FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Todos Já Sabem

(Todos lo saben, 2018)
Por Bernardo D.I. Brum Avaliação:               7.0
Um Farhadi diferente, mas muito familiar.
imagem de Todos Já Sabem
Tendo iniciado a carreira em 2003, Asghar Farhadi na década seguinte tornaria-se com A Separação (2011) e O Apartamento (2016) parte de um clube distinto de diretores que venceram mais de uma vez o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro - junto a outros diretores icônicos da história do cinema como Federico Fellini, Ingmar Bergman e Akira Kurosawa. 

Agora, Todos Já Sabem marca seu primeiro filme fora do Irã, aportando em Madrid e conduzindo um elenco internacional, entre eles os espanhóis Penélope Cruz (Vicky Cristina Barcelona) e Javier Bardem (Onde Os Fracos Não Tem Vez) e o argentino Ricardo Darín (O Segredo de Seus Olhos) no que ao menos de início revela-se como um thriller de sequestro - e com reviravoltas para o próprio gênero.

O filme acompanha a história de Laura (Cruz), uma mulher espanhola que retorna ao país de origem para comparecer a um casamento da família e acaba tendo a filha Irene sequestrada durante uma queda de energia. A partir daí, a família decadente de Laura terá de se esforçar para conseguir dinheiro e a mulher se vê em meio ao atrito entre o seu marido Alejandro (Darín) e seu antigo amor e atual proprietário das terras de sua família Paco (Bardem). 

Apesar do início lento, no grosso de Todos Já Sabem está um mistério muito funcional que desdobra-se lentamente sob a chave do melodrama, onde as ferramentas operam para que a situação pouco a pouco pareça menos aleatória e mais resultado das escolhas e decisões que Laura, Alejandro e Paco tomam ao longo do caminho. 

Essa chave catártica e emocional de “destino batendo à porta” faz com que se equilibre ao mesmo tempo tanto o lado quase documental de locações, luz natural e câmeras na mão quanto a um lado mais plástico, composto, enriquecido com cores abundantes, reflexos em espelhos, composições em profundidade e tomadas aéreas, em uma abordagem do diretor que não apenas tenta emular a estética espanhola mas também eviscerá-la e descobrir  para além das paixões um desespero visual progressivamente escuro e cinzento que afeta todos os seus personagens decadentes porém orgulhosos demais para assumir a própria condição. 

O conflito que Farhadi cria entre o casal Bardem e Cruz é interessantíssimo e ao lado do sequestro mantém o interesse do espectador até o final da trama, mas já não se pode dizer o mesmo de Ricardo Darín, aqui em performance mais contida que pouco soma à trama apesar da construção envergonhada e silenciosa de um homem que tinha muito mas perdeu tudo e se ancora agora apenas na fé que o salvou do vício. Acaba como um personagem-satélite que ao invés de continuar, expande a trama em outras direções nessa espécie de olhar a partir de um gênero sobre relações sociais mudando.

Não ajuda também que Farhadi guarde tramas tão importantes para o elenco secundário além do trio principal mas só os acione de maneira tardia. Como personagens de fundo compunham uma paisagem humana peculiar de vizinhança onde todo mundo se conhece, mas à medida que seus personagens destacam-se, fica a sensação de que por trás do ex-triângulo amoroso escondia-se um outro filme com outros personagens tão interessantes quanto, mas no final ficam desperdiçados como elemento de surpresa enquanto poderiam render bem mais enquanto trabalhados no suspense.

De qualquer forma, a condução sensível de Farhadi, muitas vezes dispensando palavras em seu roteiro e resolvendo jornadas emocionais dificílimas através de pequenas ações silenciosas, garante um filme que imageticamente diz muito sem precisar esforçar-se muito explicando textualmente. Ainda que inferior, mais maduro e incrivelmente bem resolvido. Pode até não transcender, mas tudo que conquistou admiradores de Farhadi em outros filmes marca presença aqui.
Por Bernardo D.I. Brum, em 20/02/2019
Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Rodrigo Cunha 7.0
• Marcelo Leme 7.0
• Bernardo D.I. Brum 7.0
•  Média 7.0
Notas - Usuários
7.2/10 (30 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#69 Indicados ao Oscar 2019
#68 Creed II
#67 Vidro
#66 Homem-Aranha no Aranhaverso
#65 WiFi Ralph e O Retorno de Mary Poppins
#64 Melhores Filmes de 2018
#63 Duro de Matar
#62 Roma
#61 O Senhor dos Anéis
#60 Scarface
#59 Infiltrado na Klan
#58 Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald
#57 O Legado de Stan Lee
#56 O Roteiro de Cinema
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Todos Já Sabem
(Todos lo saben, 2018)
• Direção:
- Asghar Farhadi
• Elenco Principal:
- Penélope Cruz
- Javier Bardem
- Carla Campra
• Sinopse: Carolina é uma mulher espanhola que vive em Buenos Aires e volta para sua terra natal com o marido e os filhos em uma viagem que pode trazer antigos segredos à tona.
 FILMES RELACIONADOS
• A Separação
• O Apartamento
• Onde Os Fracos Não Tem Vez
• Vicky Cristina Barcelona
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE
Apoiadores
Promobit: O site para encontrar aquela promoção imperdível