FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
CRÍTICA

Nem Por Cima do Meu Cadáver

(Over Her Dead Body, 2008)
Por Alexandre Koball Avaliação:     2.0
O baixo nível de QI do roteiro e de suas personagens impera em mais uma comédia romântica dispensável.

Há bem pouco o que dizer deste Nem Por Cima do Meu Cadáver. Dirigido pelo novato Jeff Lowell, que também escreveu o roteiro, trata-se apenas de mais uma comédia romântica com clima – e mesmo produção – de novelas baratas do México ou do Brasil. Paul Rudd, que faz o papel principal masculino, já havia se dado melhor com Ligeiramente Grávidos, mesmo no papel de coadjuvante. Completando o elenco principal, temos Eva Longoria Parker, em uma interpretação irritante de uma fantasma que volta para atormentar seu ex-noivo e Lake Bell, totalmente sem graça como o interesse romântico de Rudd. Jason Biggs nem vale ser citado com destaque, pois seu papel é tão constrangedor (“o amigo gay”) que é melhor que seus fãs esqueçam que participou deste filme.

Não sabendo muito bem para que lado atirar, o roteirista Jeff Lowell cria uma mistura de várias outras comédias e romances que Hollywood já nos apresentou. Sabendo também que o tema “vida após morte” geralmente chama a atenção, Lowell sugou um pouco da idéia de Ghost – Do Outro Lado da Vida (apenas para ficarmos em um exemplo mais recente, já que a idéia do par que morreu e acompanha o(a) amado(a) do mundo dos mortos é bem mais antiga que isso), misturando-a com um pouco de tudo e adicionando também piadas esporádicas (que funcionam apenas em 20% das vezes, sendo otimista). O resultado é um trabalho fraquíssimo e com cara de desgastado – sem uma ponta de originalidade.

Se pelo menos essa falta de originalidade fosse coberta por cenas graciosas ou divertidas, o público teria justificativas plausíveis para assistir ao filme. Mas não: Nem Por Cima do Meu Cadáver foi um fracasso nos cinemas, pois é tão genérico que sequer tem força para despertar o mínimo de interesse mesmo no espectador do gênero, que não costuma ser lá muito exigente. A maior responsável pelo quase-desastre é a personagem de Eva Longoria: fazendo o papel da “noiva-morta-ciumenta”, sua arrogância perante Ashley (Lake Bell) é detestável, principalmente pelo fato de sua personagem ser burra e estúpida como uma porta. As expressões repetitivas de Eva também não ajudam quando o assunto é identificação do público com a personagem.

É a burrice dela que faz com que ela não ouça as instruções da anja no começo do filme, ou seja, a burrice da personagem se faz necessária para levar adiante o fiapo de história – o que é constrangedor e deveria ter sido evitado pelo roteiro. A personagem de Lake também não fica muito atrás. No final das contas o filme é uma disputa de estupidez e burrice entre as mulheres do filme – e o pobre Henry (Paul Rudd) fica no meio disso tudo. Isso porque nem citei a personagem da irmã de Henry, ainda mais irritante que as duas outras. Lotado de personagens mentalmente limitados (como se somente a beleza bastasse para Rudd se apaixonar por Ashley), este portanto não é apenas um filme fraco em roteiro e dono de clichês colossais; é um filme que, para o bem de sua platéia, deveria ser evitado pelo nível de QI baixíssimo.

Sem grandes cenas para apresentar, já que mesmo o clímax, que consiste nas óbvias cenas corrida atrás da amada em um aeroporto e um posterior previsível casamento (por isso não me importo de ter escrito isso aqui como um grande spoiler), Nem Por Cima do Meu Cadáver pode – e, como foi comentado, deveria – ser evitado a todo custo. Há piadas esporádicas que divertem um pouco, e Paul Rudd parece ser um sujeito bacana (ainda que dentro de um personagem horrivelmente batido – o “cara legal mas deprimido”), mas de forma alguma o suficiente para salvar o trabalho no todo. A direção sem graça (que faz o filme ter cara de televisão) de Jeff Lowell só não entra na conta pelo fato de ser ele um novato como diretor, então entende-se um pouco as limitações nesse sentido. Mais uma comédia romântica desprezível – dessa vez, mesmo para quem é bastante fã do gênero. E considerando a qualidade do filme, creio que já falei demais.

Por Alexandre Koball, em 25/10/2008 Avaliação:     2.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 2.0
•  Média 2.0
Notas - Usuários
5.1 (46 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Nem Por Cima do Meu Cadáver
(Over Her Dead Body, 2008)
• Direção:
- Jeff Lowell
• Elenco Principal:
- Eva Longoria
- Paul Rudd
- Lake Bell
• Sinopse: Kate é uma noiva mandona e controladora que não deixa nada nem ninguém atrapalhar o dia do seu casamento. Isto é, até ela tornar-se vítima de sua própria tirania quando uma escultura de gelo que rejeitou cai sobre ela e a mata horas antes do casament...
 FILMES RELACIONADOS
• Ligeiramente Grávidos
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2014) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
MAPA DO SITE
ANUNCIE CONOSCO