FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
CRÍTICA

Obrigado Por Fumar

(Thank You for Smoking, 2005)
Por Alexandre Koball Avaliação:               7.0
De forma leve e descompromissada, como uma boa sátira, Obrigado Por Fumar atira em direção à indústria tabagista e outras potências dos EUA.

Filmes políticos e sociais estão em alta nos últimos anos. Com a impopularidade de Bush e companhia mundo afora, nada mais fácil do que falar mal da administração e dos costumes norte-americanos. Obrigado por Fumar é uma espécie de sátira à indústria de tabaco, e aproveita para tirar sarro também da indústria da bebida e das armas, além de tirar casquinha de Hollywood. Quatro potências estadunidenses. E o filme faz isso de forma despretensiosa, nunca se levando muito a sério. É, no final das contas, uma agradável comédia social com toques de documentário, bem dirigida e que sabe apontar nas direções corretas quando realiza suas críticas.

Sim, cigarro mata! Mas não há um só culpado. A indústria é vilã; o governo também. Mas quem compra o cigarro tem mais culpa ainda. Creio que esse seja o melhor ponto de todo o filme. Em meio a sátiras, cenas familiares, conflitos e piadas governamentais, essa é a mensagem que deveria ser captada pelas audiências. Afinal ninguém é um robozinho sem opinião própria, embora a grande massa se comporte como tal. A mensagem é óbvia e direta, e apresentada de forma bastante feliz pelo diretor Jason Reitman, que não havia feito nada interessante até o momento (que tivemos a chance de conferir, ao menos).

Também é um veículo perfeito para um ator como Aaron Eckhart, que sempre ficou renegado a segundo plano em um número enorme de filmes que já fez, como O Pagamento e O Núcleo (onde ele era o mocinho, porém o filme é tão ruim que fez mais queimar o ator do que promovê-lo). Sua interpretação de lobista da indústria tabagista é cara-de-pau e correta, como o personagem exigia que fosse. É um bom personagem pois, mesmo sabendo que é um canalha, faz a audiência torcer por ele, pelo carisma e habilidade de conversar e convencer. Feliz também foi a decisão de manter toda a parte pessoal de sua vida – família e filho – em um plano de não muito destaque dentro do filme, deixando demagogias e cenas sentimentais totalmente de lado – e o filme poderia render muitas delas. Crash que o diga!

Mas não é só para a indústria do cigarro que o filme se volta. Hollywood também é alvo de sátira (algo que adoram fazer, Hollywood gozando de si mesma), e para quem curte cinema clássico há um bom apanhado de referências que tornam tudo ainda mais aprazível. É claro que o público maior não vai se interessar, bem pelo contrário, este é um trabalho menor que não vai despertar a atenção em meio a tantos filmes mais fáceis e menos sofisticados. E mesmo assim Obrigado Por Fumar não pode ser visto como nada de novo ou ousado demais. Todo o conteúdo apresentado não pode ser considerado novidade, e as principais informações que o filme passa não podem ser consideradas bombásticas. Tudo graças à própria Hollywood, que vem sendo cada vez mais crítica - há sempre cineastas novos dispostos a meter a cara e fazer cinema social, e espero que sempre haja espaço para esse tipo de filme, mesmo que fiquem nas salas menores.

Há ainda que se comentar a montagem interessante que o filme apresenta. Como foi comentado, às vezes ele adquire estética de comentário, até porque sabemos que suas críticas são justas e verdadeiras - isso tudo não é ficção. Mas o ponto negativo é a fotografia, que ficou feia, granulada e suja demais, denunciando o baixo orçamento que a produção teve. Vale destacar que isso, de forma alguma, elimina qualquer mérito artístico do filme, até porque o elenco é muito bom, mas infelizmente Maria Bello, Robert Duvall e William H. Macy têm uma participação pífia, servindo apenas como coadjuvantes com tempo em tela muito pequeno.

Não é um trabalho tão forte nem especialmente bom. É bom sim, mas de uma forma totalmente descompromissada. Para uma análise mais aprofundada e séria sobre o assunto, assista a O Informante, da época em que o diretor Michael Mann ainda não era fantoche da indústria. Há algumas cenas muito boas e não há realmente nenhum fator muito negativo que mereça ser citado. Vale, sem ressalvas, a recomendação para o público que gosta de filmes político-sociais. Apenas duvido que convença alguém a parar de fumar.

Por Alexandre Koball, em 16/09/2006 Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Alexandre Koball 7.0
• Régis Trigo 6.0
• Heitor Romero 7.0
• Rafael W. Oliveira 8.0
•  Média 7.0
Notas - Usuários
7.4 (349 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Obrigado Por Fumar
(Thank You for Smoking, 2005)
• Direção:
- Jason Reitman
• Elenco Principal:
- Aaron Eckhart
- Cameron Bright
- Maria Bello
• Sinopse: Comédia satírica que acompanha Nick Naylor, porta-voz de uma grande companhia de tabaco, que enquanto tenta passar uma boa imagem do cigarro, tenta ao mesmo tempo ser modelo para seu jovem filho.
 FILMES RELACIONADOS
• O Informante
• O Pagamento
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2014) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
MAPA DO SITE
ANUNCIE CONOSCO