FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Todo Dia

(Every Day, 2018)
Por Bernardo D.I. Brum Avaliação:       3.5
Espremendo o filão até o bagaço.
imagem de Todo Dia
Vá em uma livraria hoje em dia e confira os principais lançamentos e best-sellers e você encontrará lá o filão de romances voltados ao público adolescente protagonizados por protagonistas padronizados vivendo situações rocambolescas em nome do grande amor da sua vida. Teriam os romances de bancas de jornal ou de rodoviárias de décadas atrás (Sidney Sheldon como exemplo óbvio e ululante) alcançado status através de inúmeras adaptações para cinema de Nicholas Sparks (Diário de Uma Paixão, Um Amor Para Recordar) e David Nicholls (Um Dia, P.S. Eu Te Amo)? É o que parece, e Todo Dia, de David Levithan, é mais um orgulhoso exemplar do filão, e o filme de Michael Sucsy explora todos os clichês possíveis e imagináveis nesse sentido.

A história parte de uma premissa fantástica: “A” é um tipo de ser incorpóreo que todo dia possui alguma pessoa. Religiosamente, procura nunca intervir no corpo da pessoa e sempre define o alarme para 10 minutos antes da meia-noite, quando adormece e troca de corpo novamente. Sua vida segue sem grandes interrupções e perturbações até o dia em que encarna no corpo do jovem esportista Justin e se apaixona pela sua namorada, Rhiannon. Após uma rápida resistência inicial, “A” consegue convencer Rhiannon de sua condição e os dois acabam se apaixonando, com a menina tendo que vencer o obstáculo de que cada dia seu amado ocupa um corpo diferente, seja masculino ou feminino. 

Qual é o problema principal de Todo Dia? Bem, justamente o excesso de acomodação. O filme até se sai bem em alguns aspectos, com algumas “possessões” inesperadas e em não explicar a origem daquele poder. Fundamentalmente, é o que se convencionou a chamar de “água com açúcar”: é mais sobre o romance, menos sobre a condição. Essas histórias de amor impossível certamente têm seu público, sempre demandando com que repitam o primeiro impacto. 

E o filme faz por onde para se conectar com o público: há a irmã boca suja e descola que funciona como alívio cômico, o namorado chauvinista e idiotizado, a mãe que sai de casa para trabalhar enquanto o pai fica cuidando da casa. É fruto do seu tempo de maneira quase didática - é claro que a mãe que trabalha fora (Maria Bello) calca-se no estereótipo de “bruaca” sempre estressada e o pai é um artista excêntrico de fala mansa, assim como a irmã mal educada não é uma pessoa tão ruim assim. Já o namorado idiota não consegue sair muito disso. 

Até aí o filme anda por um terreno desconhecido, mas se sai pior através de uma série de inconsistências estéticas e narrativas. Nenhum dos seus personagens é explorado muito além do básico (“sou estereotipado, porém tenho sentimentos”) e nenhuma das ações dos protagonistas têm reais consequências que “desviariam” a história do rumo pretendido - como quando “A” acorda o corpo de um garoto superprotegido pela mãe e é “sequestrado” por Rhiannon, com uma mãe histérica correndo atrás do carro. É mais uma aventura com carga de divertida/pitoresco que abre espaço para a protagonista ter sua primeira vez e, mesmo apresentando o universo no qual “A” acordou dessa vez, sem qualquer consequência.

E Sucsy, bem, não se decide muito bem com o que tem em mãos: logo após de cenas engraçadas, temas sérios e pesados invadem a narrativa, como crise conjugal, colapsos nervosos, depressão e suicídio, em cenas infestadas de doces melodias de piano e discursos motivacionais. As intervenções com projeções sobre janelas dos pensamentos dos personagens ou “flashforwards hipotéticos”, ambos só aparecendo uma ou duas vezes no filme, não têm qualquer unidade estética com o resto, saindo mais como afetação para tirar o filme do absoluto óbvio que qualquer outra coisa.

Em que pese a abordagem criticada do filme de guiar o romance por alguns (de Rhiannon praticamente não se relacionar com “A” quando não é um homem), talvez seja pior (no sentido de mais covarde) o aspecto do sacrifício feito pelo casal principal para concluir a história - quando “A” julga ter possuído o “garoto perfeito” para Rhiannon. Nesse sentido dá um pouco de saudade de filmes mais antigos onde mesmo na inocência exibiam decisões mais corajosas - como o clássico de Tom Hanks e Daryl Hannah Splash - Uma Sereia em Minha Vida, onde seu protagonista alcança um nível de desprendimento do seu “mundo comum” que é difícil de ver hoje. Aqui, quase metaforicamente, o filme quer apenas ter a fantasia em sua premissa e ao longo de sua hora e quarenta de duração, caminhar de volta para a “normalidade”.

Não há dúvidas que irão existir os que apreciem a obra, mas faz pouco para competir com os baluartes do gênero, que por si só já não eram grandes melodramas seja em aspecto de aventura psicológica, seja na riqueza da encenação sem recorrer a modismos que enfatizassem os aspectos pretendidos na abordagem. Começando inusitado e terminando totalmente careta, Todo Dia é vendido como um retrato de incentivo à empatia. E até é, desde que se passe por toda a maré “sonho de princesa” de um filme que ao mesmo tempo que é novo, exibe um cheiro de naftalina alarmante em sua previsiblidade. 
Por Bernardo D.I. Brum, em 09/07/2018
Avaliação:       3.5
Notas - Equipe
• Bernardo D.I. Brum 3.5
•  Média 3.5
Notas - Usuários
6.8/10 (3 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (1)
Por Davi de Almeida Rezende, em 16/07/2018 | 01:49:13 h
rsrsrsr, só li o título e achei engraçado
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Todo Dia
(Every Day, 2018)
• Direção:
- Michael Sucsy
• Elenco Principal:
- Angourie Rice
- Justice Smith
- Jeni Ross
• Sinopse: Um adolescente tímido se apaixona por alguém que se transforma em outra pessoa todos os dias.
 FILMES RELACIONADOS
• Diário de Uma Paixão
• P.S. Eu Te Amo
• Um Amor Para Recordar
• Um Dia
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2018)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE