Saltar para o conteúdo
8,2
Cineplayers
6 votos
8,0
Usuários
65 votos
?
Sua nota
Direção
Hirokazu Koreeda
Roteiro:
Hirokazu Koreeda
Gênero:
Drama
Origem:
Japão
Estreia:
10/01/2019
Duração:
121 minutos
Prêmios:
71° Festival de Cannes - 2018, 76° Globo de Ouro - 2019, 91° Oscar - 2019

Uma família de criminosos de pequeno porte recebe uma criança que encontra na rua.

Elenco

Lily Franky
Osamu Shibata
Kirin Kiki
Hatsue Shibata
Sôsuke Ikematsu
4 ban-san
Sakura Andô
Nobuyo Shibata
Moemi Katayama
Mayu Matsuoka
Aki Shibata
Kengo Kora
Takumi Maezono
Akira Emoto
Jyo Kairi
Shota Shibata
Chizuru Ikewaki
Kie Miyabe
Yôko Moriguchi
Miyu Sasaki
Yuri
Naoto Ogata
Yuki Yamada

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Um filme humanista em essência. Construído através das interações de uma família disfuncional, mas calorosa e aconchegante. O que nos leva a pensar em como laços familiares são formados. Qual a importância do sangue em relação aos aspectos da convivência?

  • Um drama familiar de muita complexidade, onde o amor se propaga em relações errantes e desajustadas. Koreeda mistura dureza e doçura com muita competência.

  • O que nos é apresentado não permite aprofundamento moral, julgamentos. É a vida e o impulso de sobreviver que todos temos. Tudo fora de tela é aterrador. Tudo que é mostrado é uma dose etérea de sentimento, de amor.

  • O Ocidente, que sempre compra a imagem de um Japão tão desenvolvido e sem problemas, precisa enfrentar a realidade dessa família, tão estruturada, mas ao mesmo tempo tão perdida e sem moral perante a sociedade japonesa.

  • Koreeda tem o poder de colocar o julgamento do espectador em cheque. A linha tênue entre a dependência e o afeto, entre a verdade e a mentira, entre o laço familiar e a exploração são tratadas em Assunto de Família de forma honesta, intricada e chocante.

  • Kore-eda e seu cinema paciente com direito a reviravoltas, mostrando que a mesma matéria-prima pode gerar diferentes resultados. Não é tão redondo no roteiro, mas impressiona por seu naturalismo sempre presente.

  • Filme com diversos enredos paralelos, formado por várias pequenas situações, que buscam construir uma ligação emocional com o público através da sutileza; não me conquistou, talvez poderia ter sido o contrário se investisse mais na questão dos furtos.

  • É como se eu conhecesse essa família há muito tempo, tamanha a naturalidade e a intimidade projetadas a cada cena, a cada papo. Me lembro de poucos dramas atuais que conseguem ser tão iconicamente verdadeiros, quanto esse. Um triunfo. Cannes acertou.

  • Congrega temas e ideias de outros filmes do Koreeda, com o cuidado de sempre, que novamente nos leva a soluções longe da obviedade - ele dá seu jeito de surpreender. Kirin Kiki chuta bundas mais uma vez, em meio a um elenco, como de costume, formidável.

Comentários (0)

Faça login para comentar.