Saltar para o conteúdo
6,2
Cineplayers
12 votos
7,0
Usuários
120 votos
?
Sua nota
Direção
Todd Field
Roteiro:
Andre Dubus (história), Robert Festinger (roteiro), Todd Field (roteiro)
Gênero:
Drama, Policial
Origem:
Estados Unidos
Duração:
130 minutos
Prêmios:
59° Globo de Ouro - 2002, 74° Oscar - 2002

Após a perda do filho, um casal (Tom Wilkinson e Sissy Spacek) faz de tudo para se livrar do sofrimento, ou pelo menos achar algum conforto em meio à tanta dor. O que eles desconhecem é que a provação será quase insuportável.

Elenco

Tom Wilkinson
Matt Fowler
Sissy Spacek
Ruth Fowler
Nick Stahl
Frank Fowler
Marisa Tomei
Natalie Strout
William Mapother
Richard Strout
William Wise
Willis Grinnel
Celia Weston
Katie Grinnel
Karen Allen
Marla Keyes
W. Clapham Murray
Carl
Frank T. Wells
Henry
Kevin Chapman
Amigo de Tim

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Todd Field já cansou de me mostrar que é um cineasta muito competente e envolvente, a luz natural de In The Bedroom o torna tão cotidiano e banal, e ao mesmo tempo tão ameaçador. Embora adiante muito o ato final, deixa reflexões importantes sobre o ódio.

  • Sutil demais pois falta ao filme a engrenagem que levaria o publico ao seu objetivo. Ainda assim interessante.

  • Sissy Spacek foi a mais lembrada em premiações, mas a grande força do filme é Tom Wilkinson que, por detrás de uma maior tranquilidade e de seu temperamento fechado (chora sozinho no quarto do filho), é quem chega mais perto do extremo.

  • O típico filme sustentado por atores! Felizmente, Wilkinson, Spacek, Tomei e até mesmo Mapother deram o melhor de si aqui. Sombrio, violento, psicológico, porém não muito original!

  • O elenco está bem, apesar de William Mapother e Marisa Tomei, na cena em que discutem, parecem estar fazendo teste para elenco e não atuando em um filme de verdade. O ritmo do filme é bom, até a morte de Frank, onde segue-se mais lento nos acontecimentos.

  • Marisa Tomei brilha com intensidade, mesmo com pouco tempo em cena, e principalmente depois do acontecimento-chave. Perfeita.

  • Hollywood deter-se com realismo nas intimidades pessoais. É um raro escrutínio dos segredos que se escondem por trás de fachadas,do lado sombrio da alma humana,das inquietudes nas relações matrimoniais apáticas,da existência doente da sociedade americana.

  • Genius, 28-03-2018.

  • Existe uma carga dramática que se perpetua por todo o filme. Isso é óbvio, mas falta conteúdo que a sustente. Melancolia e dor sozinhos não fazem de um drama razoável um grande filme, nem mesmo as dosadas e sublimes interpretações.

  • Alongando-se na duração, Field procura trazer um olhar sobre a perda, ao qual se se mantém atento graças aos maravilhosos desempenhos do par Spacek-Wilkinson.

Comentários (0)

Faça login para comentar.