FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Madame Satã

(Madame Satã, 2002)
Por Rafael W. Oliveira Avaliação:                 8.0
Recorte notável de uma das mais polêmicas figuras brasileiras dos anos 30.
imagem de Madame Satã
No plano que abre Madame Satã, vemos João Francisco dos Santos, o personagem título (interpretado por um surpreendente Lázaro Ramos) em um interrogatório com o rosto machucado e a expressão de injúria. Fora de plano, o delegado lhe define, em meio a perguntas, como um preto pobre, pederasta, violento e de pouca inteligência. À partir daí, o roteiro de Karim Ainouz (Praia do Futuro), Marcelo Gomes (Cinema, Aspirinas e Urubus), Sérgio Machado (Cidade Baixa) e Mauricio Zacharias (Deixe a Luz Acesa) se isenta de dizer muita coisa, e se contenta em tecer seu recorte de um momento peculiar na vida do polêmico Madame Satã.

Notável, aliás, é a construção da figura de Madame Satã no Rio de Janeiro dos anos 30, período tão conservador, politizado e elitista como os de hoje. Madame Satã é gay, malandro, presidiário, uma “bicha histérica” com orgulho incomum, e igualmente sonhadora, amante da arte teatral, uma pessoa de sentimentos explosivos e muita vontade de viver. Cotidianamente, vive às sombras do espetáculo 1001 Noites, onde trabalha como figurinista, mas sempre está atrás das cortinas recitando silenciosamente os trechos do espetáculo. 

Madame Satã é turbulento em sua relação familiar com Laurita (Marcelia Cartaxo) e Tabu (Flávio Bauraqui), com quem convive entre tapas e beijos, brigas e sorrisos. Oscilando entre a instabilidade emocional e o real apego e preocupação com sua família de consideração, a personalidade deste personagem grita por si só, é contagiante, fascinante e hipnótica, o que já permite que o filme de Ainouz diga muito sobre a riqueza que até hoje cerca a história de João Francisco dos Santos.

E isto se revela um trabalho difícil, o que denota o êxito de Ainouz em seu primeiro longa metragem, tão completo quanto outros de seus títulos posteriores como O Céu de Suely ou O Abismo Prateado. O diretor não foge de uma narrativa caótica que exemplifica a turbulência que cercava a vida de Madame Satã, perseguido pela polícia, enganado por seu patrão, praticante de roubos de carteiras… e quando nos damos de conta de como estamos torcendo pelo sucesso e felicidade de um personagem tão moralmente questionável, temos a prova de que o trabalho de humanização se fez certo, e nisto todos nós nos sentimos um pouco Madame Satã.

Como propõe um recorte específico de um período da vida de Madame, não há exatamente um desfecho conclusivo para a história, o que os obriga a recorrer ao praticamente indispensável letreiro final, que resume o findar da vida de João Francisco dos Santos e até chegar à sua importância histórica e influência. Mas é de se admirar a eficácia com que Ainouz encontra o desconforto que marcava o cotidiano sufocante de Madame, seja através da textura cromática que inunda a fotografia de Walter Carvalho (Central do Brasil) ou a direção de arte expressiva de Marcos Pedroso, numa reconstituição intensa da Lapa dos anos 30. Madame Satã é tão lírico e marginal quanto seu personagem-título.

Não há lágrimas fáceis no filme de Ainouz, por mais que possa haver alguma evocação para isto em alguns pontos, mas Madame Satã é um exemplo de cinebiografia definitivamente interessada no nome que desenha na tela, uma personalidade apaixonada, verborrágica, caricatural, mas tão autêntica quanto a história lhe entende ser. 
Por Rafael W. Oliveira, em 15/02/2018
Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 5.0
• Rodrigo Cunha 4.0
• Silvio Pilau 7.5
• Heitor Romero 5.0
• Marcelo Leme 5.0
• Rafael W. Oliveira 8.0
•  Média 5.8
Notas - Usuários
6.7/10 (138 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (1)
Por Dáiron César Waick Schuck, em 15/02/2018 | 18:05:52 h
Esse filme é ótimo!
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Madame Satã
(Madame Satã, 2002)
• Direção:
- Karim Ainouz
• Elenco Principal:
- Lázaro Ramos
- Marcelia Cartaxo
- Flavio Bauraqui
• Sinopse: No Rio de Janeiro, anos 1930, o filme acompanha o dia-a-dia e a intimidade de João Francisco dos Santos - malandro, artista, presidiário, pai adotivo, negro, pobre e homossexual. João acabou, mais tarde, transformando-se num mito carioca conhecido co...
 FILMES RELACIONADOS
• Central do Brasil
• Cidade Baixa
• Cinema, Aspirinas e Urubus
• Deixe a Luz Acesa
• O Abismo Prateado
• O Céu de Suely
• Praia do Futuro
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE