Saltar para o conteúdo
Drama

Neves do Kilimanjaro, As

(Les neiges du Kilimandjaro, 2011)
6,8
Cineplayers
4 votos
7,3
Usuários
42 votos
?
Sua nota
Direção
Robert Guédiguian
Roteiro:
Robert Guédiguian, Victor Hugo (poema), Jean-Louis Milesi
Gênero:
Drama
Origem:
França
Estreia:
09/03/2012
Duração:
90 minutos

Michel e Marie-Clarie vivem felizes por mais de 30 anos, mesmo depois dele ter perdido o emprego. O grande choque do casal vem da descoberta que um dos amigos que foi demitido junto com Michel planejou um violento assalto contra eles.

Elenco

Ariane Ascaride
Marie-Claire
Jean-Pierre Darroussin
Michel
Gérard Meylan
Raoul
Marilyne Canto
Denise
Grégoire Leprince-Ringuet
Christophe
Anaïs Demoustier
Flo
Adrien Jolivet
Gilles
Robinson Stévenin
Comissário
Karole Rocher
Mãe de Christopher
Julie-Marie Parmentier
Agnès
Pierre Niney
Servo

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Vazio, seco, críticas rasteiras e mal trabalhadas através de personagens artificiais (a esposa do protagonista nunca convence, parece um mero adorno, enquanto o jovem assaltante só faz questionamentos de "lugar comum").

  • Um dos melhores filmes, jamais visto. Tema forte e consistente, roteiro muito bem idealizado, com direção segura e elenco bastante afinado. IMPERDIVEL

  • Mesmo que o diretor tente trazer naturalismo, o filme é claramente uma "defesa de tese", acho bem valido a auto-critica na esquerda, o problema é que isso é feito em muitos momentos de maneira obvia ou grosseira. Uma ponta de machismo também incomodou.

  • Mensagem belíssima.

  • Guédiguian faz seus longas pela Agat Films. A produtora funciona em esquema de cooperativa, em que seis colegas produtores fazem concessões para viabilizar os projetos de cada um.

  • Existem os que fazem o bem por consciência pesada e existem os que fazem o bem por vocação. A bondade flagrada por Guédiguian é a segunda, mas ele não se restringe a simplismos, preferindo a poliedria.

  • Aproveitando a onda mundial de violência descontrolada, o filme filosofa sobre quem é o culpado pelo desvio comportamental dos pobres bandidos sem oportunidade na vida, chegando à elementar conclusão de que é da própria sociedade opressora.

  • A demissão mudou tudo,já com certa idade,nem há muito o que fazer,é viver e tentar (se assim quiser) encontrar algum outro. Mas o destino foi cruel e o perdão parece ilógico,não sobre os garotos que merecem tudo. Belo trato da amizade entre colegas.

  • 17/08/12 - Aborda entre outras coisas, a bondade, o perdão, a índole de cada um, além de fazer uma crítica realista da atual crise financeira. Tudo muito bem filmado, com belas imagens e grandes atuações do elenco central, parceiros habituais do diretor.

Comentários (0)

Faça login para comentar.