Saltar para o conteúdo

Artigos

Especial John Carpenter

O CP Classics | John Carpenter ligou um sinal de alerta importante: o cineasta nova-iorquino é um dos cineastas mais adorados da equipe e, ao mesmo tempo, representa uma das lacunas mais importantes do site. Ou seja: quase não temos críticas do mestre do suspense, do horror e da crítica social foda de fato publicadas no Cineplayers.

Para suprir essa falta à altura, nosso chapa Ted Rafael decidiu arregaçar as mangas e fazer jus à filmografia desse esteta desde o nome de batismo. Além da crítica já publicada de Dark Star (1974), serão outras 9 críticas destrinchando a "carpintaria" do mestre. Esses textos serão divididos em 3 partes, que virão acompanhadas de 1 artigo que analisa um aspecto da arte de John Carpenter comum nesses 3 filmes. Coisa fina.

Você já confere abaixo a primeira parte dessa maravilha. Um artigo intitulado "Monstrotificação" - um neologismo sagaz que o Ted criou pra expressar a capacidade de John Carpenter de transformar qualquer coisa em monstro - que introduz os seguintes filmes e suas respectivas críticas: Assalto à 13ª DP (Assault on Precinct 13, 1976), A Bruma Assassina (The Fog, 1980) e Christine, o Carro Assassino (Christine, 1983).

Cheguem junto no artigo John Carpenter - Parte 2: A depravação farrista, que versa sobre 3 fitas do mestre que tratam tanto cinema quanto a sociedade como formulações maléficas a serem tratadas na esculhambação e sentidas de forma crítica. As fitas seriam Aventureiros do Bairro Proibido (Big Trouble in Little China, 1986), Eles Vivem (They Live, 1988) e Vampiros de John Carpenter (Vampires, 1998).

Demais, né? Aproveite. Boa leitura. 

Parte 1


Parte 2

Artigo | A Depravação Farrista
Crítica | Aventureiros do Bairro Proibido (1986)
Crítica | Eles Vivem (1988)
Crítica | Vampiros de John Carpenter (1998)

Comentários (0)

Faça login para comentar.