FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Takara - A Noite em que Nadei

(Takara - La nuit où j'ai nagé, 2017)
Por Bernardo D.I. Brum Avaliação:               7.5
Bom exemplar de um cinema íntimo e artesanal.
imagem de Takara - A Noite em que Nadei
Na ativa no mundo dos longa-metragens desde 2014, quando estreou com Um Jovem Poeta (2014), Damien Manivel pratica um cinema artesanal e bastante íntimo. O Parque (2016), que conta a história de um rápido relacionamento, só confirmou a tendência e a preferência pelo minimalismo e, ainda menor, Takara - A Noite em Que Nadei (2017) mostra a faceta tão impressionista de seu cinema. 

Sim, impressionista. Pois a narrativa de Takara é ínfima - um garoto que não vê o pai, que chega tarde e sai muito cedo para trabalhar na fábrica, ao invés de ir para a escola um dia tenta visitar o pai e se perde. Não há nenhuma tensão ou drama a partir daí, logo o menino será encontrado, mas o que interessa a Damien Manivel é outra coisa. 

Manivel fez o filme no Japão junto com Kohei Igarashi, em seu segundo longa após o drama Iki o Koroshite (2014) e um segmento em Love is Possession (2014). A parceria entre Ocidente e Oriente se revela bastante próxima, pois apesar de cinemas diferentes, deu origem a um filme que não possui um olhar estrangeiro, exótico, mas sim uma ótica que une a todos.

Essa união, filmada em janela quadrada (4:3), valoriza principalmente a figura do protagonista, mais que os ambientes que enquadra. Os ambientes absolutamente prosaicos tornam-se interessantes justamente pela ação do olhar infantil do protagonista, que interage minimamente com os humanos e, de forma contemplativa, cômica ou algo dramática, com a natureza e objetos à sua volta. Brincar e interagir com espelhos e cachorros, andar a pé e pelo transporte público, tudo pode ser tirado do ordinário através da abstração da mente do protagonista.

Importante dizer, Takara - A Noite em que Nadei é um filme sem diálogos. Mas é o tipo de aventura tão imaginativa, baseado não na forma como o mundo é entendido, mas sentido, que eles praticamente não fazem falta. O cinema habitual, tão habituado à jornadas épicas, transformações exteriores e grandes conflitos, nem sempre percebe a beleza, a solidão e os perigos que apenas uma tarde fora de casa pode oferecer.

Filmado durante o inverno japonês, a neve surge como uma ambientação fundamental para a construção da atmosfera do filme: está lá para o protagonista mostrar sua falta de jeito e pouca intimidade com o mundo concreto partindo da sua perspectiva infantil, denotando um aspecto quase de vaudeville em seus tropeços e “bagunças que organizada”; mas é da neve também que vem elementos de desconforto no filme, como quando o garoto perde uma de suas luvas ou procura um carro destrancado para se aquecer durante uma nevasca. E para nós, essa ambivalência de sentidos, assim como para ele, é uma jornada íntima de conhecimento sensorial, motivada por uma razão pessoal (ver o pai enquanto está acordado) que o tira da zona de conforto - bem como o espectador, acostumado à habitual riqueza de afetações audiovisuais.

Se nada fala, sugere e incita um pouco, como podemos abstrair da inserção frequente de temas eruditos como “As Quatro Estações”, de Vivaldi, peça ancorada em suas passagens de uma estação e de segmento para a próxima, refletindo, também, nas mudanças exteriores e interiores que o protagonista é obrigado a enfrentar, apenas para que o final, cíclico, reafirme a história de frustração e afeto com o pai. 

Em tempos de “tudo e demais o tempo todo”, filmes como Takara - A Noite em que Nadei são uma raridade, ambiciosos em sua aparente despretensão e simplicidade, oferecendo aos nossos olhos e ouvidos não respostas, mas buscas por signos visuais e sonoros que descrevem a maior de todas as jornadas: a nossa, sem conhcer o mundo mas cheio de curiosidade, pavor, fascínio e vontade.
Por Bernardo D.I. Brum, em 02/09/2018
Avaliação:               7.5
Notas - Equipe
• Heitor Romero 8.0
• Bernardo D.I. Brum 7.5
•  Média 7.8
Notas - Usuários
aguardando 3 votos
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
• #45 60 anos de Tim Burton
• #44 Meu Amigo Totoro
• #43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
• #42 Filmes da Sessão da Tarde
• #41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
• #40 100 anos de Ingmar Bergman
• #39 Os Incríveis 2
• #38 Era Uma Vez no Oeste
• #37 Jurassic Park e Jurassic World
• #36 O Bebê de Rosemary
• #35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
• #34 Han Solo: Uma História Star Wars
• #33 Deadpool 2
• #32 Um Corpo que Cai
• #31 Stephen King no Cinema
• #30 Vingadores: Guerra Infinita
• #29 A Franquia 007
• #28 Um Lugar Silencioso
• #27 2001: Uma Odisseia no Espaço
• #26 Jogador Nº1
• #25 Planeta dos Macacos
• #24 Quentin Tarantino
• #23 75 anos de David Cronenberg
• #22 Projeto Flórida
• #21 Trama Fantasma
• #20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
• #19 Oito e Meio de Fellini
• #18 A Forma da Água
• #17 The Post e os filmes de Jornalismo
• #16 Indicados ao Oscar 2018!
• #15 20 Anos de Titanic
• #14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
• #13 Melhores de 2017
• #12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
• #11 Especial Natalino
• #10 Assassinato no Expresso Oriente
• #9 Onde os Fracos Não Têm Vez
• #8 Liga da Justiça
• #7 Stranger Things
• #6 45 anos de O Poderoso Chefão
• #5 Branca de Neve e os Sete Anões
• #4 Halloween
• #3 Blade Runner / Blade Runner 2049
• #2 De Volta Para o Futuro
• #1 Os Goonies
• #0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Takara - A Noite em que Nadei
(Takara - La nuit où j'ai nagé, 2017)
• Direção:
- Kohei Igarashi
- Damien Manivel
• Elenco Principal:
- Takara Kogawa
- Keiki Kogawa
- Takashi Kogawa
• Sinopse: Toda noite, um homem sai de casa para trabalhar no mercado de peixe da cidade. Na casa silenciosa, Takara, seu filho de seis anos, não consegue dormir e desenha um peixe e coloca em sua mochila. De manhã, o caminho de Takara para a escola se transfor...
 FILMES RELACIONADOS
• O Parque
• Um Jovem Poeta
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE