Saltar para o conteúdo
6,7
Cineplayers
12 votos
7,1
Usuários
126 votos
?
Sua nota
Direção
Henry Hathaway
Roteiro:
Charles Portis (romance), Marguerite Roberts (roteiro)
Gênero:
Drama, Aventura, Faroeste
Origem:
Estados Unidos
Duração:
128 minutos
Prêmios:
27° Globo de Ouro - 1970, 42° Oscar - 1970

Filmes Relacionados

Com a morte do pai, Mattie Ross (Kim Darby) quer fazer justiça. Contrata o velho xerife Rooster (John Wayne) para pegar os assassinos, mas ela apenas aceitaria contratá-lo se puder acompanhá-lo na perigosa busca.

Elenco

John Wayne
Xerife 'Rooster'
Glen Campbell
La Boeuf
Kim Darby
Mattie Ross
Jeremy Slate
Emmett Quincy
Robert Duvall
Ned Pepper
Dennis Hopper
Moon
Connie Sawyer
Tagarela no enforcamento
Carlos Rivas
Dirty Bob
John Doucette
Xerife
Jeff Corey
Tom Chaney
H.W. Gim
Chen Lee
John Fiedler
Advogado Daggett
Boyd 'Red' Morgan
Red - funcionário da ferrovia
Stuart Randall
McAlester
John Pickard
Frank Ross
James Westerfield
Juiz Parker

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Tem um certo artificialismo, mas as frases de efeito são deliciosas, a paisagem, mais ainda. Não tem grandes duelos ou cenas inesquecíveis, mas tem bons personagens.

  • Sou só eu ou a versão dos Coen é mesmo melhor em tudo, inclusive (que a lenda John Wayne não me ouça) pelo intérprete do ótimo Rooster Coburn? Hoje a comparação é inevitável, e este aqui ficou mais arrastado e menos verossímil.

  • O cinema americano passava por um processo de mudanças, mas Hathaway continuava um diretor à moda antiga, e por isso Bravura Indômita, com um John Wayne fora de forma, parece uns vinte anos atrasado. Mas isso não tira seus méritos, que não são poucos.

  • Num ano em que o faroeste se renovava (Butch Cassidy), e que o público se preparava para obras mais trangressoras (Perdidos na Noite), "Bravura Indômita" parece um filme fora de lugar e de tempo. O quê John Ford faria com um material desses nas mãos?

  • Não está à altura do Oscar de Wayne, mas deve-se considerar que o prêmio foi mais como homenagem pelo conjunto da obra do então veterano ator, demais é um bom faroeste de rotina realizado por um dos especialistas do gênero, ainda que sem marcar época.

  • Mesmo que seja um de seus melhores papéis, o Oscar a Wayne parece um exagero. De qualquer forma, é um filme que entretém do início até o final, com personagens interessantes e bons momentos. A questão é: o que os Coen vão fazer na refilmagem?

Comentários (0)

Faça login para comentar.