FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Severina

(Severina, 2017)
Por Francisco Carbone Avaliação:                 8.0
Nas esquinas dos encontros.
Qualquer cinéfilo já acompanhou o processo desde o início do cinema, até antes de surgir o termo cinéfilo: de uma premissa extremamente simples, pode surgir um grande filme, e até um complexo. Felipe Hirsch é um artista que já não se fecha mais em uma via. Ultra premiado no teatro com montagens como a de Avenida Dropsie, estreou nos cinemas há alguns anos com um filme que hoje está esquecido para o bem de todos, inclusive dele mesmo. 

Mas se Insolação era uma experiência tão pretensiosa que fez todos ignorarem o projeto, encontrando exclusivamente o Hirsch teatral, lá a matéria prima simplificada dava origem a uma tentativa de rebuscamento estético que mais repelia do que aproximava. A partir desse episódio, conseguimos observar o reajuste de foco do diretor e a tentativa de absorver algo verdadeiramente frugal. Como se o cinema fosse uma arte mais intrusiva que o teatro e a necessidade de buscar o menor fosse a meta.

Baseado num conto de Rodrigo Rey Rosa, Hirsch foi atrás de uma simplicidade estética e narrativa que não está nos seus espetáculos teatrais ou na sua estreia cinematográfica. O pulo do gato aqui é observar esse cotidiano de conquistador e sua conquista, tão simples quanto possível. Com ainda pouca experiência nesse formato, é louvável o avanço entre um projeto e outro. A fotografia de Rui Poças é imponente e compõe muito bem a proposta do diretor desse universo que mistura lirismo e casualidade, transmutando uma cenografia real em algo fantasmagórico vez por outra. Unidos, fotografia e direção moldam não apenas o filme, mas a nossa percepção sobre o que ver e como ver, e embora o paternalismo no cinema não me agrade per se, a viagem climática de Hirsch esbanja sedução.

O protagonista vivido por Javier Drolas tenta se manter senhor das ações, mas o máximo que consegue é ser títere do destino que o arremessa. Manipulado pelo desejo e por outros personagens, conseguimos entender o cansaço inerente do mesmo e sua clara vontade de fugir de uma realidade maior que ele e que não o interessa mais. A melhor via para isso seria de fato o sonho, a possibilidade do real construída na areia movediça, um herói trágico por excelência. A chegada em cena de sua partner Carla Quevedo possibilita a desestabilização dele e do filme enquanto estrutura, e a partir daí o caráter do mesmo passa a seguir o dessa figura ambígua.

A pegada instintiva da trama aumenta com o aparecimento do monstro Alfredo Castro, que interpreta o mantenedor do todo. Sua presença aumenta o olhar para o gênero que Hirsch sutilmente lança, se aproximando das amarras que Tomás Alfredson lançou em Deixe Ela Entrar e propondo nova ressignificação nesse longa que tenta e alcança quanto mais direto e carinhoso, num jogo erótico de voltagem calibrada e influência da literatura em sua gênese, em uma forma de amalgamar artes e promover um passeio livre entre o cinema (e suas muitas vertentes), a literatura (e a poesia mergulhada) e o teatro (dentro do jogo de máscaras sem fim que o filme apresenta - ou não). 

Visto no Festival do Rio 2017

Por Francisco Carbone, em 10/10/2017
Avaliação:                 8.0
Notas - Equipe
• Francisco Carbone 8.0
•  Média 8.0
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #003 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #002 De Volta Para o Futuro
• #001 Os Goonies
• #000 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Severina
(Severina, 2017)
• Direção:
- Felipe Hirsch
• Elenco Principal:
- Carla Quevedo
- Javier Drolas
- Alejandro Awada
• Sinopse: Um melancólico livreiro e aspirante a escritor tem sua vida abalada após uma mulher roubar sua livraria, enredando-se em uma história de amor delirante.
 FILMES RELACIONADOS
• Insolação
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2017)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE