FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Mulheres Alteradas

(Mulheres Alteradas, 2018)
Por Francisco Carbone Avaliação:         4.5
À beira de um ataque de indecisão.
imagem de Mulheres Alteradas
Comédia nacional é um gênero que, aliado a características populares, costuma representar Globo Filmes, que junto à marca atrela expectativas negativas a qualquer produto. Se o público acaba recebendo esses produtos de maneira maciça e indo cegamente em sua direção, a crítica especializada aponta em caminho contrário e a desarmonia está formada. Mas embora haja de fato uma linha de produção que promova grupos de longas sem quaisquer elemento positivos, com extensas referências televisivas que vão de elencos a textura de imagens típicas das telenovelas (com perdão às mesmas), vez por outra exceções dão as caras. Nos últimos anos Tô Ryca!, Loucas pra Casar e Minha Mãe é uma Peça fizeram a diferença no meio da geleia amarga, sem inventar a pólvora, só divertindo, com atores adequados e roteiros que, se não eram a quinta maravilha, ao menos forneciam algo além da repetição ou babar em cima de humoristas e/ou fórmulas.

Chegamos então até o humor de Maitena, que há algum tempo tem fãs por aqui. Essa escritora e cartunista argentina já faz sucesso por aqui, e Mulheres Alteradas antes apareceu nos palcos, com Mel Lisboa, Adriane Galisteu e Tânia Alves no elenco. O humor textual da autora combina tanto com o visual e o físico que a próxima encarnação do mesmo deveria ser mesmo o cinema. E taí a surpresa: o diretor Luis Pinheiro acerta exatamente no mais difícil, em transpor a linguagem dos quadrinhos para a telona, suas gags e seus maneirismos, a tônica primal da escritora. Egresso da série Lili, a Ex (de onde trouxe a ótima Maria Casadevall), Pinheiro imprime ritmo e uma graça insuspeita com seu quarteto de protagonistas à beira de um ataque de nervos. E o que hoje é politicamente correto ou não no tratamento com o feminino? Esse é um dos dilemas do longa, que no fim das contas é dirigido e adaptado por homens.

Keka, Marinati, Leandra e Sônia são mulheres completamente diferentes, com problemas completamente diferentes e aspirações idem. A primeira vive um casamento morno com Dudu e está a ponto de jogar a toalha para a rotina. A segunda é uma workaholic que fez um pacto particular de não se apaixonar por ninguém. A terceira é uma baladeira profissional que se ressente da família que ainda não conseguiu criar. E a quarta é uma realizada mãe e dona de casa que começa a sentir uma ligeira acomodação. As quatro têm ligações pessoais que vão se revelando ao longo da projeção e estão em estágios distintos de desespero para dar o 'passo seguinte', em cada seara de seus incômodos. O lado bom é que nem todos os problemas têm metas românticas como alvo, o lado ruim é que nada é tão bem desenhado quanto Maitena concebeu.

Tecnicamente é um filme com certo rigor, com uma direção de arte muito interessante que também aproxima o filme de sua matéria-prima original, com estilização e um excesso de cor bem vindo ao universo, sem parecer cafona. Como já citado, o filme tem ritmo e montagem bacana, que também contribuem para o quadro geral, diferenciando o produto da massa uniforme das comédias pop nacionais. E pra completar o pacote, até efeitos visuais eficientes o filme tem, se colocando num caso raro e à parte de acertos dentro do audiovisual local. Onde estão os problemas de Mulheres Alteradas então? Digamos que estão na sempre complexa falta de coesão entre a naturalidade e o exagero, entre o possível e o improvável dentro de um produto que é arriscado, pelas suas inúmeras fontes e públicos pretendidos.

Isso fica muito claro quando observamos o elenco, que não consegue em muitos momentos acertar o passo em todas as inflexões. Deborah Secco talvez seja a maior prejudicada, mas definitivamente a culpa não é dela; Mônica Iozzi convence fora do seu lugar comum, garantindo uma performance cheia de camadas; a já citada Casadevall está em casa, talvez pela proximidade anterior com Pinheiro; mas o grande momento é mesmo de Alessandra Negrini, uma atriz que se arrisca muito sempre, na beira do precipício por natureza, e que aqui casa com perfeição um histrionismo natural com a proposta procurada pelo projeto. As outras três vez por outra sofrem com essa falta de sincronia natural do projeto, que tenta ser cartoon e real, as vezes ao mesmo tempo. É um problema de verdade, mas que não esconde a vontade de ir além da estreia em longas de Pinheiro.
Por Francisco Carbone, em 02/07/2018
Avaliação:         4.5
Notas - Equipe
• Francisco Carbone 4.5
•  Média 4.5
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #38 Era Uma Vez no Oeste
• #37 Jurassic Park e Jurassic World
• #36 O Bebê de Rosemary
• #35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
• #34 Han Solo: Uma História Star Wars
• #33 Deadpool 2
• #32 Um Corpo que Cai
• #31 Stephen King no Cinema
• #30 Vingadores: Guerra Infinita
• #29 A Franquia 007
• #28 Um Lugar Silencioso
• #27 2001: Uma Odisseia no Espaço
• #26 Jogador Nº1
• #25 Planeta dos Macacos
• #24 Quentin Tarantino
• #23 75 anos de David Cronenberg
• #22 Projeto Flórida
• #21 Trama Fantasma
• #20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
• #19 Oito e Meio de Fellini
• #18 A Forma da Água
• #17 The Post e os filmes de Jornalismo
• #16 Indicados ao Oscar 2018!
• #15 20 Anos de Titanic
• #14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
• #13 Melhores de 2017
• #12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
• #11 Especial Natalino
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Mulheres Alteradas
(Mulheres Alteradas, 2018)
• Direção:
- Luíz Pinheiro
• Elenco Principal:
- Deborah Secco
- Alessandra Negrini
- Maria Casadevall
• Sinopse: A vida de quatro mulheres e seus problemas do dia a dia, incluindo crises no casamento, excesso de trabalho e maternidade.
 FILMES RELACIONADOS
• Loucas pra Casar
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE