FILMES CRÍTICAS NOTÍCIAS PERFIS TRILHAS TOPS PREMIAÇÕES ARTIGOS COMENTÁRIOS FÓRUNS   SÉRIES PUBLICIDADE
CENTRAL DE USUÁRIOS   |    CADASTRE-SE   |   ENTRAR
   
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS
TOPS
PREMIAÇÕES
ARTIGOS
COMENTÁRIOS
FÓRUNS

SÉRIES
CADASTRE-SE   |   ENTRAR
CRÍTICA

Yonlu

(Yonlu, 2017)
Por Rafael W. Oliveira Avaliação:               7.0
Rimas visuais sobre o suicídio.
imagem de Yonlu
“O único discurso real sobre o suicídio é o de quem levou até o fim.”

Vinícius Gageiro Marques, ou como ficou conhecido posteriormente, Yoñlu, foi um desenhista e músico que, em 2006, cometeu suicídio para diversas pessoas assistirem através de uma transmissão via internet. Vinícius dialogava em fóruns na internet com diversos internautas anônimos sobre formas de tirar a própria vida, ato cometido pelo jovem de 16 anos ao ingerir monóxido de carbono, mas não antes de deixar seu legado: cerca de 60 canções gravadas pelo próprio em seu quarto, que revelavam uma personalidade artística melancólica e reflexiva.

Se desprendendo de qualquer pretensão inicial sobre o clímax que sela o destino de Yonlu, o diretor Hique Montanari deixa claro desde o início que Vinícius tirou a própria vida, e prefere respeitosamente lidar com a delicadeza do material que está em suas mãos, tão fácil de cair em armadilhas maniqueístas, mas sem deixar de lado sua própria construção visual sobre a jornada do garoto quanto por deixar que a arte que Yonlu deixou para o mundo respire dentro do filme que reconta sua própria história.

E como um projeto notavelmente pessoal para ambos, Montanari e Thalles Cabral, intérprete de Vinícius, investem num trabalho de direção e composição de personagem extremamente sóbrio, respeitando o peso do conflito de algo tão avassalador quanto o ato de tirar a própria vida. Diante de tanta sobriedade, o filme se vê condenado a uma certa distância ao se esforçar (acertadamente, diga-se) em fugir de qualquer julgamento reducionista que banalize a complexidade psicológica do caso, e nisto, o filme se torna mais introspectivo do que realmente lhe era necessário enquanto forma cinematográfica.

Não que Yonlu deixe de lado os tantos sentimentos que podem levar até a saída de tirar a própria vida, entre angústias pessoais, solidão, Montanari faz uso de recursos bem pouco convencionais para o estabelecimento do tom de sua narrativa, (embora nem todos os elementos sejam tão consistentes assim), e transforma o quarto de Vinícius, por exemplo, numa espécie de ambiente que se mescla dentro do universo próprio de Vinícius, denotando que aquilo é um cenário cinematográfico se adequando entre a realidade e a fuga da mesma. Igualmente, as ideias visuais para a comunicação com o sofrimento do personagem (Yonlu vestido com roupa de astronauta, em especial no seu monólogo final), como a apropriação dos desenhos que Vinícius para criar animações próprias, traduzem com eficácia e sem dizer muito o sofrimento daquele garoto, e como sua válvula de escape se fazia nas músicas que compunha e que ilustravam tanto seu pesar com a vida. Da mesma forma, Montanari acentua o não-pertencimento do público no cotidiano de Yonlu (e dessa forma, gerando o desconforto necessário para o tema) ao elaborar enquadramentos e jogos de iluminação (num trabalho excepcional de Juarez Pavelak) que se confundem com as distorções digitais que criam uma temporalidade fluída para a narrativa.

E talvez pelo desejo de ser o mais claro possível sobre a tragicidade de Yonlu de forma poética, Montanari por vezes se entrega a um didatismo que não se alia com sua própria construção, como os títulos de cada música surgirem insistentemente na tela antes de cada animação onde a mesma será ouvida, assim como os trechos envolvendo o psiquiatra de Vinícius, que mais se assemelham a linhas de diálogo escritas com frases prontas, sem muito tato, e que ameaçam quebrar o intimismo da da narrativa. Felizmente, isso não acontece, e num belo êxito, Montanari e um muito centrado Thalles Cabral preferem deixar as perguntas e justificativas no ar e se mantém juntos a Yonlu, observando empaticamente (e com a distância já mencionada) o caminho de uma pessoa até a morte.
Por Rafael W. Oliveira, em 01/02/2019
Avaliação:               7.0
Notas - Equipe
• Rafael W. Oliveira 7.0
•  Média 7.0
Notas - Usuários
7.3/10 (5 votos)
Minha nota:
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 3.0 3.5 4.0 4.5 5.0 5.5 6.0 6.5 7.0 7.5 8.0 8.5 9.0 9.5 10.0
    --
• Todas as opiniões 
Comente no Cineplayers (0)
Não há opiniões dos usuários.
Comente no Facebook
Todas as informações aqui contidas são propriedades de seus respectivos produtores. Sugestões? Reclamações? Elogios? Faça valer sua opinião, escreva-nos!
 CINEPLAYERS CAST
CP Cast
#69 Indicados ao Oscar 2019
#68 Creed II
#67 Vidro
#66 Homem-Aranha no Aranhaverso
#65 WiFi Ralph e O Retorno de Mary Poppins
#64 Melhores Filmes de 2018
#63 Duro de Matar
#62 Roma
#61 O Senhor dos Anéis
#60 Scarface
#59 Infiltrado na Klan
#58 Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald
#57 O Legado de Stan Lee
#56 O Roteiro de Cinema
#55 Halloween (2018)
#54 O Primeiro Homem
#53 Nasce Uma Estrela
#52 Musicais no Século XXI
#51 70 anos de John Carpenter
#50 Breaking Bad - 10 Anos
#49 Neorrealismo Italiano
#48 O Exorcista
#47 Wall-E
#46 The Last of Us
#45 60 anos de Tim Burton
#44 Meu Amigo Totoro
#43 Missão: Impossível - Efeito Fallout
#42 Filmes da Sessão da Tarde
#41 Batman: O Cavaleiro das Trevas
#40 100 anos de Ingmar Bergman
#39 Os Incríveis 2
#38 Era Uma Vez no Oeste
#37 Jurassic Park e Jurassic World
#36 O Bebê de Rosemary
#35 A Noite dos Mortos-Vivos e Despertar dos Mortos
#34 Han Solo: Uma História Star Wars
#33 Deadpool 2
#32 Um Corpo que Cai
#31 Stephen King no Cinema
#30 Vingadores: Guerra Infinita
#29 A Franquia 007
#28 Um Lugar Silencioso
#27 2001: Uma Odisseia no Espaço
#26 Jogador Nº1
#25 Planeta dos Macacos
#24 Quentin Tarantino
#23 75 anos de David Cronenberg
#22 Projeto Flórida
#21 Trama Fantasma
#20 Três Anúncios Para um Crime e Lady Bird
#19 Oito e Meio de Fellini
#18 A Forma da Água
#17 The Post e os filmes de Jornalismo
#16 Indicados ao Oscar 2018!
#15 20 Anos de Titanic
#14 Nostalgia Cinéfila - Especial 15 Anos!
#13 Melhores de 2017
#12 Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi
#11 Especial Natalino
#10 Assassinato no Expresso Oriente
#9 Onde os Fracos Não Têm Vez
#8 Liga da Justiça
#7 Stranger Things
#6 45 anos de O Poderoso Chefão
#5 Branca de Neve e os Sete Anões
#4 Halloween
#3 Blade Runner / Blade Runner 2049
#2 De Volta Para o Futuro
#1 Os Goonies
#0 O Piloto
 LEIA TAMBÉM
 FICHA DO FILME

 Yonlu
(Yonlu, 2017)
• Direção:
- Hique Montanari
• Elenco Principal:
- Thalles Cabral
- Nélson Diniz
- Mirna Spritzer
• Sinopse: Filme sobre o músico Vinicius Gageiro Marques, também conhecido pelo pseudônimo "Yoñlu".
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CENTRAL DE USUÁRIOS
FILMES
CRÍTICAS
NOTÍCIAS
PERFIS
TRILHAS SONORAS
HOME CINEMA
TOPS
COMENTÁRIOS
ARTIGOS
PREMIAÇÕES
JOGOS
FÓRUNS
PAPÉIS DE PAREDE
MAIS ASSISTIDOS
EQUIPE
NOSSA HISTÓRIA
CONTATO
PERGUNTAS FREQUENTES
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
ESPECIAL A NOVA HOLLYWOOD
ESPECIAL WES CRAVEN
CHAT
MAPA DO SITE
API CINEPLAYERS
ANUNCIE CONOSCO
         
CINEPLAYERS LTDA. (2003 - 2019)

           
 USUÁRIOS
 + ASSISTIDOS
 EQUIPE
 HISTÓRIA
CONTATO
FAQ
PROMOÇÕES
ESTATÍSTICAS
WES CRAVEN
MAPA DO SITE
API
ANUNCIE