Saltar para o conteúdo

Artigos

Clássicos Brasileiros

Governos são passageiros, assim como hão de ser suas medidas destrutivas de algo tão mais valioso: a força e a memória da cultura brasileira. Assim, enquanto a influência de políticos infelizes ataca a história do nosso cinema de todas as formas, como ilustra um ato recente mesquinho na Ancine, nossa equipe investe em força contrária de exaltação desses filmes com uma nova série do Cineplayers.

Como o título Clássicos Brasileiros antecipa, aqui você lerá críticas de filmes, curtas ou longas, desde a gênese do cinema brasileiro, do cinema novo, do cinema marginal, da pornochanchada e até filmes da Retomada que já figuram dentre as peças históricas de nosso bem tão precioso. Uma iniciativa que é também  retroativa e reúne material existente no site que merece ser resgatado.

Enfim, a história do nosso cinema. Confira.

1931 | Crítica de Limite, de Mário Peixoto
1949 | Crítica de Também Somos Irmãos, de José Carlos Burle
1955 | Crítica de Rio 40 Graus, de Nelson Pereira dos Santos
1962 | Crítica de O Assalto ao Trem Pagador, de Roberto Farias
1963 | Crítica de Vidas Secas, de Nelson Pereira dos Santos
1964 | Crítica de À Meia-Noite Levarei Sua Alma, de José Mojica Marins
1964 | Crítica de Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha
1967 | Crítica de Esta Noite Encarnarei no teu Cadáver, de José Mojica Marins
1968 | Crítica de Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla
1969 | Crítica de Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro, de Glauber Rocha
1970 | Crítica de Sem Essa, Aranha, de Rogério Sganzerla
1971 | Crítica de Bang Bang, de Andrea Tonacci
1981 | Crítica de Eles Não Usam Blackie-Tie, de Leon Hirszman

1981 | Crítica de Pixote: A Lei do Mais Fraco, de Hector Babenco
1982 | Crítica de Pra Frente, Brasil, de Roberto Faria
1989 | Crítica de Ilha das Flores, de Jorge Furtado
2001 | Crítica de Abril Despedaçado, de Walter Salles
2002 | Crítica de Cidade de Deus, de Fernando Meirelles
2002 | Crítica de Madame Satã, de Karim Ainouz
2007 | Crítica de Santiago, de João Moreira Salles
2007 | Crítica de Tropa de Elite, de José Padilha
2010 | Crítica de Tropa de Elite 2, de José Padilha
2015 | Crítica de Branco Sai, Preto Fica, de Adirley Queirós


Comentários (0)

Faça login para comentar.