FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Ligações Perigosas

(Dangerous Liaisons, 1988)
Por Heitor Romero Avaliação:                 8.5
O discreto charme da crueldade.
imagem de Ligações Perigosas
Depois de ser abandonada por seu amante Bastide, a perversa Marquesa de Merteuil (Glenn Close) só quer saber de vingança. Como a própria diz em determinado momento de Ligações Perigosas (Dangerous Liaisons, 1988), seu propósito no mundo é dominar o sexo masculino e vingar o feminino. Depois de muito manipular e brincar com seus amantes, ela planeja algo mais sofisticado agora que está com o ego ferido e, para isso, precisa da ajuda de seu amigo e ex-affair, o Visconde de Valmont (John Malckovich), conhecido pela libertinagem e falta de caráter. Sabendo que a pretendente do amante fujão é a jovem e inocente Cécile de Volanges (Uma Thurman), escolhida por ser o modelo ideal de esposa virtuosa, criada em convento e virgem, a Marquesa pede para que o Visconde seduza a jovem e a corrompa, para humilhar e surpreender Bastide na lua de mel. Ultrajado com a facilidade do “serviço”, Valmont recusa a proposta e se diz mais interessado em corromper a Madame de Tourvel (Michelle Pfeiffer), mulher casada e conhecida pelo rígido código  de conduta moral, que está passando uma temporada na casa da tia do Visconde. No fim, os dois entram num cruel acordo de troca de informações – basta Valmond provar, através de cartas, o sucesso no jogo de conquista com Tourvel para que receba em troca uma noite com a Marquesa de Merteiul, que por sua vez tentará corromper Cécile através de Raphael Danceny (Keanu Reeves), um jovem professor de música.

A partir desse plot, desenrola-se a teia de intrigas e traições que forma o todo de Ligações Perigosas, a melhor adaptação cinematográfica para o polêmico livro de Choderlos de Laclos, que escandalizou a elite francesa na época de seu lançamento, no século XVIII, retratando os nobres como pessoas mesquinhas e manipuladoras. Grande parte do sucesso da versão de Stephen Frears está no roteiro de Christopher Hampton, que já tinha comandado antes uma montagem da peça e soube preservar o aspecto epistolar do romance original, valorizando as cartas trocadas pelos personagens como condutoras narrativas em meio a um ambiente dominado por diálogos sussurrantes, gestos sutis e tênues expressões faciais.

A apuração estética de Frears também casa bem com o pano de fundo de uma França pré-revolucionária, ostensiva e hipócrita, mas o seu grande acerto está nos pequenos truques de câmera que usa para descamar cada vez mais as nuances dos ricos personagens de Laclos. A própria abertura dos créditos, com a imagem de mãos femininas abrindo uma carta, já indica uma história que será comandada por uma mulher, enquanto a opção de intercalar narração em off com os acontecimentos descritos nas cartas permite entender a real intenção de cada um por trás das aparências. Logo na cena inicial, quando vemos a Marquesa se admirando no espelho enquanto Valmond é rodeado por empregados que o ajudam a se vestir, Frears deixa claro que se trata de um jogo de vaidades, aparências e máscaras, e que os dois personagens estão se preparando para o início do primeiro round.

Ligações Perigosas trata da hipocrisia elitista e religiosa, da corrupção da moral, da perda da inocência, de ceder à luxúria, do cair de máscaras, mas tudo é comandado com tanta fina ironia e senso de competição que desperta no espectador uma estranha e culpada atração. Apesar de toda a maldade, manipulação e crueldade, é simplesmente impossível não sentir uma mórbida empatia pelo jogo da Marquesa e o Visconde. A massiva repetição de cenas que acompanham a rotina tediosa de passeios em jardins, jantares formais, apresentações de música erudita e códigos de conduta, só reforça o carisma da Marquesa e do Visconde, que faz de tudo para fugir do marasmo e se divertir em manipular as pessoas ao redor. A Marquesa, em especial, uma mulher à frente de seu tempo e presa numa época em que as mulheres tinham pouca voz ativa, extravasa sua frustração ao enxergar todo o cenário como um teatro de fantoches a ser comandado por ela, manipulando cada situação a seu favor e assim provando a superioridade intelectual e emocional do seu sexo, numa simples e eficaz filosofia: “vencer ou morrer”. A cena em que ela explica a Valmond sobre seu passado e o que a levou a se tornar quem é talvez seja o ponto alto do filme, com Frears aproximando gradativamente a câmera em direção ao rosto de Close, como que adentrando na personagem e revelando a verdadeira pessoa por trás da máscara.

Em um filme como Ligações Perigosas, a escalação do elenco é um ponto crucial, e muito do sucesso do filme se dá por conta de Glenn Close e John Malckovich, dois gigantes do cinema americano que desempenham aqui suas melhores performances. Close, principalmente, está em um tour de force excepcional mesmo para os seus padrões, e o enaltecimento da direção de Frears eleva a atriz ao ápice de seu vigor, exprimindo uma maldade tão crua e ao mesmo tempo tão sutil que chega a chocar. E, afinal, era essa a intenção, conseguir chocar séculos depois da mesma forma como o romance de Laclos chocou a sociedade de sua época. Dessa vez não pelas diversas abordagens sobre o sexo e a condição humana dentro de uma sociedade, mas pela identificação que gera quando percebemos sentir uma ligação perigosa com todo aquele mundo de malícias e discretos sorrisos.
Por Heitor Romero, em 20/02/2016
Avaliação:                 8.5
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 7.0
• Daniel Dalpizzolo 7.5
• Régis Trigo 8.0
• Heitor Romero 8.5
• Marcelo Leme 8.5
•  Média 7.9
Notas - Usuários
8.1/10 (224 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (9)
Por Patrick Corrêa , em 28/02/2016 | 00:32:50 h
Escrita pelo Heitor, a crítica costuma ser maravilhosa, e dessa vez não foi diferente.
Apoio os elogios aos desempenhos de Close e Malkovich, assim como o destaque para a ambientação da trama e sua capacidade de permanecer instigante.
Por Alexandre Marcello de Figueiredo, em 27/02/2016 | 21:53:19 h
Filmaço!
Por Heitor Romero , em 24/02/2016 | 20:04:26 h
Obrigado, pessoal
Por Augusto Barbosa, em 24/02/2016 | 15:50:33 h
Ah, sim, a versão do Milos Forman, com o Colin Firth e a Anette Bening, não fica muito atrás deste aqui não - a diferença é que lá tem a pegada mais irreverente do tcheco. E, claro, a dupla protagonista, apesar de nem de longe fazer feio (é a melhor atuação da Bening que eu tenha visto, na verdade), não chega nem perto desta. Mas é um baita filme.
Por Augusto Barbosa, em 24/02/2016 | 15:47:16 h
e o enaltecimento da direção de Frears eleva a atriz ao ápice de seu vigor

Notável como Frears enaltece a figura dela e torna sua intepretação, de fato, icônica. É um daqueles exemplos extremos - neste caso, de como as opções do cineasta interferem e muito no desempenho do ator.

E que título foda esse, hahaha.
Por Conde Fouá Anderaos, em 22/02/2016 | 12:57:20 h
Já era tempo de alguém se dispor a escrever uma crítica a melhor adaptação para o Cinema, desse que é um dos melhores romances de todos os tempos. O filme é um primor e tem personagens que poderiam ombrear nos palcos de hoje aos Cunhas da vida. Belo texto Heitor.
Por Adriano Augusto dos Santos, em 21/02/2016 | 11:11:56 h
Quase não existe coisa melhor.
Por Matheus Johan Darswik Rodrigues Barbosa, em 20/02/2016 | 23:13:31 h
Bela crítica Heitor.
Por Luiz Fernando de Freitas, em 20/02/2016 | 16:24:16 h
Que texto fantástico. Ligações Perigosas, o melhor trabalho de Frears, Glenn Close e John Malkovich. O filme é de um primor técnico imensurável, sem falar da sofisticação milimétrica de tudo que envolve a obra (direção, roteiro, direção de arte, fotografia, figurino, trilha, montagem, maquiagem), num dos estudos sociais mais honestos e reveladores do cinema. Obra-prima.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #45 60 anos de Tim Burton
• #44 Meu Amigo Totoro
• #43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
• #42 Filmes da Sessão da Tarde
• #41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
• #40 100 anos de Ingmar Bergman
• #39 Os Incríveis 2
• #38 Era Uma Vez no Oeste
• #37 Jurassic Park e Jurassic World
• #36 O Bebê de Rosemary
• #35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
• #34 Han Solo: Uma História Star Wars
• #33 Deadpool 2
• #32 Um Corpo que Cai
• #31 Stephen King no Cinema
• #30 Vingadores: Guerra Infinita
• #29 A Franquia 007
• #28 Um Lugar Silencioso
• #27 2001: Uma Odisseia no Espaço
• #26 Jogador Nº1
• #25 Planeta dos Macacos
• #24 Quentin Tarantino
• #23 75 anos de David Cronenberg
• #22 Projeto Flórida
• #21 Trama Fantasma
• #20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
• #19 Oito e Meio de Fellini
• #18 A Forma da Água
• #17 The Post e os filmes de Jornalismo
• #16 Indicados ao Oscar 2018!
• #15 20 Anos de Titanic
• #14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
• #13 Melhores de 2017
• #12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
• #11 Especial Natalino
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Ligações Perigosas
(Dangerous Liaisons, 1988)
• Direção:
- Stephen Frears
• Elenco Principal:
- Glenn Close
- John Malkovich
- Michelle Pfeiffer
• Sinopse: França, 1788. Um jogo de seduções ocorre entre uma Marquesa, um belo conquistador, o ex-marido da marquesa e uma linda mulher casada. Porém, o resultado de tudo é muito mais trágico do que apenas traição e pecado.
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE