FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

O Grinch

(Grinch, The, 2018)
Por Bernardo D.I. Brum Avaliação:         4.5
Um pastiche de fábula natalina.

Criado para a literatura em 1957 por Dr. Seuss em Como o Grinch Roubou o Natal, o humanóide verde Grinch chega em 2018 a sua terceira adaptação audiovisual, após um especial de TV onde teve a voz feita por Boris Karloff (Frankenstein) e um live-action protagonizado por Jim Carrey (Todo Poderoso) em 2000. Agora, o estúdio Illumination, responsável pela franquia Meu Malvado Favorito, lança em 2018 a animação computadorizada O Grinch.

No novo filme, a dupla de diretores Peter Candeland e Yarrow Cheney não fazem muito além de trazer para a moda atual a história do Grinch, o seu ódio antigo e ressentido pela época do Natal e a redenção que encontra através da pureza da garotinha Cindy Lou. Por aí se entende uma grande participação de atores ou personalidades famosas para integrar o elenco, uma trilha sonora lotada de conhecidos hits da música pop e uma grande aposta no humor físico acima de tudo. Ou seja, apesar da história diferente, nada que divirja muito de filmes como Minions.

O Grinch não aproveita a duração menor em relação à versão anterior - vinte e quatro minutos a menos - para ser mais dinâmico. Ao invés disso, é bem mais apressado e menos desenvolvido. O novo filme dá destaque ainda maior para o cachorro Max e o novo personagem, a atrapalhada rena Fred. Com isso, boa parte do filme revolve ao redor das cômicas situações envolvendo Grinch querendo estragar o natal com ajuda dos ajudantes puros e bem intencionados demais para entender seu ressentimento. Por um lado, o filme trabalha bem o personagem de Max, que é leal e carinhoso mas também se chateia e discute com seu dono esverdeado. Já Fred é desperdiçado, entrando e saindo da trama de maneira puramente utilitária, mais para fazer graça e “ser fofo”, nunca demonstrando questões próprias e condenado unicamente às gags por seu tamanho avantajado.

Todo esse festival de piadas mencionado tem um preço. Boa parte da fama do Grinch para a cultura pop baseia-se em alguns elementos que o filme não explora. O primeiro é o passado do Grinch que torna compreensível seu ressentimento, aqui resolvido em um flashback de menos de um minuto, enquanto a versão dirigida por Ron Howard (Uma Mente Brilhante) em 2000 torna sua história intimamente ligada à Quemlândia. Assim sendo, a informação é até compreensível, mas nunca realmente sentida. Antes o Grinch virou “o Grinch” inclusive por ser vítima de bullying do colega que viria a ser o prefeito; aqui ele é apenas ignorado. 

E dramaticamente falando, talvez o pior aspecto do novo filme seja a relação entre o Grinch e Cindy Lou. É à princípio a história de uma alma salva da solidão pelo espírito natalino de solidariedade. Aqui, a dupla principal de protagonistas mal se encontra cinco vezes, então fica a dúvida de como a garota consegue transformar a criatura. Antes, Cindy ia especificamente até a casa do personagem-título para provar à Quemlândia que o Grinch era uma boa pessoa; aqui, ninguém é hostil ao Grinch e sua relação com sua coadjuvante é meramente circunstancial e acidental. 

O filme não consegue descolar da sensação irritante de linha de produção do estúdio, que um dia uma fórmula foi descoberta e então qualquer desafio foi então abandonado. O filme não tem carisma próprio nem uma linha narrativa focada em seu drama. Acerta na reprodução do humor visual que chamou a atenção em Meu Malvado Favorito, o misto de fofura com trapalhada, mas trabalha questões de drama forma genérica. Em certos momentos, nem se sabe para onde a trama está caminhando, ou seja, a sensação é de que as questões narrativas são mera costura para personagens batendo cabeça, dando topadas e dançando ao som de sucessos populares. 

Quando tenta ser dramático, é apelativo com closes e música alta mas sem desenvolvimento dramático, de nada adianta: o pedido de desculpas do Grinch após devolver os presentes é tão rápido e raso que praticamente joga fora o clímax de redenção e a catarse que toda fábula moral precisa ter. Com tamanha preguiça criativa, a nova obra da Illumination pode até divertir, mas sem situações e personagens para nos importarmos, jamais marca de verdade o espectador.
Por Bernardo D.I. Brum, em 07/11/2018
Avaliação:         4.5
Notas - Equipe
• Régis Trigo 4.0
• Bernardo D.I. Brum 4.5
•  Média 4.3
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Grinch, O
(Grinch, The, 2018)
• Direção:
- Peter Candeland
- Yarrow Cheney
• Elenco Principal:
- Benedict Cumberbatch
- Angela Lansbury
- Rashida Jones
• Sinopse: O maldoso Grinch planeja arruinar o natal no vilarejo de Whoville. Nova adaptação dos famosos livros do Dr. Seuss.
 FILMES RELACIONADOS
• Como o Grinch Roubou o Natal
• Frankenstein
• Meu Malvado Favorito
• Todo Poderoso
• Uma Mente Brilhante
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE