Saltar para o conteúdo

Artigos

Os 7 maiores plot twists do cinema

Muitas vezes, a realidade que o filme nos apresenta não é exatamente aquela que está diante dos nossos olhos, e o recurso conhecido como reviravolta de trama ou plot twist pode ressignificar toda a história que acompanhávamos até então. Confira as sete maiores revelações do cinema abaixo e deixe sua opinião e sugestões nos comentários!
O Sexto Sentido (1999)
A premissa: Após não receber mais a atenção da esposa após uma discussão onde era acusado de prezar mais o trabalho que ela e sofrer um atentado pelas mãos de seu perturbado paciente Vincent, o psicólogo Malcolm Crowe assume para si a missão de cuidar do atormentado Cole, um garoto que alega poder ver espíritos. 
A reviravolta: Na verdade, Malcolm morreu na primeira cena da obra. O silêncio da esposa na verdade é um luto depressivo e a criança realmente possui o dom da mediunidade. O sucesso do tratamento, ainda que chocante, também permite que Cole seja compreendido pela mãe e que Malcolm consiga sua redenção com o paciente, com quem falhou, e com a esposa, de quem se distanciou.
O motivo: Shyamalan fez sua fama como “o rei dos plot twists” com esse filme, até hoje um dos exemplares mais consistentes de sua filmografia e decerto o mais icônico. Acima de tudo, mostrou (mais uma vez) que o horror, como outros gêneros, também pode abordar temas espinhosos, então além da apreensão e sustos, O Sexto Sentido entrou para a história como um belo drama sobre a solidão moderna. Também abriu espaço para outras reviravoltas famosas do diretor, como acontece em Corpo Fechado e A Vila.
 
Os Outros (2001)
A premissa: Enquanto aguarda o marido voltar da guerra, Grace Stewart tem de cuidar de seus filhos, duas crianças fotossensíveis, em uma casa tomada pela escuridão eterna por conta das pesadas cortinas. Até que essa rotina é quebrada quando tem que lidar com invasores.
A reviravolta: No final das contas, Grace e seus filhos já estavam mortos há muito tempo; sem o marido e isolada naquela sinistra mansão gótica, a mulher teve uma “febre da cabana” e sufocou os filhos até a morte com um travesseiro, suicidando-se depois com um tiro. 
O motivo: O filme de Alejandro Amenábar foi o segundo em um par de anos a contar a história de mortos que não sabem que estão mortos, e também, assim como Shyamalan havia feito em 1999 com O Sexto Sentido, do ponto de vista dos próprios desencarnados. O filme bebeu na fonte do clássico A Outra Volta do Parafuso, de Henry James, e inverteu o escopo para contar uma das reviravoltas mais famosas do novo milênio
Psicose (1960)
A premissa: a jovem Marion Crane toma uma decisão questionável, roubando o dinheiro do escritório onde trabalha planejando fugir com o amante. Na estrada, com medo da polícia e exausta, resolve passar a noite no isolado Motel Bates, gerenciado pelo tímido Norman. 
 
A reviravolta: Aparentemente a protagonista, Marion é assassinada no chuveiro em pleno banho por uma mulher que não conseguimos ver o rosto. Mais tarde, é descoberto que na verdade Norman é um “lobo em pele de cordeiro”, cuja perturbação o leva a assumir a personalidade da falecida mãe e cometer assassinatos de mulheres em nome de um puritanismo levado ao extremo.
O motivo: Uma das reviravoltas mais inesperadas e mais icônicas do cinema, a decisão de Hitchcock de matar sua protagonista na metade da projeção carrega grande dose de ousadia e uma abordagem pioneira do tema serial killer. A surpresa foi tão grande que outro ineditismo foi pedir aos espectadores não revelar o final do suspense tornado terror.
Star Wars - Episódio V: O Império Contra-Ataca (1980)
A premissa: Após perder o mentor Obi-Wan Kenobi, juntar-se à Aliança Rebelde e explodir a arma de guerra conhecida como Estrela da Morte, Luke Skywalker abandona pela metade o seu treino como guerreiro Jedi e vai atrás de duelar com o vilão Darth Vader.
A reviravolta: Em um momento dramático no clímax do filme, Vader revela ser o pai de Luke. O vilão na verdade era Anakin Skywalker, um jedi corrompido pela influência do sith Palpatine, este sim a verdadeira figura maligna do universo Star Wars.
O motivo: A revelação de George Lucas deu um novo significado à trama, dando profundidade ao famoso antagonista da série, que passava a ser uma figura trágica, e dando um peso emotivo por trás da história de naves espaciais e espada laser. A partir de O Império Contra-Ataca, todos os filmes mal ou bem passaram sobre as origens e o legado dos Skywalker na galáxia.
Os Suspeitos (1995)
A premissa: O coxo Verbal Kint conta à polícia sobre um assalto que participou e como foi um dos poucos a sobreviver a um verdadeiro massacre mandado por um misterioso chefão do crime conhecido como Keyser Söze.
A reviravolta: “O maior triunfo do diabo foi convencer o mundo que ele não existe”. A frase de inspiração religiosa cabe aqui: o atrapalhado e tímido delator é na verdade o impiedoso e carniceiro chefão do crime, conforme entendemos em sua última cena.
O motivo: A caneca caindo em câmera lenta resume muito bem até hoje o impacto da revelação final do estilizado filme de Singer, com um elenco inspirado e um roteiro cheio de pistas falsas de Christopher McQuarrie. Vários nomes aqui pertenceriam ao primeiro escalão do cinema industrial em algum momento da carreira e filme até hoje é relembrado como uma pequena jóia do período.
Clube da Luta (1999)
A premissa: Após não conseguir dormir por meses, o protagonista conhecido apenas como O Narrador conhece o perigoso idealista Tyler Durden e passa a participar de brigas de rua para extravasar. Logo, o Clube da Luta avança para o Projeto Desordem, espécie de falange terrorista anticapitalista.
A reviravolta: Tyler Durden é uma outra personalidade do Narrador, que criou em sua cabeça uma figura carismática e idealista para seguir e sair de seu cotidiano opressor. Porém, logo as coisas saem do controle e ele terá de lidar com a responsabilidade de criar um grupo terrorista e sua relação afetiva complicada com Marla Singer.
O motivo: 1999 foi o ano de filmes com reviravoltas, e Clube da Luta tem o seu lugar ao sol. O provocativo filme de David Fincher usa e abusa de recursos como narrador não-confiável, inserções estilo “piscou, perdeu” e uma verdadeira paixão por monólogos de tom crítico. Um testamento da geração dos anos 90 e a crise espiritual e existencial que assolou os seus adultos.
Planeta dos Macacos (1968)
A premissa: O comandante de tripulação Taylor acorda da hibernação suspensa e descobre que nos dezoito meses que dormiu dois mil anos se passaram na Terra. Para culminar, sua nave espacial naufraga em um planeta desconhecido dominado por macacos humanóides que criam humanos como animais.
A reviravolta: Respondendo em parte como aqueles macacos sabiam falar, se organizar em castas e ter um sistema de crenças e mitos, a última cena com Taylor batendo na areia enquanto vê a Estátua da Liberdade quebrada e meio afundada no chão confirma, para nosso horror, que estávamos na Terra do futuro o tempo todo.
O motivo: O filme baseado no livro de Pierre Boulle marcou época como um libelo anti-Guerra Fria, com a civilização humana simbolicamente enterrada servindo como aviso contra a mentalidade belicosa dos governos à época. De quebra, deu origem a uma das franquias mais longevas do cinema, com continuações, remake e reboots para dar e vender.

Comentários (15)

Antonio Montana | terça-feira, 05 de Fevereiro de 2019 - 15:22 | Responder

É muito difícil eleger um top 7, apesar desse estar fantástico podia ter facilmente A vida de David Gale, o Já citado Oldboy, Incendios, Interestelar, Ilha do medo, Identidade (nossa quanto filme com I) hahahahah

Paulo Faria Esteves | terça-feira, 05 de Fevereiro de 2019 - 21:30 | Responder

Bem lembrado o final de O Nevoeiro. Esse não se limita a ser surpresa, é praticamente desconcertante e até um pouco deprimente. Daqueles que é difícil esquecer.

Aproveito para lembrar o filme Pensamentos Mortais (1991). É mais um filme B, por isso duvido que alguém aqui conheça pelo nome...mas a verdade é que foi o primeiro que me mostrou um tipo de final surpresa que eu nunca tinha visto e nunca mais esqueci!😲😲 Desde então vi vários seriados e/ou filmes que usaram o mesmo tipo de final surpresa, mas enfim; a primeira vez que o vi foi em Pensamentos Mortais.

Luís | quarta-feira, 06 de Fevereiro de 2019 - 09:45 | Responder

Testemunha da Acusação merecia estar na lista, fácil, fácil.

Vestida Para Matar e o primeiro da série Sexta-Feira 13 também, embora sejam derivações de Psicose, a surpresa é tão grande quanto o filme do Hitchcock.

Faça login para comentar.