Saltar para o conteúdo
7,4
Cineplayers
14 votos
7,4
Usuários
401 votos
?
Sua nota
Direção
M. Night Shyamalan
Roteiro:
M. Night Shyamalan (escrito por)
Gênero:
Suspense, Terror
Origem:
Estados Unidos
Estreia:
23/03/2017
Duração:
116 minutos

Filmes Relacionados

Kevin, um homem com pelo menos 23 diferentes personalidades (e a capacidade de alternar entre elas), é convencido a sequestrar três garotas adolescentes. Durante o cativeiro, uma nova personalidade - "A Besta" - começa a se materializar.

Elenco

James McAvoy
Kevin Wendell Crumb / Vários
Anya Taylor-Joy
Casey Cooke
Jessica Sula
Marcia
Haley Lu Richardson
Claire Benoit
Betty Buckley
Dra. Karen Fletcher
Izzie Coffey
Casey Cooke - 5 anos
Brad William Henke
Tio John
Sebastian Arcelus
Pai de Casey
M. Night Shyamalan
Jai
Neal Huff
Sr. Benoit
Ann Wood
Vizinha de Karen
Robert Michael Kelly
Joe
Lyne Renee
Moderadora da Convenção
Christopher Lee Philips
Funcionário do zoológico
Ameerah Briggs
Policial
Julie Potter
Paramédica
Kash Goins
Florista
Ukee Washington
Âncora
Kim Director
Hannah
Bruce Willis
David Dunn (não creditado)

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Um daqueles filmes de psicopata fortinho, de maluco que prende mulheres no porão (dando vazão a uma fantasia masculina tipicamente infantil ou pré-adolescente de manter sob o seu poder e em cativeiro a garota do bairro), com problemas de identidade e que usa frases de autoconvencimento ("nós somos o que acreditamos que somos"), com um sadismo até que razoavelmente controlado. Não fosse o gancho no final com o outro filme do cineasta e para a continuação seria uma obra absolutamente comum.

  • Tinha de tudo para ser um filme ridículo, mas Shyamalan é tão habilidoso e McAvoy tão preciso que Fragmentado se torna mais um estudo sobre medo, fé e trauma, que se ressignifica como um filme totalmente novo na reta final. Excelente.

  • Shyamalan volta com aquele é o maior traço de sua autoria: contar histórias sobre super-homens, sujeitos que cruzam a zona do estabelecido e tornam elástico o conceito de humano. McAvoy é gigante nessa nova fábula sobre estilhaçamento. E que câmera!!!

  • Shyamalan exerce um domínio absurdo sobre cada imagem e controla com perspicácia todo o assombro crescente da figura de McAvoy, mas há deficiências didáticas no roteiro e certos convencionalismos que o mastigam demais, talvez para o grande público.

  • Flashbacks e falatórios excessivamente didáticos prejudicam a fruição, mas a excelente ambientação e o hibridismo entre imaginação e fé que sustenta o ato final são suficientes para preservar a força do filme. Bem inferior ao A Visita, porém.

  • É um bom filme, mas como suspense falha um pouco ao criar pouco clima / tensão. James McAvoy muito bem nas múltiplas interpretações e na transição entre elas.

  • É quase um retorno à forma magistral que Shyamalan já tinha certa vez. Ele está no domínio da imagens e conhece bem os seus personagens, além de ter ousadia para ir além, tudo com bom gosto. Até as atuações juvenis que começam mal funcionam mais tarde.

  • É inegável que Shyamalan sabe construir uma atmosfera de suspense e trabalhar suas cenas, mas também é inegável como se tornou um roteirista preguiçoso. 'Fragmentado' é caótico e sem sentido - mesmo que McAvoy e Taylor-Joy quase consigam salvar o filme.

  • Com um formalismo sóbrio, Shyamalan constrói um trabalho minucioso ao arrancar o sobrenatural do convencional: notem as lentas transformações dentro dos longos planos, a gradação de cores, a música cada vez mais distorcida. Suspense com S maiúsculo.

  • Tropeça em momentos expositivos em demasia, mas Shya navega elegante na essência do suspense e de seu própria cinema numa alegoria sobre medo e confronto, deixando claro seu domínio dramático e cênico. McAvoy num dos melhores desempenhos do ano.

  • Tô meio dividido ainda com o tom grandiosinho do filme e como criam/explicam tanta mitologia, mas também tem umas ideias muito fortes. Pra mim é mais um Fim dos Tempos do Shya, só que com James McAvoy ostentando bem os defeitos

  • Tenso e bem ambientado do início ao fim.

  • Tensão elevada,pra um roteiro que exige muita fé.

  • Tensão elevada e bem conduzida desde seus primeiros momentos, lidando com temas nada fáceis na medida certa, apesar do tom caricato dado ao distúrbio de personalidade algumas vezes. Forte e sério até o minuto em que vira os Avengers do Terror.

  • Tem tantas camadas quanto seu protagonista, te dando o que pensar ao mesmo tempo que é capaz de empolgar como os melhores pipocões. Ansioso e preocupado com o que a última cena sugere.

  • Talvez o melhor trabalho de Shyamalan desde A Vila. Planos meticulosos, trilha sonora desnorteante, atuações poderosas (MacAvoy surpreende e Taylor-Joy encanta) e um final inteligente e recompensador fazem deste um suspense bem acima da média.

  • Split é um filme curioso. Shyamalan constrói e desconstrói, brinca com o espectador, mas não deixa de lado o desenvolvimento de seus personagens, um verdadeiro estudo. E o que dizer do final? Ah, esse é pra agradar os fãs da filmografia do indiano mesmo..

  • Simples e didático, será usado a exaustão nas universidades de psicologia. A atuação de McAvoy lembrou-me do famoso diretor J.LG. falando sobre os filmes serem documentários sobre os corpos dos atores.

  • Shyamalan-diretor comprovando sua habilidade com a câmera e Shyamalan-roteirista comprovando que ainda tem lenha para queimar. A abordagem psicológica é interessante e bem executada, apoiada no eficiente trabalho de McAvoy.

Comentários (0)

Faça login para comentar.