Saltar para o conteúdo
7,2
Usuários
37 votos
?
Sua nota
Direção
Guillaume Canet
Roteiro:
Guillaume Canet (roteiro), James Gray (roteiro), Bruno Papet (romance), Michel Papet (romance), Pierre Chosson (roteiro original), Jacques Maillot (roteiro original), Eric Veniard (roteiro original)
Gênero:
Drama, Policial, Suspense
Origem:
Estados Unidos, França
Duração:
127 minutos

Nova York, 1974. Chris é liberado por bom comportamento depois de vários anos de prisão. De volta ao "mundo real", encontra Frank , seu irmão mais novo, como um promissor policial. Crente de que o irmão mudou, Frank lhe dá uma nova chance: o abriga, encontra um emprego para ele e ainda o ajuda a reconectar-se com seus filhos e sua ex-mulher, Monica. Tempos depois, Chris começa uma relação com a bela Natalie, mas logo se vê mergulhado mais uma vez no mundo do crime, entrando em conflito com seu irmão.

Elenco

Clive Owen
Chris Pierzynski
Billy Crudup
Frank Pierzynski
Marion Cotillard
Monica
Mila Kunis
Natalie
Zoe Saldana
Vanessa
James Caan
Leon Pierzynski
Lili Taylor
Marie Pierzynski
Matthias Schoenaerts
Anthony Scarfo
Domenick Lombardozzi
Mike
Mark Mahoney
Sr. Louis
Noah Emmerich
Ten. Connellan
John Ventimiglia
Valenti
Richard Petrocelli
Romero
Jamie Hector
Nick
Charlie Tahan
Michael
Daisy Tahan
Robin
Eve Hewson
Yvonne
Yul Vazquez
Fabio DeSoto
Griffin Dunne
McNally
Olek Krupa
Tommy

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Viaja aos anos 70 não apenas na época, também no estilo. Um filme adulto, com peso em cada cena, sabendo usar a violência, sem amenizar os conflitos, sem dramatizar demais. O grande elenco já é um atrativo, todos estão bem colocados.

  • Os laços de sangue do título ora se alargam, ora se estreitam, mas acabam sempre falando mais alto. Ótimo elenco, em especial Cotillard, uma atriz e tanto como sempre.

  • O ressentimento no ar é intrigante até se tornar cansativo e superficial, mesmo que tente recriar um passado mais denso. Os coadjuvantes vagam sem destino pela história. Talvez o próprio Gray na direção salvaria.

  • O filme tem alguns deslizes, mas o roteiro (escrito por James Gray) é simplesmente formidável, tocando novamente na temática sobre a família, mas aqui, usando uma ironia quase imperceptível até o terceiro ato. O elenco está simplesmente sensacional!

  • Embora com personagens mal inseridos e outros subaproveitados, as atuações são convincentes. O desfecho eletrizante compensa o roteiro episódico.

  • A maça podre tentando destruir todo o cesto, lindo filme sobre relacionamento e rejeição, eu nunca compreendo a história do filho pródigo e sempre o considero hiper injusto... Ótimo filme reflexivo, final divino...

Comentários (0)

Faça login para comentar.