a filha, que seguiu seu caminho e tenta aprender com os próprios erros, mas para Aurora a distância se torna uma dor cada vez pior.

Laços de Ternura, desde sua primeira cena, resvala direto no seu tema principal, que não é necessariamente a relação de Aurora e Emma, mas sim a iminência da perda que toda a mãe sofre em maior ou menor escala. Desde o princípio Aurora perde cada vez um pedaço maior de sua filha, que aos poucos vai conquistando sua independência, vai aprendendo a se virar sozinha. Como mãe, seguindo seu instinto natural, ela está sempre sofrendo e de certa forma diminuindo conforme percebe seu espaço cada vez mais reduzido na vida da filha. Emma, por sua vez, só vai entender os sentimentos de preocupação e proteção excessivos de Aurora quando tem os próprios filhos e sente que precisa educá-los e amá-los sozinha, sem a ajuda de um marido desligado e emocionalmente ausente. 

A partir do ponto em que Emma se descobre com câncer, essa situação-chave de Laços de Ternura sobre a iminência da perda de uma filha se eleva à sua potência máxima. Se até então o distanciamento de Emma era parte do processo natural da vida, agora a chance de perdê-la de vez leva Aurora ao seu limite como mãe e como pessoa. Brooks explora esses sentimentos cada vez mais limítrofes com uma delicadeza tremenda, e as atrizes incorporam uma dinâmica tão verdadeira que fica impossível não se envolver com os dramas de cada uma. O tempo transformou Laços de Ternura em um desses casos de filmes injustamente premiados pelo Oscar que todos amam lamentar, mas independente de seu sucesso ou reprovação em círculos de prêmios, trata-se de um dos tratados mais belos sobre as relações capazes de prevalecer sobre qualquer obstáculo da vida – incluindo a morte. 
Por Heitor Romero, em 21/02/2018
Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 7.0
• Rodrigo Cunha 7.0
• Régis Trigo 7.0
• Heitor Romero 7.0
• Rodrigo Torres 8.0
• Marcelo Leme 8.0
•  Média 7.3
Notas - Usuários
7.7/10 (161 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (1)
Por Araquem da Rocha , em 21/02/2018 | 19:16:02 h
Um dos meus filmes favoritos!
Sempre esperei uma crítica dele aqui.
Obrigado Heitor.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #45 60 anos de Tim Burton
• #44 Meu Amigo Totoro
• #43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
• #42 Filmes da Sessão da Tarde
• #41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
• #40 100 anos de Ingmar Bergman
• #39 Os Incríveis 2
• #38 Era Uma Vez no Oeste
• #37 Jurassic Park e Jurassic World
• #36 O Bebê de Rosemary
• #35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
• #34 Han Solo: Uma História Star Wars
• #33 Deadpool 2
• #32 Um Corpo que Cai
• #31 Stephen King no Cinema
• #30 Vingadores: Guerra Infinita
• #29 A Franquia 007
• #28 Um Lugar Silencioso
• #27 2001: Uma Odisseia no Espaço
• #26 Jogador Nº1
• #25 Planeta dos Macacos
• #24 Quentin Tarantino
• #23 75 anos de David Cronenberg
• #22 Projeto Flórida
• #21 Trama Fantasma
• #20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
• #19 Oito e Meio de Fellini
• #18 A Forma da Água
• #17 The Post e os filmes de Jornalismo
• #16 Indicados ao Oscar 2018!
• #15 20 Anos de Titanic
• #14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
• #13 Melhores de 2017
• #12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
• #11 Especial Natalino
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Laços de Ternura
(Terms of Endearment, 1983)
• Direção:
- James L. Brooks
• Elenco Principal:
- Jack Nicholson
- Huckleberry Fox
- Betty King
• Sinopse: Aurora e Emma vivem os altos e baixos da relação mãe-filha. Enquanto Aurora, mãe protetora e viúva há alguns anos, não aprova o casamento de sua filha, Emma vive o drama de saber que seu marido a trai. Entre desentendimentos e alegrias, Aurora começa...
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE