FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Sleep Has Her House

(Sleep Has Her House, 2016)
Por Pedro Tavares Avaliação:                 8.5
Alfabeto de sensações.
imagem de Sleep Has Her House
Sleep Has Her House abre com o aviso que é necessária completa escuridão para acompanhar o filme. Não se trata de um pedido e sim de uma imposição. Ela vai de encontro às condições que os filmes são vistos hoje, muitas vezes amputada por um aviso do telefone celular, desconexa e desconcentrada. A experiência necessita desta condição extratela. Tal aviso se completa com a cartela que norteará o filme dirigido por Scott Barley: a relação com ilusão e desaparecimento. O que está por vir é uma viagem sensorial com diálogo pré-estabelecido com uma espécie de mundo reconhecível e com diálogo direto com o cinema digital.

São paisagens, mas antes de tudo, formas. Elas ganham novas proporções e significados conforme passam pelo processo de mutação. São montanhas, mas podem ser fantasmas. O tom onírico dessas paisagens elevam a sensação de desespero e significado do espaço filmado/criado. Assim como James Benning, Jem Cohen e Nikolaus Geyrhalter, para citar alguns nomes, Scott Barley faz da observação seu gatilho para remodelação de espaço e tempo. Sleep Has Her House é um jogo perverso de criação e manipulação de certezas, usando o cinema como grande hipnose.

Da bonança à tempestade, onde jogamos a trama de Cavalo de Turim de Béla Tarr fora e ficamos apenas com as sensações angustiantes, principalmente em seu último ato, Sleep Has Her House brinca com duplicidades a todo instante; céu e inferno, vida e morte, proximidade e distância. Há em cada sequência um diálogo direto com a sensação de estar vivo e o terror que isso trás; perseguidos pelo exagero, pela escuridão, pelo vento. São essas as conexões do filme, que explora o princípio básico do cinema - o corte -, usando-o para o início e fim de cada história e de cada intenção. 

Assim como a vida, no filme há o senso de unidade sem que tudo pareça utópico, cristalino, perfeito. Abstração neste caso é o caminho acertado; tão acertado que não poderia ilustrar melhor este híbrido de sensações. É a ilusão que toca o céu, este que também é ceifado por um raio; o sonho de pegar o vento com as mãos e fugir do escuro à espera de um grito que há de surgir. Tudo está em função da fantasmagoria dos códigos que a imagem impõe e seus questionamentos levantados pela manipulação. 

É o que segura Sleep Has Her House ante à superfície: a certeza que sempre surgirá a saída entre tantos horrores. Este o maior diálogo com o seu espectador sem que precise da perversidade, sem que necessite de uma grossa camada de pessimismo e razão. Pois apesar da afirmação de um mundo onírico, sempre haverá a duvida que este é sim um pesadelo, um filme de terror, enfim, cinema. E neste gesto Barley entroniza o corte e as sensações utilizando suas antíteses: os planos fixos e sequenciais, sempre a lembrar que cinema é sonho. E pesadelo. 

Por Pedro Tavares, em 21/03/2017
Avaliação:                 8.5
Notas - Equipe
• Pedro Tavares 8.5
•  Média 8.5
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (4)
Por Pedro Tavares, em 24/03/2017 | 15:55:40 h
ouch!
Por Victor Ramos, em 24/03/2017 | 14:04:57 h
Pegou na jugular, rs
Por Felipe Ishac, em 24/03/2017 | 13:44:52 h
realmente, é uma merda pra quem tem Confissões no top 10
Por Antonio Montana, em 23/03/2017 | 17:43:51 h
parece ohhh...uma merda!!! hahahahahah
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Sleep Has Her House
(Sleep Has Her House, 2016)
• Direção:
- Scott Barley
• Elenco Principal:
- • Sinopse: As sombras dos gritos escalam além das colinas. Já aconteceu antes, mas esta será a última vez. Os últimos conseguem senti-lo, afastando-se profundamente da floresta. Eles gritam no escuro, como as sombras passam no chão.
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE