FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Tinta Bruta

(Tinta Bruta, 2018)
Por Francisco Carbone Avaliação:               7.5
Cores que precisam se misturar.
imagem de Tinta Bruta
A evolução da dupla Filipe Matzembacher e Márcio Reolon como cineastas transparece também na relação que eles criaram em seus próprios roteiros e na forma como eles se desenvolveram, quase uma resposta narrativa a um processo de amadurecimento particular deles enquanto realizadores. Sair do universo mais fechado e pequeno de Beira-Mar e encontrar as portas da cidade grande de Tinta Bruta causa, de alguma maneira, um impacto sobre quem assistiu o longa anterior, que acabou tendo uma recepção mais tímida do que deveria; talvez também pelo caráter fechado, mais íntimo, seu primeiro filme merecesse uma redescoberta, e seria bom se esse novo fizesse esse caminho.

Ainda que o protagonista da vez, Pedro, tenha características que o aproximem a uma certa pegada de Beira-Mar, aqui o conflito está mais globalizado, o filme tem ramificações que nós identificamos com facilidade e a localização da vez é a capital Porto Alegre, um personagem não muito querido na trama mas muito presente, ainda que se maneira claustrofóbica. O longa encontra apontamentos que abram sua narrativa de um lugar sombrio para um leque de possibilidades menos melancólicas. Ao menos em comum, os dois longas parecem dizer que as coisas da vida não são necessariamente fáceis ou boas, mas tem um jeito de ser menos difícil - vale o esforço, que no entanto precisa ser feito.

De qualquer maneira, Tinta Bruta tem um pensamento mais convencional de roteiro, como encontros em mercado para explicar a trama pro espectador. Essa estratégia facilitadora é comum e não é nova, só me parece fácil demais para uma dupla tão jovem e propensa a sair do convencional, acabar por criar essas possibilidades. Paralelo a isso, o personagem Pedro/GarotoNeon é um primor de construção. Múltiplo, dono de idiossincrasias que o enriquecem, muito de seus demônios são gradativamente revelados, e outros não - ou ao menos ficam na zona da especulação. Dono de um gênio imprevisível, o filme também calcula muito bem em colocar seu ponto de partida fora da narrativa; quando o filme começa, algo já aconteceu. A cena do diálogo da revelação, onde Pedro só escuta, é das mais bonitas do longa. Shico Menegat tem um desempenho equivalente a qualidade de seu personagem, uma interpretação não apenas excelente como muito sutil. 

O trabalho de direção para conceber o universo específico do GarotoNeon é simples, porém de grande impacto visual e que instiga o público, além de criar possibilidades infinitas pro visual. O fotógrafo Glauco Firpo e o montador Germano Oliveira já tinham se encontrado em Cidades Fantasmas, e voltam a trabalhar juntos e a repetir excelência, e Germano em especial tem um ponto muito preciso de ritmo que coloca sempre o filme pra frente, enquanto Glauco compõe uma luz muito estratégica para definir Porto Alegre da forma como o roteiro a coloca. Essa elaboração conjunta é que garante esse avanço de Filipe e Marcio em relação a empreitada anterior, ao ter certeza que os ajustes que precisariam ser feitos advém da experiência necessária do próprio jogo do fazer. 

Independente dos detalhes, o quadro desenvolvido pelos diretores é o do pedido de socorro que muitas pessoas têm lançado hoje, porque tantas delas não tem qualquer para conduzir suas próprias necessidades básicas, que dirá construir uma estrutura emocional sólida, e sozinho. No campo proposto pelo filme, o externo é capaz de curar o interno, mas é preciso expor a si mesmo. Se disponibilizar. E dançar a próxima música como se fosse a primeira. 

Filme visto no Festival de Cinema do Rio de Janeiro
Por Francisco Carbone, em 12/11/2018
Avaliação:               7.5
Notas - Equipe
• Francisco Carbone 7.5
•  Média 7.5
Notas - Usuários
7.8/10 (3 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Tinta Bruta
(Tinta Bruta, 2018)
• Direção:
- Filipe Matzembacher
- Márcio Reolon
• Elenco Principal:
- Shico Menegat
- Bruno Fernandes
- Guega Peixoto
• Sinopse: Situado na cidade de Porto Alegre, no sul do Brasil, o filme se concentra em um jovem socialmente reprimido que só sai de sua concha durante apresentações de sala de bate-papo, quando ele tira a roupa e esfrega tintas de neon em seu corpo.
 FILMES RELACIONADOS
• Beira-Mar
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE